O Emílio de Rousseau: uma obra de Pedagogia?

Autores

  • Fernando Bonadia de Oliveira Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.20396/rfe.v4i2.8635422

Palavras-chave:

Rousseau, Jean-Jacques (1712-1778). Educação moderna. Pedagogia moderna. Emílio. Ensino de História da Educação.

Resumo

O Emílio de Rousseau é comumente apresentado como um tratado de filosofia ou como um romance. Por outro lado, nos cursos de História da Educação, este livro é estimado como um dos mais famosos e importantes livros de pedagogia moderna. O objetivo desse artigo consiste em argumentar que esta obra, sendo uma das mais relevantes para a história da filosofia, pode ser considerada, simultaneamente, uma obra pedagógica fundamental; não por ter sido escrita para satisfazer interesses prático-pedagógicos particulares, mas porque, ao ser lida ao longo dos séculos, impactou profundamente práticas e teorias clássicas da pedagogia moderna.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Bonadia de Oliveira, Universidade de São Paulo

Licenciado em Pedagogia e Filosofia pela UNICAMP. Mestre em História e Filosofia da Educação pela mesma instituição. Doutorando em Filosofia (USP).

Downloads

Publicado

2012-11-03

Como Citar

OLIVEIRA, F. B. de. O Emílio de Rousseau: uma obra de Pedagogia?. Filosofia e Educação, Campinas, SP, v. 4, n. 2, p. 7–33, 2012. DOI: 10.20396/rfe.v4i2.8635422. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rfe/article/view/8635422. Acesso em: 29 nov. 2021.