Resenha: Como não escrever um artigo médico

Palavras-chave: Artigos - Resenha. Produção científica - Resenha

Resumo

O livro escrito por Markus K. Heinemann, Phd e especialista em cirurgia vascular, torácica e cardíaca, pela Universitatsmedizin Mains, na Alemanha, tem por objetivo apontar os erros mais comuns ao se escrever um artigo médico. Na sua experiência como editor-chefe da revista científica The Thoracic and Cardiovascular Surgeon, entrou em contato com diversos tipos de artigos com erros recorrentes e, a partir daí, surgiu a ideia para um guia passo a passo de como evitá-los, levando em consideração todos os pormenores que a escrita científica e acadêmica exige. Levando em consideração que, muitas vezes, a linguagem de um artigo científico é extremamente complexa e por vezes inacessível, o autor propõe escrever algo simples que seja de fácil acesso e entendimento para o leitor de modo que o leitor também possa escrever artigos médicos com linguagem clara e acessível. As falhas dos artigos, segundo o autor, são de ordens editoriais e repetidas cotidianamente, nesse sentido o manual contribui significativamente para o entendimento de todo o processo de elaboração de um artigo médico, desde a escrita à publicação.

Biografia do Autor

Jacqueline Messias dos Santos, Universidade Estadual de Campinas
Estudante de Letras no Instituto de Estudos da Linguagem/UNICAMP. Bolsista do Portal de Periódicos Eletrônicos Científicos/UNICAMP. Assistente editorial da RDBCI.
Gildenir Carolino Santos, Universidade Estadual de Campinas
Pós-Doutor em Divulgação Científica pelo Labjor/UNICAMP. Administrador do Portal. Bibliotecário responsável pelo Portal de Periódicos Eletrônicos Científicos - UNICAMP.

Referências

HEINEMANN, Markus K. Como não escrever um artigo médico: um guia prático. Rio de Janeiro: Thieme, 2016. 94 p. ISBN 978-85-67661-19-3.

Publicado
2018-04-25
Como Citar
Santos, J. M. dos, & Santos, G. C. (2018). Resenha: Como não escrever um artigo médico. RDBCI: Revista Digital De Biblioteconomia E Ciência Da Informação, 16(2), 543-547. https://doi.org/10.20396/rdbci.v16i2.8652333