Abordagens metodológicas das pesquisas em organização e representação do conhecimento no contexto brasileiro

Palavras-chave: Organização do conhecimento, Ciência da Informação, Método de pesquisa.

Resumo

O conhecimento científico é caracterizado como racional, sistemático e verificável, sua verificação é viabilizada por meio de metodologias científicas. A construção do conhecimento científico requer métodos que forneçam um aporte adequado às características das diferentes áreas. Esse estudo direciona sua análise para a Organização do Conhecimento, que evidencia-se como nuclear na Ciência da Informação pois, dito de forma simplista, viabiliza a organização da informação por meio da explicitação de conceitos e suas relações, de forma contextualizada, possibilitando a recuperação. Apresenta como objetivo conhecer os enfoques metodológicos utilizados pelos pesquisadores da área de Organização do Conhecimento no Brasil. A pesquisa é de natureza quali-quantitativa, caracteriza-se como exploratória e utiliza como procedimento metodológico a pesquisa bibliográfica. O corpus é composto por 184 trabalhos apresentados no Grupo de Trabalho 2 do Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação (PGCIN) entre os anos 2013 e 2017. Observa-se uma predominância de trabalhos com abordagem qualitativa (90,2%), o que condiz com a natureza do objeto estudado: o conceito. É possível verificar que a maior parte das pesquisas (76%) é teórica, ou seja, verificam, analisam e/ou constroem teorias. 82 trabalhos analisados apresentam mais de um procedimento metodológico, e desses, 4 apresentam mais que 2 procedimentos metodológicos. Verifica-se que, apesar das indicações de submissão, é recorrente a ausência de indicação clara dos procedimentos metodológicos adotados, fragilizando a validação das pesquisas. Conclui que as pesquisas em Organização do Conhecimento, no contexto brasileiro, desenvolvem pesquisas com abordagens qualitativas, teóricas e que são fomentadas pela própria literatura científica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Camila Monteiro de Barros, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutora em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professora do Departamento de Ciência da Informação da Universidade Federal de Santa Catarina.

Luciane Paula Vital, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutora em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professora no Departamento de Ciência da Informação da Universidade Federal de Santa Catarina.

Referências

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO - ENANCIB, 18., 2017. Disponível em: http://enancib.marilia.unesp.br/index.php/xviiienancib/ENANCIB. Acesso em: 31 jul. 2018.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GUIMARÃES, J. A. C. Análise de domínio como perspectiva metodológica em organização da informação. Ci. Inf., Brasília, DF, v. 41 n. 1, p.13-21, jan./abr., 2014. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1415. Acesso em: 31 jul. 2018.

HJØRLAND, B. Theory and metatheory of Information Science: a new interpretation. Journal of Documentation, [London], v. 54, n. 5, p. 606-621, Dec. 1998.

JAPIASSÚ, H.; MARCONDES, D. Dicionário Básico de Filosofia. 4º. ed. atual. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. Ed, 2006.

LARROSA, J. O ensaio e a escrita acadêmica. Educação & Realidade, v. 28, n. 2, p. 101-115, 2003. Disponível em: http://www.seer.ufrgs.br/index.php/educacaoerealidade/article/view/25643/14981. Acesso em: 22 jun. 2018.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

SALDANHA, G. S. Tradições epistemológicas nos estudos de organização dos saberes: uma leitura histórico-epistêmica a partir da filosofia da linguagem. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v. 6, n. 2, p. 300-315, 2010. Disponível em: http://revista.ibict.br/liinc/article/view/3259. Acesso em: 31 jul. 2018.

SALES, R. O diálogo entre a organização do conhecimento e a Ciência da Informação na comunidade científica da isko-brasil. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 16., 2015, João Pessoa. Anais... João Pessoa: UFPB, 2015. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/article/view/0000017439/57ebfeb65f1964d27bbc53ff108bf22d. Acesso em: 31 jul. 2018.

SMIRAGLIA, R.P. The epistemological dimension of knowledge organization. IRIS-Revista de Informação, Memória e Tecnologia, Fortaleza, v. 2, n. 1, p. 2-11, 2013. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/IRIS/article/view/498. Acesso em: 22 jun 2018.

VALENTIM, M. L. P. (Org.). Métodos qualitativos de pesquisa em ciência da informação. São Paulo: Polis, 2005.

WEISS, L.C.; BRÄSCHER, M. Pragmática na organização do conhecimento. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 15., 2014, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: UFMG, 2014. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/article/view/0000015907/8020b4c345c571fa38cae236f574feb3/. Acesso em: 31 jul. 2018.

WERSIG, G. Information Science: the study of postmodern knowledge usage. Information Processing & Management, v. 29, n. 2, 1993. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/030645739390006Y. Acesso em: 31 jul. 2018.

Publicado
2019-05-22
Como Citar
Barros, C. M. de, & Vital, L. P. (2019). Abordagens metodológicas das pesquisas em organização e representação do conhecimento no contexto brasileiro. RDBCI: Revista Digital De Biblioteconomia E Ciência Da Informação, 17, e019018. https://doi.org/10.20396/rdbci.v17i0.8653734