Banner Portal
Gestão da informação no setor bancário
Imagem de uma pessoa digitando em meio de perspectivas virtuais
PDF
PDF (English)
ÁUDIO
VÍDEO
PARECER A
PARECER B

Palavras-chave

Gestão da informação.
Acesso
Organização da informação

Como Citar

MORAES, Silvana de Souza; DAMIAN, Ieda Pelogia Martins. Gestão da informação no setor bancário: análise por meio do discurso do sujeito coletivo. RDBCI: Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, SP, v. 22, n. 00, p. e024004, 2024. DOI: 10.20396/rdbci.v22i00.8674873. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/8674873. Acesso em: 21 jul. 2024.

Resumo

Introdução:  A gestão da informação contribui para o desenvolvimento das organizações, à medida que possibilita a disponibilização, acesso e uso da informação para a tomada de decisões. Objetivo:   Este   artigo   busca apresentar os desafios da gestão da informação no nível estratégico de uma empresa do setor bancário.  Metodologia:    Utilizou-se da entrevista como instrumento de coleta de dados que formam analisados por meio do Discurso do sujeito coletivo, com a identificação de três categorias de análise, quais sejam acesso, registro e organização.  Resultados: Foram identificadas a dificuldade de acesso e compreensão da informação e a necessidade de recorrer a especialistas, ao dono da informação; além do grande volume de informações e tempo escasso para acesso e interação com elas e de não haver incentivo ou valorização do registro de informações em desenvolvimento de projetos e a existência de múltiplos canais que dificultam o acesso e apropriação da informação pelos sujeitos. Conclusão: Os resultados apontam a necessidade de maior atenção ao usuário nos processos de gestão da informação, a fim de propiciar o acesso adequado e facilitado aos repositórios de informação, o gerenciamento dos canais disponíveis, o incentivo ao registro e a necessidade do descarte da informação obsoleta.

https://doi.org/10.20396/rdbci.v22i00.8674873
PDF
PDF (English)
ÁUDIO
VÍDEO
PARECER A
PARECER B

Referências

AIRES, R. W. do A.; FREIRE, P. S.; SOUZA, J. A. Educação corporativa como ferramenta para estimular a inovação nas organizações: uma revisão de literatura. In: VIEIRA, A. C. Pinto; ZILLI, J. C.; BRUCH, K. L. (org.). Propriedade intelectual, desenvolvimento e inovação: ambiente institucional e organizações. Criciúma: EDIUNESC, 2017. p. 253-276.

ALAVI, M.; KAYWORTH, T.R.; LEIDNER, D.E. An empirical examination of the influence of organizational culture on knowledge management practices. Journal of Management Information Systems, London, v. 22, n. 3, p. 191-224, 2006.

ALMEIDA JÚNIOR, O. F. Mediação da informação e múltiplas linguagens. Pesquisa Brasileira de Ciência da Informação, João Pessoa, PB, v.2, n.1, p. 89-103, 2009.

ALTINDAĞ, Ö.; ÖNGEL, V. Information Management, Organizational Intelligence, and Innovation Performance Triangle: Empirical Research on Turkish IT Firms. SAGE Open, Berlin, v.11, n.04, 2021.

BARMEYER, C.; MAYRHOFER, U.; WÜRFL, K. Informal information flows in organizations: The role of the Italian coffee break. International Business Review, London, v. 28, p. 796–801, 2019.

BEAL, A. Gestão estratégica da informação: como transformar a informação e a tecnologia da informação em fatores de crescimento e de alto desempenho nas organizações. São Paulo: Atlas, 2007.

BRAGA, A. A gestão da informação. Millenium, Viseu, Portugal, v. 19, 2000.

BUCKLAND, M. K. Information as things. Journal of the American Society for Information Science, Leesburg, v. 45, n. 5, p. 351-360, 1991.

CARDOSO, O. O. Comunicação empresarial versus comunicação organizacional: novos desafios teóricos. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, RJ, v. 40, n. 6, p.1123-1144, 2006.

CERANTOLA, W. A. Comunicação interna: conceitos, liderança e alternativas de gestão. In: KUNSCH, M. M. K. Comunicação organizacional estratégica: aportes conceituais aplicados. Org. São Paulo: Sumus, 2016.

CHOO, C.W. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. 2.ed. São Paulo: Senac São Paulo, 2006, 425 p.

CORREIA, M. C. S.; ZANDONADE, T. Information as recorded knowledge. Social Epistemology Review and Reply Collective, v. 4, n. 9, p. 13-39, 2015. Disponível em: http://wp.me/p1Bfg0-2hz Acesso em: 15 jan. 2020.

CRESTANA, M. F. Bibliotecários da área médica: o discurso a respeito da profissão. Perspectiva em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v.8, n.2, p.134-149, 2003.

DAVENPORT, T. Ecologia da informação: por que só a tecnologia não basta para o sucesso na era da informação. São Paulo: Futura, 1998.

DAVENPORT, T. H.; PRUSAK, L. Working Knowledge: How Organizations Manage What They Know. Cambridge, MA: Harvard Business School Press, 1998.

FADEL, B; et al. Gestão, mediação e uso da informação. In: VALENTIM, M. (org). Gestão, mediação e uso da informação. São Paulo: Cultura acadêmica, 2010.

FREITAS, H.; JANISSEK-MUNIZ, R. Uma proposta de plataforma para Inteligência Estratégica. In: CONGRESSO IBERO-AMERICANO DE GESTÃO DO CONHECIMENTO E INTELIGÊNCIA COMPETITIVA, GeCIC,1, 2006, Curitiba/PR. Anais […] Curitiba/PR, ABRAIC, 2006. Disponível em: https://l1nq.com/oIXtj. Acesso em: 15 out 2021.

GARCIA, R.; FADEL, B. A percepção do indivíduo na gestão do conhecimento organizacional: estudo teórico-empírico das influências da interferência nos fluxos informacionais na criação de conhecimento e tomada de decisão. In: ENCONTRO DE PESQUISADORES DA UNI-FACEF, 10., Franca (SP). Anais [...] Franca: Uni-Facef, 2009. p.492-509. Disponível em: https://encr.pw/s4Fcs. Acesso em 10 fev 2021.

HAAPALAINEN, P., KANTOLA, J. Taxonomy of Knowledge Management in Open Innovations. Procedia Manufacturing, Netherlands, v. 3, p. 688-695, 2015.

HABERMAS, J. Theorie des kommunikativen handelns. Frankfurt: Suhrkamp Verlag, 1981. v. 2.

HAGUETTE, T. M.F. Metodologias qualitativas na sociologia. 14a.ed. Petrópolis: Vozes, 2013, 170 p.

HOFFMANN, W.A. M. Gestão do conhecimento: desafios de aprender. São Carlos: Compacta, 2009.

JORGE, C. F. B.; FALÉCO, L. L. A aplicação da gestão do conhecimento como estratégia de competitividade organizacional. Brazilian Journal of Information Studies: Research Trends, Marília, SP, v.10, n.3, p. 69-75, 2016.

LEFÈVRE, F.; LEFÈVRE A. M.C. O sujeito coletivo que fala. Revista Interface - Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, SP, v. 10, n. 20, p. 517-524, 2006.

LEFÈVRE, F.; LEFÈVRE, A. M. C.; TEIXEIRA, J. J. V. O discurso do sujeito coletivo: uma nova abordagem metodológica em pesquisa qualitativa. Caxias do Sul: EDUCS, 2000.

LEITÃO, C.; PRATES, R. O. A Aplicação de Métodos Qualitativos em Computação. In: DELICATO, F.; PIRES, P.; SILVEIRA, I. Jornadas de atualização em informática 2017. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação – SBC, 2017. Disponível em: http://csbc2017.mackenzie.br/public/files/all/livro-jai.pdf. Acesso em: 10 fev 2021.

LENKER, M. Information Literacy: What's the Question? 2019. ACRLog. Disponível em: https://digitalscholarship.unlv.edu/lib_articles/664. Acesso em: 10 fev 2021.

LOUSADA, M., et al. Produção científica sobre gestão do conhecimento e gestão da informação no âmbito da ciência da informação: uma aplicação da lei de bradford. Anales de documentación, Murcia, v. 15, p. 1–17, 2012.

MARCHIORI, P. Z. A ciência e a gestão da informação: compatibilidades no espaço profissional. Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 31, 2, p. 72-79, 2002.

MARTINO, L. C. De qual comunicação estamos falando? In: HOHLFELDT, A.; MARTINO, L. C.; FRANÇA, V. V. (org.). Teorias da comunicação: Conceitos, escolas e tendências. 15 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015. 309p.

MOLINA, L. G. Gestão do conhecimento aplicada aos portais corporativos. In: VALENTIM, M. L. P. (org.). Ambientes e fluxos de informação. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010, p.123-156.

MOTTA, G. S., MELO, D. R. A., PAIXÃO, R. B. O Jogo de Empresas no Processo de Aprendizagem em Administração: o Discurso Coletivo de Alunos. Revista de Administração Contemporânea, São Paulo, v. 16, n. 3, p. 342-359, 2012.

PAYNE, J.; FRYER, J. Knowledge management and information management: A tale of two siblings. Business Information Review, London, v. 37, n. 2, p. 69–77, 2020.

PORÉM M. E., GUARALDO, T. S. B. Informação, conhecimento e comunicação em organizações do conhecimento. DataGramaZero ­ Revista de Informação, Rio de Janeiro, v.13 n.1, 2012.

ROPOLYI, L. Sign and information: form and content. In: INTERNATIONAL SOCIETY FOR INFORMATION STUDIES - IS4IS SUMMIT VIENNA, 2015, Vienna. Anais […]. Vienna: Vienna University of Technology, 2015. (The information society at the crossroads: response and responsibility of the Sciences of Information, Vienna). Disponível em: https://sciforum.net/conference/isissummit-vienna-2015/paper/2807/download/pdf. Acesso em: 23 de out 2020.

SANTARÉM, V.; VITORIANO, M. C. C. P. Gestão da informação, fluxos informacionais e memória organizacional como elementos da inteligência competitiva. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, João Pessoa, v.5, Número Especial, p.158-170, 2016.

SANTOS, V. C. B; et al. A comunicação, a cultura organizacional e a competência em informação nas organizações sob o prisma das reflexões contemporâneas. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v. 5, n. 3, p. 2366-2386, 2019.

SEMIDÃO, R.A. M. Dados, informação e conhecimento enquanto elementos de compreensão do universo conceitual da ciência da informação: contribuições teóricas. 2014. 198 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Filosofia e Ciências, Marília, 2014.

SETZER, V. W. Dado, informação, conhecimento e competência. In: SETZER, V.W. Os Meios Eletrônicos e a Educação: Uma Visão alternativa. São Paulo: Editora Escrituras, Coleção Ensaios Transversais, v. 10, 2001.

SILVA, E.; VALENTIM, M. L. P. Avaliação da aplicação do método ‘análise de conteúdo’ em pesquisa sobre processos de gestão da informação e do conhecimento como subsídios para a geração de inovação. Informação e Informação, Londrina, PR, v. 24, n. 1, p. 326 – 355, 2019.

SILVA, J. L. C., GOMES, H. F. Conceitos de informação na ciência da informação: percepções analíticas, proposições e categorizações. Informação & Sociedade, João Pessoa, PB, v. 25, n.1, p. 145-157, 2015.

SOUZA, E. D.; DIAS, E. J. W.; NASSIF, M. E. A gestão da informação e do conhecimento na ciência da informação: perspectivas Teóricas e Práticas Organizacionais. Informação & Sociedade:Estudos, João Pessoa, PB, v. 21, n.1, p. 55-70, 2011.

SOUZA, F. C., STUMPF, K. Presença do tema ética profissional nos periódicos brasileiros de Ciência da Informação e Biblioteconomia. Perspectiva em Ciência da Informação, Belo Horizonte, MG, v. 14, n.3, p.94-115, 2009.

VALENTIM, M. L. P. (org.). Informação, conhecimento e inteligência organizacional. 2. ed. Marília: FUNDEPE, 2007. 278 p.

VALENTIM, M. L. P. Ambientes e fluxos de informação em contextos empresariais: o caso do setor cárnico de Salamanca/Espanha. Brazilian Journal of Information Science, Marília, v. 7, 2013. Disponível em: https://revistas.marilia.unesp.br/index.php/bjis/article/view/3130. Acesso em: 23 out. 2020.

VALENTIM, M. L. P. Conhecimento e Metodologia Científica. Recurso em Power point. 2021.

VALENTIM, M. L. P. Gestão da informação e gestão do conhecimento em ambientes organizacionais: Conceitos e compreensões. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, João Pessoa, PB, v. 1, n. 1, P 1-16, 2008.

VALENTIM, M. L. P. Gestão da informação e gestão do conhecimento: especificidades e convergências. Infohome, 2004. Disponível em: http://www.ofaj.com.br/colunas_conteudo.php?cod=88. Acesso em: 03 nov. 2017

VALENTIM, M. L. P.; JORGE, C. F. B.; CERETTA-SORIA, M. G. Contribuição da competência em informação para os processos de Gestão da Informação e do Conhecimento. Revista da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da UFRGS, Porto Alegre, RS, v. 20, n.2, 2014.

VALENTIM, M. L. P.; SOUZA, J. S. F. Fluxos de informação que subsidiam o processo de inteligência competitiva. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, Florianópolis, SC, v. 18, n. 38, p. 87-106, 2013. DOI: 10.5007/1518-2924.2013v18n38p8

VALENTIM, M. L. P.; TEIXEIRA, T. M. C. Fluxos de informação e linguagem em ambientes organizacionais. Informação & Sociedade: Estudos, João Pessoa, PB, v.22, n.2, p. 151-156, 2012.

VALENTIM. M. L. P. Processo de inteligência competitiva organizacional. In: VALENTIM, M. L. P. (org.). Informação, conhecimento e inteligência organizacional. 2.ed. Marília: FUNDEPE Editora, 2007.

VITORINO, E. V. Análise dimensional da competência em informação: bases teóricas e conceituais para reflexão. RICI: Revista Ibero-americana de Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 9, n. 2, p. 421-440, 2016.

WU, M. Information literacy, creativity and work performance. Information Developmen, [London], v. 35, n. 5, p. 676–687, 2019.

ZANDONADE, T; CORREIA, M. C. S. O conceito de informação como conhecimento registrado. RICI: Revista Ibero-americana de Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 11, n. 1, p. 83-102, 2018.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2024 Silvana de Souza Moraes, Ieda Pelogia Martins Damian

Downloads

Não há dados estatísticos.