Uma investigação sobre a autoria de dados científicos: Teias de uma rede em construção

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rdbci.v14i2.8644015

Palavras-chave:

Autoria. Dados científicos. Repositório de dados. Teoria Ator-Rede

Resumo

Este trabalho objetiva analisar a autoria científica a partir do compartilhamento de dados de pesquisa. Para esta finalidade, utiliza a Teoria Ator-Rede (ANT), a qual busca, a partir de uma ideia de simetria entre humanos e não humanos, não assumir uma divisão entre essas entidades, possibilitando visualizar o estabelecimento e a dissolução de uma rede a partir das relações que se criam em diversos níveis. Os dados que serviram de base para descrição e análise a partir da literatura foram recolhidos a partir de observação, de entrevistas e de materiais bibliográficos. A investigação ocorreu junto ao Repositório de Dados de Estudos Ecológicos do Programa de Pesquisa em Biodiversidade (PPBio). Conclui que os objetos conceituais e pragmáticos não podem ser vistos de maneira isolada, mas sim como atores-rede afetados diretamente pela tecnologia, devendo ser considerados atuantes importantes no processo de produção, compartilhamento e uso de dados digitais de pesquisa. A construção do fato científico e social autoria é coordenada por uma série de elementos, como a coleta de dados, a curadoria, os próprios dados científicos, seus metadados, as fontes de fomento, a política de dados, o repositório e seus softwares de gerenciamento e envio de dados e metadados, o licenciamento, a propriedade e a responsabilidade, agindo como um tipo de instrumentalização de um arranjo de fenômenos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Jackson da Silva Medeiros, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutor em Comunicação e Informação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Professor do Departamento de Ciências da Informação na mesma Universidade.

Referências

ABBAGNANO, N. Dicionário de Filosofia. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes,2007. 1014 p.

ANTONIO, I. Autoria e cultura na pós-modernidade. Ciência da Informação, Brasília, v. 27, n. 2, p. 189-192, maio/ago. 1998. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ci/v27n2/irati.pdf. Acesso em: 7 maio 2014.

BARBOSA, A. L. F. Proteção do trabalho intelectual. In: ______. Sobre propriedade do trabalho intelectual: uma perspectiva crítica. Rio de Janeiro: UFRJ, 1999. p. 21-87.

BORGMAN, C. L. Scholarship in the digital age: information, infrastructure, and the Internet. Cambridge, Massachusetts; London, England: MIT Press, 2010. 336 p.

BRANCO JÚNIOR, S. V. Fundamentos para o domínio público no direito autoral brasileiro, Liinc em revista, v. 7, n. 2, p. 437-465, set. 2011. Disponível em: http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/view/439/328. Acesso em: 15 mar. 2015.

BRASIL. Portaria no 693 de, 20 de agosto de 2009. Institui, no âmbito do Programa de Pesquisa em Biodiversidade - PPBio, a Política de Dados. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, 21 ago. 2009, Seção 1, p. 8-9.

CAMPOS, A. O direito de autor. In: ______. Breve história do livro. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1994. (Série Revisão; 40).

CARBONI, G. C. O direito de autor e seus desafios: os conflitos com a liberdade de expressão, o direito de acesso ao conhecimento, à informação e à cultura e o direito ao desenvolvimento tecnológico. In: REIS, R. et al. (Org.). Propriedade intelectual: interfaces e desafios. Rio de Janeiro: ABIA, 2007. p. 59- 123.

CHARTIER, R. História intelectual do autor e da autoria. In: FAULHABER, P.; LOPES, J. S. L. Autoria e história cultural da ciência. Rio de Janeiro: Beco do Azougue, 2012a. p. 37-64.

CHARTIER, R. O que é um autor? Revisão de uma genealogia. São Carlos: EDUFSCAR, 2012b. 90 p.

CHARTIER, R. Os desafios da escrita. São Paulo: UNESP, 2002. 144 p.

CURIA, L. R. Apresentação. In: SANTOS, M. Direito autoral na era digital: impactos, controvérsias e possíveis soluções. 2009. São Paulo: Saraiva. 2009. p. xv-xvii.

DROIT, R-P. Ética: uma primeira conversa. São Paulo: Martins Fontes, 2012. 95 p.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. 25. ed. São Paulo: Graal, 2012.

FOUCAULT, M. O que é um autor? 3. ed. Lisboa: Vega, 1997. 160 p.

FOUREZ, G. A construção das ciências: introdução à filosofia e à ética das ciências. São Paulo: UNESP, 1995. 319 p.

FREIRE, L. L. Seguindo Bruno Latour: notas para uma antropologia simétrica. Comum, Rio de Janeiro, v. 11, n. 26, p. 46-65, jan./jun. 2006. Disponível em: http://www.ifcs.ufrj.br/~lemetro/pesquisadores/Leticia%20de%20Luna%20Freire/lat our.pdf. Acesso em: 14 maio 2013.

GANDELMAN, H. De Gutenberg à internet. 5. ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro: Record, 2007. 295 p.

GRAY, J. Jim Gray on escience: a transformed scientific method. In: HEY, Tony; TANSLEY, Stewart; TOLLE, K. (Ed.). The fourth paradigm: data-intensive scientific discovery. Washington: Microsoft Research, 2009. Disponível em: http://research.microsoft.com/en- us/collaboration/fourthparadigm/4th_paradigm_book_jim_gray_transcript.pdf. Acesso em: 20 maio 2013.

LATOUR, B. A esperança de Pandora: ensaios sobre a realidade dos estudos científicos. Bauru: EDUSC, 2001.

LATOUR, B. Ciência em ação: como seguir cientistas e engenheiros sociedade afora. São Paulo: UNESP, 2000. 438 p.

LATOUR, B. Jamais fomos modernos: ensaio de antropologia simétrica. 2. ed. São Paulo: Ed. 34, 2009. 150 p.

LATOUR, B. Reagregando o social: uma introdução à Teoria Ator-Rede. Salvador; Bauru: EDUFBA; EDUSC, 2012. 399 p.

LATOUR, B. Redes, sociedades, esferas: reflexões de um teórico ator-rede. Informática na educação: teoria e prática, Porto Alegre, v. 16, n. 1, jan./jul. 2013. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/index.php/InfEducTeoriaPratica/article/view/36933/25939. Acesso em: 4 nov. 2013.

LATOUR, B.; WOOLGAR, S. A vida de laboratório: a produção dos fatos científicos. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1997. 310 p.

LEMOS, A. Você está aqui! Mídia locativa e teorias “materialidades da comunicação” e “ator-rede”. Comunicação & Sociedade, ano 32, n. 54, p. 5-29, jul./dez. 2010.

MEDEIROS, J. S.; CAREGNATO, S. E. Compartilhamento de dados e e-Science: explorando um novo conceito para a comunicação científica. Liinc em Revista, v. 8, n. 2, p. 311-322, 2012. Disponível em: http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/488/373. Acesso em: 10 maio 2013.

MORAES, M. A ciência como rede de atores: ressonâncias filosóficas. História, Ciências, Saúde — Manguinhos, Rio de Janeiro, v. 11, n. 2, p. 321-333, 2004.

PEREIRA, A. L. L. A rede como espaço multirrefencial de aprendizagem: construção do conhecimento na produção de inovação em TIC em um Instituto de Ciência e Tecnologia brasileiro. 2013. 267 f. Tese (Doutorado em Difusão do Conhecimento)–Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2013.

PROGRAMA DE PESQUISA EM BIODIVERSIDADE (PPBIO). 2015. Disponível em: http://ppbio.inpa.gov.br. Acesso em: 16 mar. 2015.

RUDIO, F. V. Introdução ao projeto de pesquisa científica. Petrópolis: Vozes, 1978. 144 p.

SÁNCHEZ VÁSQUEZ, A. Ética. 10. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1987. 267 p.

SANTOS, M. Direito autoral na era digital: impactos, controvérsias e possíveis soluções. São Paulo: Saraiva. 2009. 182 p.

SILVA FILHO, W. J. Considerações pós-éticas sobre a ação e a racionalidade. In: TEIXEIRA, A. (Org.). Especificidades da ética na Psicanálise. Salvador: Associação Científica Campo Psicanalítico, 2005. p. 86-97.

SILVA FILHO, W. J. Ética sem fundamentos. In: GOMES, H. F.; BOTTENTUIT, A. M.; OLIVEIRA, M. O. E. (Org.). A ética na sociedade, na área da informação e da atuação profissional: o olhar da Filosofia, da Sociologia, da Ciência da Informação e da formação e do exercício profissional do Bibliotecário no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Biblioteconomia, 2009. p. 9-29.

TORRES-SALINAS, D.; ROBINSON-GARCÍA, N.; CABEZAS-CLAVIJO, Á. Compartir los datos de investigación em ciência: introducción al data sharing. El profesional de la información, v. 21, n. 2, p. 173-184, mar./abr. 2012.

Downloads

Publicado

2016-05-31

Como Citar

MEDEIROS, J. da S. Uma investigação sobre a autoria de dados científicos: Teias de uma rede em construção. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, SP, v. 14, n. 2, p. 298–317, 2016. DOI: 10.20396/rdbci.v14i2.8644015. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/8644015. Acesso em: 20 out. 2021.