Banner Portal
Educação como crítica de si: a trajetória de Friedrich Nietzsche
PDF

Palavras-chave

Educação
Nietzsche
Trajetória
Crítica

Como Citar

MENDONÇA, Samuel. Educação como crítica de si: a trajetória de Friedrich Nietzsche. Filosofia e Educação, Campinas, SP, v. 6, n. 1, p. 134–146, 2014. DOI: 10.20396/rfe.v6i1.8635389. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rfe/article/view/8635389. Acesso em: 16 jun. 2024.

Resumo

Este artigo apresenta a trajetória de Friedrich Nietzsche e coloca em relevo seu sofrimento como marca de uma concepção de educação que diz respeito à crítica de si. A experiência do sofrimento parece indicar a experiência do além do homem (Übermensch), da mesma forma que é por meio da vontade de potência (Der Wille zur Macht) que as contradições da vida podem ser revaloradas. Então, pensar Nietzsche e a educação reivindica a análise da dimensão individual, dado que este pensador viveu além de seu tempo e, por esta razão, sua concepção de educação é, igualmente, intempestiva. Se é possível empreender a crítica de si como tarefa educacional, talvez possamos argumentar, com Nietzsche, que a vida é vontade de potência e nada além disto.

https://doi.org/10.20396/rfe.v6i1.8635389
PDF

O periódico Filosofia e Educaçãoutiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.