Trajetória da biblioteca pública no Maranhão Provincial

Autores

  • Cesar Augusto Castro Universidade Federal do Maranhão
  • Ana Luiza Ferreira Pinheiro Faculdade Atenas Maranhense

DOI:

https://doi.org/10.20396/rdbci.v4i1.2034

Palavras-chave:

Biblioteca pública do Maranhão. Maranhão provincial. História da biblioteca pública

Resumo

Análise da trajetória da Biblioteca Pública do Maranhão desde a sua criação em 1829, no Convento do Carmo, até 1889. Formada inicialmente com o apoio dos homens da elite e de populares, desde a sua gênese até o advento da República, a Biblioteca Pública passou por diversas situações, ora de pleno abandono e ora de apogeu. Nesse particular, resgata-se o ofício do bibliotecário e diretores que fizeram brotar as iniciativas para a “socialização” do livro e da leitura no Maranhão oitocentista. A partir desta pesquisa histórica, pode-se compreender o papel que a mesma assumiu na formação da intelectualidade maranhense e na constituição do campo educacional, sendo o espaço privilegiado de convergência de idéias e saberes de professores, jornalistas, políticos o que ensejou na fundação da Oficina dos Novos, Sociedade Cívica das Datas Nacionais, Academia Maranhense de Letras, jornais, revistas e outras ações que favoreceram a São Luis ser denominada de Atenas Brasileira. Para o resgate dessa trajetória pesquisou-se em fontes como jornais, relatórios e falas de Presidentes de Província, legislação, iconografias entre outros documentos que possibilitaram traçar os seus caminhos e descaminhos, na constituição do seu acervo e da sua estrutura física. Conclui-se que esta pesquisa ao revisitar o passado revela as contradições na formação das bibliotecas públicas e abre-se um debate para a necessidade de investigações que busquem fazer emergir a história e memória dessas instituições no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Cesar Augusto Castro, Universidade Federal do Maranhão

Pos-doutor e doutor em História da Educação pela Universidade de São Paulo. Mestre em Ciência da informação pela Pontífica Universidade Catolíca de Campinas. Professor do Curso de Biblioteconomia e do Programa em Pós-graduação em Educação da Universidade Federal do Maranhao

Ana Luiza Ferreira Pinheiro, Faculdade Atenas Maranhense

Graduada em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Maranhão. Bibliotecária da Faculdade Atenas Maranhense-FAMA.

Referências

CUNHA,. A Biblioteca pública no cenário da sociedade da informação. Revista Biblos. v.15, n.4,p.67-76,abril, 2003.

FERNANDES, H. Administradores maranhenses: 1822-1928. São Luís, Imprensa Oficial, 1929.

HISTÓRIA da instrução pública no Maranhão. O Combate, São Luís, 10 abr. 1857.

MARANHÂO. Leis, Decretos, etc. Regimento da Biblioteca. SNT, 12p.

MARQUES, C. A. Dicionário histórico-geografico da Província do Maranhão. São Paulo: SUDEMA,1970.

MORAES, J. Guia histórico da Biblioteca Pública Benedito Leite. São Luís: FUNC, 1973.

OLIVEIRA, A. A. Conversas públicas na Escola Normal. Maranhão: Tipografia do Paiz, 1872.

RELATÓRIO do Presidente da Província do Maranhão, o Doutor João Lustosa da Cunha Paranaguá na abertura da Assemblea Legislativa Provincial no dia 3 de maio de 1859. Maranhão: Typographia J.M.C. de Farias,1859.

RELATÓRIO que o Exmo. Snr. Presidente da Província do Maranhão, o Doutor Lafayette Rodrigues Pereira apresentou à Assemblea Legislativa Provincial no dia 3 de maio de 1866. Maranhão: Typographia J.M.C. de Farias,1866.

VIVEIROS, J. Benedicto Leite: um verdadeiro republico. 2. ed. São Luís: Departamento de Imprensa Nacional,1960.

Downloads

Publicado

2006-09-18

Como Citar

CASTRO, C. A.; PINHEIRO, A. L. F. Trajetória da biblioteca pública no Maranhão Provincial. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, SP, v. 4, n. 2, p. 38-50, 2006. DOI: 10.20396/rdbci.v4i1.2034. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/2034. Acesso em: 26 nov. 2020.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)