Banner Portal
O uso de aplicativos de saúde para dispositivos móveis como fontes de informação e educação em saúde
PDF
PDF (English)

Palavras-chave

Aplicativos móveis
Aprendizagem móvel
Competência informacional
Dispositivos móveis

Como Citar

OLIVEIRA, Ana Rachel Fonseca de; ALENCAR, Maria Simone de Menezes. O uso de aplicativos de saúde para dispositivos móveis como fontes de informação e educação em saúde. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, SP, v. 15, n. 1, p. 234–245, 2017. DOI: 10.20396/rdbci.v15i1.8648137. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/8648137. Acesso em: 25 maio. 2024.

Resumo

Os aplicativos para dispositivos móveis são novíssimas fontes de informação utilizadas fortemente por indivíduos hiperconectados, a chamada “geração polegar”, que além do uso recreativo recorre a estas tecnologias móveis em um contexto educacional inovando o esquema de ensino-aprendizagem. O artigo propõe que a biblioteca universitária seja utilizada como um espaço de ensino e incentivo ao uso de dispositivos móveis como ferramentas educativas, visto que o uso em massa de tablets e especialmente de smartphones reforçam o conceito de aprendizagem móvel e ampliam suas possíveis funções dentro do espaço físico da biblioteca. Na realidade de uma biblioteca universitária que tem como público-alvo alunos da área de saúde e, principalmente de Medicina, focaremos nos aplicativos de saúde como fontes de informação, comunicação e educação. Dentro deste cenário de inovações tecnológicas que modificam as formas de acesso e uso de informação científica, o bibliotecário deve assumir o papel de mediador e facilitador entre estes avanços tecnológicos e seus usuários em potencial. 

https://doi.org/10.20396/rdbci.v15i1.8648137
PDF
PDF (English)

Referências

AGGARWAL, Mayank; MATHUR, Akshay; KAREL, Yatin. Doctor App: A life saving Mobile Application. International Journal Of Computer Science and Information Technologies, v.5, n. 5, p.6290-6295, 2014. Disponível em: <http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.660.5973&rep=rep1&type=pdf> Acesso em: 20 ago. 2015.

AZEVEDO, Alexander Willian; BERAQUET, Vera Silvia Marão Fabiana Araujo. Formação e competência informacional do bibliotecário médico brasileiro. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, v. 7, n. 2, p. 199-218, 2010. Disponível em: <http://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/1964>. Acesso em: 17 mar. 2016.

BECKER, Stefan et al. mHealth 2.0: experiences, possibilities, and perspectives. JMIR mHealth and uHealth, v. 2, n. 2, p. e24, 2014. Disponível em: <http://mhealth.jmir.org/2014/2/e24/?trendmd-shared=0> Acesso em: 03 dez. 2015.

BORUFF, Jill ; STORIE, Dale. Mobile devices in medicine: a survey of how medical students, residents, and faculty use smartphones and other mobile devices to find information. Journal of the Medical Library Association, v. 102, n. 1, p. 22-39, 2014. Disponível em: <http://go.galegroup.com/ps/anonymous?id=GALE%7CA361185587&sid=googleScholar&v=2.1&it=r&linkaccess=fulltext&issn=15365050&p=AONE&sw=w&authCount=1&isAnonymousEntry=true > Acesso em: 31 mar. 2015.

CARVALHO, Maria Carmen Romcy de. Estabelecimento de padrões para bibliotecas universitárias. Brasília: ABDF, 1981.

CAVALCANTE, Lídia Eugenia et al. Competência em informação na área da Saúde. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, v. 3, n. 1, p. 87-104, 2012. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/incid/article/viewFile/42372/46043>. Acesso em: 20 ago. 2016.

CENTRO REGIONAL DE ESTUDOS PARA O DESENVOLVIMENTO DA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO (CETIC.BR.) TIC Governo Eletrônico 2015: órgãos públicos federais e estaduais. Disponível em: <http://cetic.br/pesquisa/governo-eletronico/indicadores >. Acesso em: 02 maio 2016.

CERIGATTO, Mariana Pícaro. Novos letramentos da informação. Anais do Encontro Internacional Tecnologia, Comunicação e Ciência Cognitiva, v. 2, n. 1, 2016. Disponível em: http://www.anais.tecccog.net/index.php/anais/article/view/52. Acesso em: 5 maio 2016.

CHAMBERLAIN, David; ELCOCK, Martin; PULIGARI, Preeti. The use of mobile technology in health libraries: a summary of a UK‐based survey. Health Information & Libraries Journal, v. 32, n. 4, p. 265-275, 2015.

CUNHA, Miriam Figueiredo Vieira da; ORELO, Eliane Rodrigues Mota. O bibliotecário e a competência informacional. Informação & Sociedade, v. 23, n.2, p.25-32, maio/ago. 2013. Disponível em: <http://www.ies.ufpb.br/ojs/index.php/ies/article/view/12892 >. Acesso em: 23 nov. 2015.

DAVIES, Bethany S. et al. Mobile Medical Education (MoMEd)-how mobile information resources contribute to learning for undergraduate clinical students-a mixed methods study. BMC medical education, v. 12, n. 1, p. 1, 2012. Disponível em: <http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.270.7450&rep=rep1&type=pdf> Acesso em: 07 out. 2015.

GOOGLE Play Store. Loja de aplicativos. Disponível em: <https://play.google.com/store> Acesso em: 05 maio 2016.

LAWTON, Aoife; BURNS, Jane. A review of competencies needed for health librarians: a comparison of Irish and international practice. Health Information & Libraries Journal, v. 32, n. 2, p. 84-94, 2015. Disponível em: <http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/hir.12093/abstract;jsessionid=6FF8876D2A8646C548C80B4B120D5429.f04t04> Acesso em: 14 abr. 2016.

MOURA, Adelina. Geração móvel: um ambiente de aprendizagem suportado por tecnologias móveis para a “Geração Polegar". In: Actas da VI Conferência Internacional de TIC na Educação – Desafios 2009. Braga: Universidade do Minho, 2009. p. 50-78. Disponível em: <http://repositorio.uportu.pt/jspui/bitstream/11328/472/1/Gera%C3%A7%C3%A3o%20M%C3%B3vel%282009%29.pdf> . Acesso em: 18 jan. 2016.

UNESCO. Diretrizes Políticas Para Aprendizagem Móvel. France: UNESCO, 2013. Disponível em: <http://unesdoc.unesco.org/images/0022/002277/227770por.pdf> Acesso em: 14 jun. 2015.

WALLACE, Sean; CLARK, Marcia; WHITE, Jonathan. ‘It's on my iPhone’: attitudes to the use of mobile computing devices in medical education, a mixed-methods study. BMJ open, v. 2, n. 4, p. e001099, 2012. Disponível em: <http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.690.5076&rep=rep1&type=pdf> Acesso em: 05 set. 2015.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2017 Ana Rachel Fonseca de Oliveira, Maria Simone de Menezes Alencar

Downloads

Não há dados estatísticos.