Análise de domínio de políticas institucionais de acesso aberto no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rdbci.v20i00.8670092

Palavras-chave:

Acesso livre, Políticas de informação, Análise de domínio, Organização do conhecimento

Resumo

Introdução: O Acesso Aberto à literatura científica é um movimento que se desenvolve há mais de duas décadas e se torna mais complexo como domínio de conhecimento. Com os avanços da área, algumas instituições criam políticas de acesso aberto que expressam normas, valores e paradigmas acerca do tema. Objetivo: Este estudo tem como objetivo a identificação dos aspectos fundamentais do acesso aberto em suas representações presentes nas políticas institucionais brasileiras. Metodologia: Utiliza como abordagem qualitativa a análise de domínio, e o percurso teórico-metodológico da análise de conteúdo por meio da aplicação da técnica categorial. Realiza o mapeamento dos documentos a partir do diretório de políticas de acesso aberto Melibea. Resultados: Aponta que há um reconhecimento da importância do acesso aberto como estratégia para democratização e universalização do conhecimento para a sociedade e indica aspectos importantes na visão das instituições brasileiras analisadas como direitos autorais, preservação e dados abertos. Conclusão: Conclui que há relações terminológicas a serem consideradas no domínio do acesso aberto e que as políticas são importantes para alinhar institucionalmente a compreensão sobre conceitos fundamentais e orientar as práticas de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Luísa Chaves Café, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Santa Catarina (Florianopólis, SC- Brasil).

Vanessa Oliveira de Macêdo Cavalcanti, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Santa Catarina (Florianopólis, SC - Brasil).

Camila Monteiro de Barros, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutora em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Santa Catarina (Florianopólis, SC - Brasil).

Luciane Paula Vital, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutora em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Santa Catarina. Professora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Santa Catarina (Florianopólis, SC - Brasil).

Edgar Bisset Alvarez, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutor em Ciências da Informação pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Professor do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Santa Catarina (Florianopólis, SC - Brasil).

Referências

ALBAGLI, S.; CLINIO, A.; RAYCHTOCK, S. Ciência Aberta: correntes interpretativas e tipos de ação. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v.10, n.2, p. 434-450, nov. 2014. Disponível em: https://doi.org/10.18617/liinc.v10i2.749. Acesso em: 04 set. 2020. DOI: https://doi.org/10.18617/liinc.v10i2.749

ALBORNOZ, D. et al. FramingPower: Tracing Key Discourses in Open Science Policies. In: ELPUB, 22., jun 2018, Toronto. Proceedings [...]. Lyon: HAL, 2018. DOI 10.4000/proceedings.elpub.2018.23. Disponível em: https://hal.archives-ouvertes.fr/hal-01816725. Acesso em: 11 maio 2022.

AMORIM, I. S.; CAFÉ, L. Os conceitos de comunidade discursiva, domínio e linguagem na análise de domínio hjørlandiana. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 17., 2016, Salvador. Anais… Salvador: UFBA, 2016. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/v/190585. Acesso em: 22 ago. 2021.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

BOAI. Budapest Open Access Initiative. Dez anos da Iniciativa de Budapeste em Acesso Aberto: a abertura como caminho a seguir. Budapest: Open Society Foundations, 2012. Traduzida para português brasileiro. Disponível em: https://www.budapestopenaccessinitiative.org/boai10/portuguese-brazilian-translation/. Acesso em: 07 set. 2020.

COSTA, M. P.; LEITE, F. C. L. Repositórios institucionais da América Latina e o acesso aberto à informação científica. Brasília: IBICT, 2017. Disponível em: https://repositorio.unb.br/handle/10482/23202. Acesso em: 06 set. 2020.

DECLARAÇÃO DE BERLIN. Conference on Open Access to Knowledge in the Sciences and Humanities. Berlin, 2003. Disponível em: https://openaccess.mpg.de/Berlin-Declaration. Acesso em: 06 set. 2020.

DECLARAÇÃO DE BETHESDA. Meeting on Open Access Publishing. Bethesda, 2003. Disponível em: https://legacy.earlham.edu/~peters/fos/bethesda.htm. Acesso em: 06 set. 2020.

DIAS, C. C. A análise de domínio, as comunidades discursivas, a garantia de literatura e outras garantias. Informação & Sociedade, João Pessoa, v. 25, n. 2, 2015. https://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/ies/article/view/7. Acesso em: 05 ago. 2021.

FREITAS, L. M.; ALBUQUERQUE, A. C. As abordagens da análise de domínio como aporte metodológico para a classificação arquivística. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, João Pessoa, v. 10, n. 2, ago./dez. 2017. Disponível em: https://revistas.ancib.org/index.php/tpbci/article/view/424. Acesso em: 22 ago. 2021.

FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DE SÃO PAULO. Conselho Técnico-Administrativo. Portaria CTA nº 01/2019. Anexo I - Política para Acesso Aberto às Publicações Resultantes de Auxílios e Bolsas FAPESP. Alterado pela Portaria CTA n. 37, de 27 de outubro de 2021. São Paulo: FAPESP, 2019. Disponível em: https://bit.ly/3RwPdeX. Acesso em: 10 abr. 2021.

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Presidência. Portaria 329/2014-PR retificada por 382/2014-PR. Institui a Política de Acesso Aberto ao Conhecimento, visando garantir à sociedade o acesso gratuito, público e aberto ao conteúdo integral de toda obra intelectual produzida pela Fiocruz. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2014. Disponível em: https://bit.ly/3ReOOhy. Acesso em 29 ago. 2021.

GUIMARÃES, J. A. C. Análise de domínio como perspectiva metodológica em organização da informação. Ci. Inf., Brasília, DF, v. 41 n. 1, p.13-21, jan./abr., 2014. DOI 10.18225/ci.inf.v43i1.1415. Disponível em: https://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1415. Acesso em: 30 jul. 2021.

HARNAD, S.; BRODY, T. Comparing the Impact of Open Access (OA) vs. Non-OA Articles in the Same Journals. D-Lib Magazine, Virginia, USA, v. 10, n. 6. jun. 2004. DOI 10.1045/june2004-harnad. Disponível em: http://www.dlib.org/dlib/june04/harnad/06harnad.html. Acesso em: 06 set. 2020.

HJØRLAND, B. Domain analysis in information science: eleven approaches–traditional as well as innovative. Journal of Documentation, Bingley, United Kingdom, v. 58, n. 4, p. 422-462, 2002. DOI: https://doi.org/10.1108/00220410210431136

HJØRLAND, B. Fundamentals of knowledge organization. Knowledge Organization, Edmonton, Canada, v.30, n.2, p.87-111, 2003. Disponível em: https://www.ergon-verlag.de/isko_ko/downloads/ko3020032e.pdf. Acesso em 28 ago. 2021.

LEITE, F. C. L. Como gerenciar e ampliar a visibilidade da informação científica brasileira: repositórios institucionais de acesso aberto. Brasília: IBICT, 2009.

NEGRI, F. Políticas públicas para ciência e tecnologia no brasil: cenário e evolução recente. Brasília: IPEA, 2021. (Nota Técnica. Diset, 92). Disponível em: https://bit.ly/3QkfThU. Acesso em: 3 ago. 2022.

OPEN SCIENCE SPAIN. Políticas MELIBEA: directorio y estimador de políticas em favor del acceso abierto a la producción científica. [2021]. Disponível em: https://politicas.opensciencespain.org/. Acesso em: 02 ago. 2022.

RIOS, F. P.; LUCAS, E. R. O.; AMORIM, I. S. Manifestos do movimento de acesso aberto: Análise de Domínio a partir de periódicos brasileiros. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 15, n. 1, p. 148-169, 2019. Disponível em: https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/1152. Acesso em: 29 jul. 2021.

SILVEIRA, L. et al. Ciência aberta na perspectiva de especialistas brasileiros: proposta de taxonomia. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, Florianópolis, v. 26, p. 1-27, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.5007/1518-2924.2021.e79646. Acesso em: 30 jul. 2021. DOI: https://doi.org/10.5007/1518-2924.2021.e79646

SUBER, P. Open Access overview. 2013. Disponível em: http://legacy.earlham.edu/~peters/fos/overview.htm. Acesso em: 06 set. 2020.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. Deliberação CONSU-A-050/2020, de 06 de outubro de 2020. Institui a Política Institucional de Acesso Aberto à Produção Intelectual e Científica da Universidade Estadual de Campinas e estabelece os repositórios oficiais de depósito das produções. Campinas: Unicamp, 2020. Disponível em: https://www.pg.unicamp.br/norma/23869/0. Acesso em: 29 ago. 2021.

UNIVERSITAT DE BARCELONA; CSIC; UNIVERSITAT DE VALENCIA; MINISTERIO DE ECONOMIA Y COMPETITIVIDAD. El proyecto de investigación Open Science Spain. [2021]. Disponível em: https://opensciencespain.org/es/investigacion/. Acesso em: 04 ago. 2021.

Publicado

2022-09-03

Como Citar

CAFÉ, L. C.; CAVALCANTI, V. O. de M.; BARROS, C. M. de; VITAL, L. P.; BISSET ALVAREZ, E. Análise de domínio de políticas institucionais de acesso aberto no Brasil. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, SP, v. 20, n. 00, p. e022020, 2022. DOI: 10.20396/rdbci.v20i00.8670092. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/8670092. Acesso em: 2 dez. 2022.