Banner Portal
Implementação da preservação digital em repositórios: conhecimento e práticas
PORTUGUÊS
ENGLISH

Palavras-chave

Preservação digital. Repositórios digitais. Práticas de preservação digital

Como Citar

PAVÃO, Caterina Groposo; CAREGNATO, Sônia Elisa; ROCHA, Rafael Port da. Implementação da preservação digital em repositórios: conhecimento e práticas. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, SP, v. 14, n. 3, p. 407–425, 2016. DOI: 10.20396/rdbci.v14i3.8646326. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/8646326. Acesso em: 19 maio. 2024.

Resumo

A preservação digital é uma necessidade real a ser atendida pelos repositórios institucionais, responsáveis pela preservação da produção científica de instituições de ensino e pesquisa. Entretanto, devido a constante evolução da área, a busca pelo domínio do conhecimento e das melhores práticas por parte dos responsáveis pela preservação digital é uma tarefa complexa. As pesquisas, práticas e soluções em preservação digital abordam problemas pontuais, como formatos, curadoria, modelos de referência, autenticidade, políticas e planos de preservação, ferramentas, etc., enquanto que os implementadores necessitam de uma visão integrada, geral, contextualizada e aplicável. Este artigo enfoca a implantação da preservação digital em repositórios, sob a perspectiva da equipe responsável pelo projeto, no que diz respeito aos conhecimentos e práticas necessárias. Inicialmente define e contextualiza a preservação digital em repositórios. A seguir, apresenta um modelo conceitual de preservação digital, sintetizado a partir de modelos conceituais e de fundamentos que foram desenvolvidos em projetos influentes na área, o qual permite identificar, de forma geral, os principais domínios de conhecimento em preservação digital. Finalmente, aspectos representados no modelo são discutidos no contexto da atuação das equipes na implantação da preservação digital em repositórios, oferecendo recomendações, guias ou exemplos que podem ser úteis para implantação da preservação digital. Aponta para a necessidade de se fortalecer a relação entre o domínio de conhecimentos em preservação digital em repositórios com as práticas dos inúmeros projetos desenvolvidos globalmente.

https://doi.org/10.20396/rdbci.v14i3.8646326
PORTUGUÊS
ENGLISH

Referências

ABBOUT, Daisy. What is digital curation? Edinburgh, UK: Digital Curation Centre, 2008. Disponível em: < http://www.era.lib.ed.ac.uk/ bitstream/1842/3362/3/Abbott%20What%20 is%20digital%20curation_%20_%20Digital%20 Curation%20Centre.doc>. Acesso em: 20 jun. 2016.

ABRAMS, Stephen; KUNZE, John; LOY, David. An emergent micro-services approach to digital curation infrastructure. International Journal of Digital Curation, v. 5, n. 1, p. 172-186, 2010. Disponível em: <http://www.ijdc.net/index.php/ijdc/article/viewFile/154/217>. Acesso em: 06 jun. 2016.

ABRAMS, Stephen; CRUSE, Patricia; KUNZE, John. Preservation is not a place. International Journal of Digital Curation, v. 4, n. 1, p. 8-21, 2009. Disponível em: <http://www.ijdc.net/index.php/ijdc/article/viewFile/98/73>. Acesso em: 06 jun. 2016.

ASSOCIATION FOR LIBRARY COLLECTIONS & TECHNICAL SERVICES. Definitions of digital preservation. ALA Annual Conference, Washington, D.C., June 24, 2007. Disponível em: <http://www.ala.org/alcts/resources/preserv/defdigpres0408>. Acesso em 07 jul. 2016.

BACHER, Rahe et al. State of the Art in Image Processing. Europeana regia, 2013. Disponível em http://www.europeanaregia.eu/sites/www.europeanaregia.eu/files/europeana-regia-state-of-the-art-in-image-processing.pdf

BECKER, Christoph et al. Systematic planning for digital preservation: evaluating potential strategies and building preservation plans. International Journal on Digital Libraries, v. 10, n. 4, p. 133-157, 2009. Disponível em: <http://www.ifs.tuwien.ac.at/~becker/pubs/becker-ijdl2009.pdf>. Acesso em 30 jun. 2016

BIBLIOTECA NACIONAL DE ESPAÑA. Proceso de digitalización en la Biblioteca Nacional de España. 2015. Disponível em: <http://www.bne.es/webdocs/Catalogos/ProcesoDigitalizacionBNE.pdf>. Acesso em: 28 jun. 2016.

BOYKO, A. et al. The BagIt File Packaging Format (V0.97), 2012. Disponível em: <http://www.digitalpreservation.gov/documents/bagitspec.pdf>. Acesso em: 12 jul. 2016.

CALIFORNIA DIGITAL LIBRARY. UC3 Curation Foundations. Rev. 0.13, 2010. 29 p. Disponível em: <https://confluence.ucop.edu/download/attachments/13860983/Merritt-latest.pdf?version=1&modificationDate=1269561985000>. Acesso em: 04 jul. 2016.

CHAN, Lois Mai; ZENG, Marcia Lei. Metadata interoperability and standardization: A study of methodology, Part I. D-Lib Magazine, v. 12, n. 6, p. 3, 2006.

CHAN, Lois Mai; ZENG, Marcia Lei. Metadata interoperability and standardization: A study of methodology, Part II. D-Lib magazine, v. 12, n. 6, p. 4, 2006.

CONSELHO NACIONAL DE ARQUIVOS. Diretrizes para a implementação de repositórios digitais confiáveis de documentos arquivísticos. Rio de Janeiro: Conarq, 2014. 25 p.

CONSULTATIVE COMMITTEE FOR SPACE DATA SYSTEMS, 2012, Reference model for an Open Archival Information System (OAIS): recommended practice CCSDS 652.0-M-2, Washington, DC: CCSDS, 2012. Disponível em: <http://public.ccsds.org/publications/archive/650x0m2.pdf>. Acesso em: 30 jun 2016.

DAPPERT, Angela; FARQUHAR, Adam. Modelling organizational preservation goals to guide digital preservation. International Journal of Digital Curation, v. 4, n. 2, p. 119-134, 2009. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/242084343_Modelling_Organizational_Preservation_Goals_to_Guide_Digital_Preservation>. Acesso em: 07 jul. 2016.

DAPPERT, Angela et al. Report on policy and strategy models for libraries, archives and data centres: PLANETS report PP2-D3. 2009. Disponivel em: <http://www.planets-project.eu/docs/reports/Planets_PP2_D3_ReportOnPolicyAndStrategyModelsM36_Ext.pdf>. Acesso em: 04 jul. 2016.

FARIA, L. et al. RODA: a service-oriented repository to preserve authentic digital objects. In INTERNATIONAL CONFERENCE ON OPEN REPOSITORIES,4, Atlanta, USA, 2009. International Conference on Open Repositories. [S.l. : s.n., 2009].

FERREIRA, Miguel; SARAIVA, Ricardo; RODRIGUES, Eloy. Estado da arte em preservação digital. 2012. Disponível em: <http://hdl.handle.net/1822/17049>. Acesso em: 28 jul. 2016.

HEERY, Rachel; PATEL, Manjula. Application profiles: mixing and matching metadata schemas. Ariadne, n. 25, 2000.

HIGGINS, Sarah. The DCC curation lifecycle model. International Journal of Digital Curation, v. 3, n. 1, p. 134-140, 2008. Disponível em: http://www.ijdc.net/index.php/ijdc/article/viewFile/69/48. Acesso em 06 jun. 2016.

HOCKX-YU, Helen; KNIGHT, Gareth. What to preserve?: significant properties of digital objects. International Journal of Digital Curation, v. 3, n. 1, p. 141-153, 2008. Disponível em <http://www.ijdc.net/index.php/ijdc/article/view/70/49>. Acesso em 30 jun. 2016.

MÁRDERO ARELLANO, Miguel Angel. Preservação de documentos digitais. Ciência da Informação, Brasília, v. 33, n. 2, p. 15-27, 2004. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ci/v33n2/a02v33n2.pdf>. Acesso em: 4 jan. 2007. DOI: 10.1590/S0100-19652004000200002.

MYLOPOULOS, J. Conceptual Modeling and Telos. In: Loucopoulos, Peri and Zicari, Roberto. Conceptual Modeling, database, and case: an integrated view of information systems development. New York: John Wiley & Sons, 1992. p. 49-68.

<http://dl.acm.org/citation.cfm?id=573368>. Acesso em 07 maio 2016.

PREMIS EDITORIAL COMMITTEE. PREMIS: Data Dictionary for Preservation Metadata version 3.0, 2015. Disponível em: <http://www.loc.gov/standards/premis/v3/premis-3-0-final.pdf>. Acesso em: 04 jul. 2016.

PRESERVACIÓN de documentos digitales: guía “Cómo empezar”: ISO/TC 46/SC 11. 2010. Disponível em: <http://www.arxivers.com/index.php/documents/documentacio-1/normativa-tecnica-1/514-tec-isotc46sc11-wg7-preserv-docs-digit-es-1/file>. Acesso em: 04 jul. 2016.

SCHULTZ, Matt et al. Building Institutional Capacity in Digital Preservation. In: IPRES Annual Conference, 2013. Disponível em: <http://purl.pt/24107/1/iPres2013_PDF/Building%20Institutional%20Capacity%20in%20Digital%20Preservation.pdf>. Acesso em: 12 jul.2016.

SIEBRA, S. A. et al. Curadoria digital: além da questão da preservação digital. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 14, 2013, Florianópolis. Anais... Florianópolis: UFSC, 2013. Disponível em: <http://www.egov.ufsc.br/portal/sites/default/files/curadoria_digital_0.pdf>. Acesso em: 22 jul. 2016.

VAN DER KNIJFF, Johan; WILSON, Carl. Evaluation of characterisation tools. SCAPE Project. 2014. Disponível em: <http://scape-project.eu/wp-content/uploads/2014/08/SCAPE_PC_WP1_identification21092011.pdf>. Acesso em: 12 jul. 2016.

VAN GARDEREN, Peter. Archivematica: Using micro-services and open-source software to deliver a comprehensive digital curation solution. In: PROCEEDINGS OF THE 7TH INTERNATIONAL CONFERENCE ON PRESERVATION OF DIGITAL OBJECTS, Vienna, Austria. 2010. p. 145-149

VAN GARDEREN, Peter; MUMMA, Courtney C. Realizing the Archivematica vision: delivering a comprehensive and free OAIS implementation. In: 10TH INTERNATIONAL CONFERENCE ON PRESERVATION OF DIGITAL OBJECTS. 2013. p. 84.

WALTERS, Tyler; SKINNER, Katherine. New Roles for New Times: Digital Curation for Preservation. Washington, DC: Association of Research Libraries, 2011. 76 p. Disponível em: https://vtechworks.lib.vt.edu/bitstream/handle/10919/10183/nrnt_digital_curation17mar11.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 15 jun. 2016.

A Revista Digital de Biblitoeconomia e Ciência da Informação /  Digital Journal of Library and Information Science utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto, em que:

  • A publicação se reserva o direito de efetuar, nos originais, alterações de ordem normativa, ortográfica e gramatical, com vistas a manter o padrão culto da língua, respeitando, porém, o estilo dos autores;
  • Os originais não serão devolvidos aos autores;
  • Os autores mantêm os direitos totais sobre seus trabalhos publicados na Revista Digital de Biblitoeconomia e Ciência da Informação /  Digital Journal of Library and Information Science, ficando sua reimpressão total ou parcial, depósito ou republicação sujeita à indicação de primeira publicação na revista, por meio da licença CC-BY;
  • Deve ser consignada a fonte de publicação original;
  • As opiniões emitidas pelos autores dos artigos são de sua exclusiva responsabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.