Banner Portal
Práticas leitoras e informacionais nas bibliotecas comunitárias em rede da Releitura - PE
PORTUGUES
INGLES
XML

Palavras-chave

Biblioteca comunitária. Leitura. Informação. Releitura –PE.

Como Citar

ALVES, Mariana de Souza; CORREIA, Anna Elizabeth Galvão Coutinho; SALCEDO, Diego Andres. Práticas leitoras e informacionais nas bibliotecas comunitárias em rede da Releitura - PE. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, SP, v. 16, n. 1, p. 211–237, 2017. DOI: 10.20396/rdbci.v16i1.8650064. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/8650064. Acesso em: 18 jun. 2024.

Resumo

Analisa as práticas leitoras e informacionais existentes em quatro bibliotecas comunitárias da Releitura-PE, a partir de dois pilares: das ações que ela realiza e das condutas/vivências/sentimentos dos sujeitos envolvidos com essas bibliotecas. Utiliza como embasamento teórico uma reflexão que busca discutir o conceito de leitura de maneira ampla, bem como sua relação com os conceitos de mediação e apropriação da informação e esboça considerações sobre o conceito de informação e suas implicações com as práticas informacionais. Realiza ainda explanação conceitual sobre bibliotecas comunitárias, buscando compreender as singularidades dessa tipologia de bibliotecas, bem como apresenta a Releitura. Do ponto de vista metodológico, realiza um estudo de caráter bibliográfico aliado a uma investigação empírica de coleta de informações acerca das bibliotecas comunitárias e coleta de depoimentos dos sujeitos que fazem parte dessas bibliotecas, tais como gestores, mediadores de leitura e interagentes, por meio de entrevistas semiestruturadas, as quais foram analisadas e categorizadas por meio da técnica de Análise de Conteúdo. Conclui que as práticas leitoras e informacionais dos sujeitos são múltiplas e se revelam tanto individualmente, nas maneiras de ler e de se informar, como coletivamente, nas seguintes práticas: gestão, organização e incidência política; formação e capacitação da equipe; comunicação e divulgação das ações; mediação de leitura e ações culturais; articulação com entidades locais e interação com a biblioteca. A biblioteca, por sua vez, foi considerada um espaço vivo, local de convivência, leitura, aprendizado e lazer, além de um instrumento de politização e desenvolvimento da cidadania e da autonomia dos sujeitos.

https://doi.org/10.20396/rdbci.v16i1.8650064
PORTUGUES
INGLES
XML

Referências

ALMEIDA, M. A. A informação, seus personagens e histórias. InCID: R. Ci. Inf. e Doc., Ribeirão Preto, v. 6, n. 1, p. 116-119, mar./ago. 2015. Resenha de: GLEICK, James. A informação: uma história, uma teoria, uma enxurrada. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

ALMEIDA JÚNIOR, O. F. Competência em Informação: algumas considerações críticas. 2016. Disponível em: < http://www.ofaj.com.br/colunas_conteudo.php?cod=966>. Acesso em: 15 jan. 2017.

ALMEIDA JÚNIOR, O. F. Bibliotecas públicas e alternativas: bibliografia comentada. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 26, n.1/2, p.115-127, jan./jun.1993. Disponível em: < http://www.brapci.inf.br/_repositorio/2011/10/pdf_a725a4bdc0_0019248.pdf>. Acesso em: 06 jun. 2015.

ALMEIDA JÚNIOR, O. F. Leitura, mediação e apropriação da informação. In: SANTOS, J.P. (Org.). A leitura como prática pedagógica na formação do profissional da informação. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, 2007. p. 33-45.

ALMEIDA JÚNIOR, O. F. Mediação da Informação e Múltiplas Linguagens. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, v. 2, p. 89-103, 2009.

ALMEIDA JÚNIOR, O. F.; BORTOLIN, S. Mediação da informação e da leitura. In: SILVA, T. E. (Org.). Interdisciplinaridade e transversalidade em Ciência da Informação.Nectar, Recife, v. 1, p. 67-86, 2008.

ARAÚJO, C. A. A. Teoria matemática da comunicação e a questão da interdisciplinaridade. Revista Cesumar Ciências Humanas e Sociais Aplicadas, v.16, n. 2, p. 545-570, set./dez. 2011.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2008.

BARRETO, A. A. A condição da informação. São Paulo em Perspectiva, v. 16, n. 3, p. 67-74, 2002.

BERGER, P.; LUCKMANN, T. A construção social da realidade: tratado de sociologia do conhecimento. 36. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

BUCKLAND, M. Information as thing. Journal of the American Society of Information Science, v. 42, n. 5, p. 351-360, 1991.

CÂNDIDO, A. Direito à Literatura. In: LIMA, A. de et al. O direito à literatura. Recife: Ed. Universitária da UFPE, 2012. p. 17-40.

CAPURRO, R. Epistemologia e ciência da informação. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 5, 2003, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte, MG: Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciência da Informação e Biblioteconomia, 2003. 1 CD-ROM.

CAPURRO, R.; HJØRLAND, B. O conceito de informação. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 12, n. 1, p. 148-207, jan./abr. 2007.

COSSON, R. Círculos e leitura e letramento literário. São Paulo: Contexto, 2014.

CUNHA, M. B.; AMARAL, S. A.; DANTAS, E. B. Manual de estudo de usuários da informação. São Paulo: Atlas, 2015.

FERNANDEZ, M. A. A.; MACHADO, E. Bibliotecas públicas: um equipamento cultural para o desenvolvimento local: guia político-pedagógico para ampliação do número de bibliotecas públicas no Brasil. Recife: Centro de Desenvolvimento e Cidadania, 2016.

FREIRE, P. A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. 51. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

GUARALDO, T. S. B. Práticas de informação e leitura: a mediação leitor e jornal na leitura diária. 2012. 240f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, São Paulo, 2012.

MACHADO, E. C. Bibliotecas comunitárias como prática social no Brasil. 2008. 184f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Universidade de São Paulo, 2008.

MARTINS, M. H. O que é leitura. São Paulo: Brasiliense, 1997.

NEITZEL, A. A; BRIDON, J.; WEISS, C. S. Mediações em leitura: encontros na sala de aula. Rev. bras. Estud. pedagog., Brasília, v. 97, n. 246, p. 305-322, mai./ago. 2016.

PETIT, M. Os jovens e a leitura: uma nova perspectiva. São Paulo: Editora 34, 2008.

RELEITURA BIBLIOTECAS EM REDE: fortalecendo conexões leitoras. Projeto submetido ao Prêmio Viva Leitura. Recife, 2014. Disponível em: . Acesso em: 05 abr. 2016.

RELEITURA. Bibliotecas comunitárias em rede: para tecer os futuros nas teias da literatura e da criatividade. [2013]. 1 folder. Apoio Instituto C&A, Centro de Estudos em Educação e Linguagem e Centro de Cultura Luiz Freire.

RITER, C. A formação do leitor literário em casa e na escola. São Paulo: Biruta, 2009.

SAVOLAINEN, R. Information behavior and information practice: reviewing the “umbrella concepts” of information-seeking studies. Library Quarterly, v. 77, n. 2, p. 109-132, 2007.

SAVOLAINEN, R. Everyday information practices: a social phenomenological perspective. Lanham, MD: Scarecrow Press, 2008.

SILVA, A.; NUNES, J. Práticas informacionais como paradigma: por uma teoria social da informação. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 15, 2013, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte, MG: ECI, UFMG. 1 CD-ROM.

WERSIG, Gernot; NEVELING, Ulrich.Os fenômenos de interesse para a ciência da informação. Texto publicado originalmente em inglês no Periódico Information Scientist, v.9, n.4, p.127-140, dec., 1975. Disponível em: < http://www.alvarestech.com/lillian/GestaoDaInformacao/Rogerio/WersigNeveling.pdf>. Acesso em: 23 jan. 2016.

A Revista Digital de Biblitoeconomia e Ciência da Informação /  Digital Journal of Library and Information Science utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto, em que:

  • A publicação se reserva o direito de efetuar, nos originais, alterações de ordem normativa, ortográfica e gramatical, com vistas a manter o padrão culto da língua, respeitando, porém, o estilo dos autores;
  • Os originais não serão devolvidos aos autores;
  • Os autores mantêm os direitos totais sobre seus trabalhos publicados na Revista Digital de Biblitoeconomia e Ciência da Informação /  Digital Journal of Library and Information Science, ficando sua reimpressão total ou parcial, depósito ou republicação sujeita à indicação de primeira publicação na revista, por meio da licença CC-BY;
  • Deve ser consignada a fonte de publicação original;
  • As opiniões emitidas pelos autores dos artigos são de sua exclusiva responsabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.