Banner Portal
Vigilância do fluxo informacional e privacidade no ambiente digital
Simulação de ambiente digital seguindo o fluxo da informação
PDF
PDF (English)
ÁUDIO
VÍDEO
PARECER A
PARECER B

Palavras-chave

Informação
Ética na informação
Direito à privacidade
Redes sociais
Sociedade da informação

Como Citar

MOREIRA, Arnaldo Luis Darg; RAZZOLINI FILHO, Edelvino; ADRIÃO, Milton Cesar. Vigilância do fluxo informacional e privacidade no ambiente digital. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, SP, v. 21, n. 00, p. e023012, 2023. DOI: 10.20396/rdbci.v21i00.8671505. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/8671505. Acesso em: 22 abr. 2024.

Dados de financiamento

Resumo

Introdução: A crescente oferta de produtos e serviços em ambiente virtual resultaram em significativo aumento do volume dos dados pessoais e organizacionais que transitam por redes de dados e são armazenados em diferentes locais, por diferentes entidades. As interações neste ambiente são monitoradas continuamente, seja por necessidades relacionadas a interesses de empresas ou organizações, seja para coibir práticas ilícitas as mais diversas. Estas atividades de monitoração, que configuram um estado de permanente vigilância, suscitam preocupações relacionadas com o tratamento dos dados coletados e processados, com importantes implicações éticas e legais, e que podem não estar devidamente cobertas pelos instrumentos legais. Objetivo: A pesquisa procurou identificar que os estudos publicados entre 2010 e 2020 tratam de questões éticas ou legais relacionadas com a privacidade no ambiente virtual. Metodologia: Foi realizada uma revisão da literatura, adotando como técnica a análise de conteúdo. Como recurso tecnológico foi utilizado o software Excel® e o ATLAS.TI®.  Resultados: Apenas 19 dos 39 documentos encontrados estão alinhados com o objetivo da pesquisa, a maioria dos quais teses e dissertações. As publicações estão concentradas na segunda metade do período analisado. Conclusão: as análises evidenciaram uma crescente necessidade em monitorar as informações que circulam no ambiente virtual, envolvendo emissor e receptor, abarcando questões de segurança, aumento do volume de dados, novas tecnologias, crimes cibernéticos entre outras questões. A quantidade e a distribuição dos artigos ao longo do período analisado indicam que estes temas demandam ainda maiores investigações, contemplando perspectivas mais abrangentes das atividades de monitoração em ambientes virtuais.

https://doi.org/10.20396/rdbci.v21i00.8671505
PDF
PDF (English)
ÁUDIO
VÍDEO
PARECER A
PARECER B

Referências

ANTEPROJETO de Lei de Proteção de Dados para segurança pública e persecução penal. Brasília, 2020. Disponível em: http://bit.ly/3rxXfwe. Acesso em: 23 jul. 2023.

ASSMANN, H. A metamorfose do aprender na sociedade da informação. Ciência da informação, Brasília, v. 29, p. 07-15, 2000. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ci/a/ShzKdLbqJDPfssvSw9xWPrw. Acesso em: 14 dez. 2021.

AZEVEDO, C. P. G. de et al. Nota técnica: análise comparativa entre o anteprojeto de LGPD penal e o PL 1515/2022. Instituto de Referência em Internet e Sociedade (IRIS) e Laboratório de Políticas Públicas e Internet (LAPIN), novembro de 2022. Disponível em: https://tinyurl.com/brmkxym6. Acesso em: 20 jul. 2023.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2010.

BALL, C; WEBSTER, F. The intensification of surveillance: crime, terrorism and warfare in the Information age. London: Pluto Press, 2003.

BARRETO, Aldo de Albuquerque. A questão da informação. São Paulo em perspectiva, São Paulo, v. 8, n. 4, p. 3-8, 1994. Disponível em: https://binged.it/3OvEZeg. Acesso em: 08 nov. 2021.

BRASIL. Lei nº 13.709, de 14 de agosto de 2018. Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD). Brasília, 2018. Disponível em: https://tinyurl.com/ye2ydbm9. Acesso em: 08 nov. 2021.

BRASIL. Lei nº 13.853, de 8 de julho de 2019. Altera a Lei nº 13.709, de 14 de agosto de 2018, para dispor sobre a proteção de dados pessoais e para criar a Autoridade Nacional de Proteção de Dados; e dá outras providências. Brasília, 2019. Disponível em: https://tinyurl.com/4ejwzcf4. Acesso em: 08 nov. 2021.

BRASIL. Câmara dos Deputados. PL 1515/2022: Projeto de Lei de Proteção de Dados Pessoais para fins exclusivos de segurança do Estado, de defesa nacional, de segurança pública, e de investigação e repressão de infrações penais. Brasília, 2022. Disponível em: https://www.camara.leg.br/propostas-legislativas/2326300. Acesso em: 22 jul. 2023.

CALDEIRA, C; SARLET; G. B. S. O consentimento informado e a proteção de dados pessoais de saúde na internet. Civilistica.com, Rio de Janeiro, v. 8, n. 1, p. 2-27, 2019. Disponível em: https://run.unl.pt/handle/10362/94969. Acesso em: 17 nov. 2021.

CANONGIA, C; MANDARINO JUNIOR, R. Segurança cibernética: o desafio da nova Sociedade da Informação. Parcerias Estratégicas, Brasília, v. 14, n. 29, p. 21-46, 2010. Disponível em: https://tinyurl.com/ybnbn52j. Acesso em: 15 dez. 2021.

CAPURRO, R; HJORLAND, B. O conceito de informação. Perspectivas em ciência da informação, Belo Horizonte, v. 12, p. 148-207, 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pci/a/j7936SHkZJkpHGH5ZNYQXnC. Acesso em: 11 nov. 2021.

CARANDINA, T. Da gestão da informação ao comportamento informacional. Revista Científica Multidisciplinar, São Paulo, v. 2, n. 3, p. 20-35, 2021. Disponível em: https://recima21.com.br/index.php/recima21/article/view/133. Acesso em: 22 abr. 2022.

CORTELLA, M. S. Qual é a tua obra? Inquietações propositivas sobre gestão, liderança e ética. Rio de Janeiro: Vozes, 2017.

CELLA, J R. G; ROSA, L. A. S. Controle social e necessidade de proteção de dados pessoais. Revista de Direito Brasileira, Passo Fundo, v. 6, n. 3, p. 216-231, 2013. Disponível em: https://indexlaw.org/index.php/rdb/article/view/2748. Acesso em: 11 nov. 2021.

CHOO, C. W. A Organização do conhecimento. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2003.

COOPER, D. R.; SCHINDLER, P. S. Métodos de pesquisa em administração. 7. ed. Porto Alegre: Bookman, 2003.

DAMIÃO, A. K. Guerra cibernética: proteção cibernética monitoramento de redes e sistemas e levantamentos de vulnerabilidades. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Ciências Militares com ênfase em Gestão Operacional). Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais, Rio de Janeiro, 2018. Disponível em: https://tinyurl.com/y27jr4sx. Acesso em: 18 nov. 2021.

FREITAS, H. et. al. Informação para a decisão. Porto Alegre: Ortiz, 1997.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo, Atlas, 2002.

GOULART, L. A criação de perfis falsos por agentes policiais para investigação do crime de tráfico de drogas no ambiente virtual com base na Lei nº 13.964/2019. 2021. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharel em Direito). Universidade do Sul de Santa Catarina, Tubarão, 2021. Disponível em: https://tinyurl.com/vhbwuktf. Acesso em: 19 dez. 2021.

HENSCHKE, A. Ethics in na age of surveillance: personal information and virtual identities. Cambrige: Cambridge University Press, 2017. ISBN 978-1-107-13001-2.

HOFFMANN, W. A. M. Monitoramento da informação e inteligência competitiva: realidade organizacional. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, São Paulo, v. 2, n. 2, p. 125-144, 2011. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/incid/article/view/42356. Acesso em: 17 de out. 2021.

LÉVY, P. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 2008.

LIMA, J. D. Discurso de ódio em ambiente virtual: contribuições da gestão da informação para aumento da eficiência na investigação policial. 2020. Dissertação (Programa de Mestrado em Ciência da Informação). Universidade Federal de Santa Catarina, Santa Catarina, 2020. Disponível em: https://tinyurl.com/bd8fbnsw. Acesso em: 19 nov. 2021.

MALVEIRA, A. C. A Espetacularização da identidade virtual nas redes sociais. In:

CONGRESSO DE COMUNICAÇÃO DA REGIÃO SUL, 12., 2011, Londrina-PR. Anais do [...]. São Paulo: Intercom, 2011, p.1-13. Disponível em: https://tinyurl.com/yvmh6kcf. Acesso em: 05 dez. 2021.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed. Ed. Atlas. São Paulo, 2003.

MELO CUNHA, B. E. et al. As dificuldades da implementação da LGPD no Brasil. Revista Projetos Extensionistas, Pará de Minas, v. 1, n. 2, p. Disponível em: https://periodicos.fapam.edu.br/index.php/RPE/article/view/391. Acesso em: 19 dez. 2021.

MONTEIRO, R. L. Existe um direito à explicação na Lei Geral de Proteção de Dados do Brasil. Artigo estratégico, Rio de Janeiro, v. 39, p. 1-14, 2018. Disponível em: https://bit.ly/2K0TcS5. Acesso em: 19 dez. 2021.

RAZZOLINI FILHO, E. Introdução à gestão da informação: a informação para organizações no século XXI. Curitiba: Juruá, 2020.

SANTOS, D. F.; SANTOS, M. C.; SANTOS, A. F.; MOREIRA, A. L. D. Análise do processo da tomada de decisão em empresas familiares. Administração de Empresas em Revista, São Paulo, v. 4, n. 26, p. 162-181, 2021. Disponível em: http://revista.unicuritiba.edu.br/index.php/admrevista/article/view/4925. Acesso em: 20 abr. 2022.

VAN DIJCK, J. Confiamos nos dados? As implicações da datificação para o monitoramento social. Matrizes, São Paulo, v. 11, n. 1, p. 39-59, 2017. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/1430/143050607004.pdf. Acesso em: 10 dez. 2021.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Arnaldo Luis Darg Moreira, Edelvino Razzolini Filho, Milton Cesar Adrião

Downloads

Não há dados estatísticos.