Sistemas de informação e linguagens documentárias no contexto dos regimes de informação: um exercício conceitual

Autores

  • Roberto J.G. Unger Universidade Federal Fluminense
  • Isa Maria Freire MCT/IBICT

DOI:

https://doi.org/10.20396/rdbci.v4i1.2038

Palavras-chave:

Regimes de informação. Sistemas de recuperação da informação. Linguagens documentárias

Resumo

O artigo apresenta o conceito de regime de informação aos gestores de informação, como contribuição aos processos de adaptação e adequação de sistemas de informação e linguagens documentárias para atender às necessidades informacionais dos usuários. Regimes de informação são modos de produção informacional dominantes numa formação econômico-social que pressupõem, necessariamente, em seu contexto fontes de informação que são disseminadas e exercem influência no contexto social em que estão estabelecidas. Nesse aspecto, as sociedades têm regimes de informação através dos quais organizam a produção material e simbólica e representam a dinâmica das relações sociais. Dentre as diversas formas de manifestações institucionais atuais, destacam-se os sistemas de recuperação da informação, a manifestação per se do fenômeno que move o regime. Os sistemas de recuperação da informação, por sua vez, usam linguagens documentárias para organizar e comunicar a informação organizada nos inúmeros “agregados de informação”, que Barreto (1996) define como “estruturas” que armazenam “estoques de informação” e podem atuar como “agentes”, ou “mediadores”, entre uma fonte de informação e seus usuários.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Roberto J.G. Unger, Universidade Federal Fluminense

Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação

Isa Maria Freire, MCT/IBICT

Doutora em Ciência da Informação

Referências

ARAÚJO, V. M. R. H. de. Sistemas de informação: nova abordagem teórico-conceitual. Ciência da Informação, v. 24, n.1, jan./mar.1995.

______. Usuários: uma visão do problema. Revista de Biblioteconomia da UFMG, Belo Horizonte, v. 3, n. 2, set.1974

AITCHINSON, J.; GILCHRIST, A. Manual para construção de tesauros. Rio de Janeiro: Brasilart, 1979.

BARRETO, A. de A. A eficiência técnica e econômica e a viabilidade de produtos e serviços de informação. Ciência da Informação, Brasília, v. 25. n. 3, p. 405-414, set./dez. 1996.

CAMPOS, M. L. de A. Linguagem documentária: teorias que fundamentam sua elaboração. Niterói: EDUFF, 2001.

FOSKETT, D.J. Psicologia do usuário. In: ______. A contribuição da psicologia para o estudo dos usuários da informação técnico-científica. Rio de Janeiro: Calunga, 1980.

FREIRE, I. M. A responsabilidade social da ciência da informação e/ou o olhar da consciência possível sobre o campo científico. 2001. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2001. Disponível em: < www.isafreire.pro.br>.

______. Informação; consciência possível; campo: um exercício com construtos teóricos. Ciência da Informação, Brasília, v. 24. n. 1, p. 133-142, jan./abr. 1995.

FROHMANN, B. Taking information policy beyond information science: applying actor network theory. Disponível em: < http://www.fims.uwo.ca/people/faculty/frohmann/actor.htm>. Acesso em: 10 maio 2005.

GOLDMANN, L. Consciência possível e comunicação. In: COHN, G. (Org.). Comunicação e indústria cultural. 2. ed. São Paulo: Nacional, 1975.

GONZÁLEZ DE GÓMEZ, M. N. Da organização do conhecimento às políticas de informação. Informare, Rio de Janeiro, v. 2, n. 2, p.58-66, 1996.

______. Novas fronteiras tecnológicas das ações de informação: questões e abordagens. Ciência da Informação, Brasília, v. 33, n. 1, p. 55-67, jan./abr. 2004.

_____. Novos cenários políticos para a informação. Ciência da Informação, Brasília, v. 31, n. 1, p. 27-40, jan./abr. 2002.

LARA, M. L. G. de. Linguagem documentária e terminologia. Transinformação, Campinas, v.16, n. 3, p. 233, set./dez. 2004.

LARA, M. L. G. de. O processo de construção da informação documentária e o processo de conhecimento. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 7, n. 2, p.127-139, jul./dez. 2002.

LE CODIAC, Y.-F. A ciência da informação. Brasília: Briquet de Lemos Livros, 1996.

LÉVY, P. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento da era da informática. São Paulo: Editora 34, 1993.

TÁLAMO, M. de F. G. M. Linguagem documentária. São Paulo: APB, 1997.

TARAPANOFF, K. Técnicas para tomada de decisão nos sistemas de informação. Brasília: Thesaurus, 1995.

TOUSSAINT, N. A economia da informação. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.

WILSON, T.; STREATFIELD, D. R.; WERSIG, G. Models of the information user: progress and prospects in research. In: SWEENEY, G. P. Information and the

transformation of society. Amsterdam: North Holland, 1982. p.361-367.

Downloads

Publicado

2006-09-18

Como Citar

UNGER, R. J.; FREIRE, I. M. Sistemas de informação e linguagens documentárias no contexto dos regimes de informação: um exercício conceitual. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, SP, v. 4, n. 2, p. 102-115, 2006. DOI: 10.20396/rdbci.v4i1.2038. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/2038. Acesso em: 30 out. 2020.

Edição

Seção

Pesquisa em andamento