As políticas educacionais hegemônicas na industrialização tardia do Paraná: a proposta de Erasmo Pilloto, matrizes, alcances e contradições

Autores

  • Adálcia Canedo da Silva Nogueira Universidade Estadual do Norte do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.20396/rfe.v3i2.8635450

Palavras-chave:

Educação. Escola Nova. Escola Normal. Escola Normal Regional.

Resumo

As políticas educacionais materializam as ideias dominantes de uma determinada época e tempo histórico, no campo da Educação. A tradição educacional e pedagógica denominada Educação ou Escola Nova, em sua implementação ou ordenamento identitário próprio, tal como se constituiu na realidade do Brasil, emergente a partir dos anos 1930, quando se estrutura um novo modelo de economia e sociedade no país, constituído a partir da superação das relações pré-capitalistas e da construção da hegemonia das relações orgânicas de natureza capitalista, urbano-industriais, não foi uma realidade linear e concomitante no país. O estado do Paraná, uma unidade institucional periférica do processo de industrialização tardia do Brasil apresenta movimentos de ideias e de ordenamentos das políticas educacionais no Estado com características tensionadas entre a manutenção das teses e conceitos, disposições e concepções tradicionais, de natureza elitista e contornos idealistas, aristocráticos e religiosos, e as novas inspirações de natureza liberal e humanista, próprio do corolário escolanovista. As políticas de Erasmo Pilloto, o secretário estadual de educação do Paraná entre 19XX e 19XX é uma figura política e pedagógica central para o decifrar das contradições do ideário liberal da escola nova no Paraná e o objeto nuclear do presente estudo. Analisa a implantação da escola normal e da escola normal regional no Paraná. Estuda as diretrizes estaduais para a viabilização de um projeto de formação de professoras primárias para as escolas rurais, a Escola Normal Regional. As propostas foram diferenciadas e existiram em períodos distintos, contudo sofreram sempre a influência dos fatores sociais, econômicos e políticos ao qual estiveram ligados. A filosofia proposta era a formação do homem, principalmente das camadas socialmente excluídas. No Paraná a Escola Normal Regional esteve atrelada à função social de alfabetizar e estabelecer o homem no campo, em um contexto do desenvolvimento sócio econômico contraditório, enquanto no cenário nacional se afirmava a urbanização e a indústria no Paraná se assistia ao esgotamento da economia ervateira e auge da cultura do café.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adálcia Canedo da Silva Nogueira, Universidade Estadual do Norte do Paraná

Atualmente é - Professora Assistente do Centro de Ciências Humanas e Educação (CCHE) da Universidade Estadual do Norte do Paraná.

Downloads

Publicado

2011-12-12

Como Citar

Nogueira, A. C. da S. (2011). As políticas educacionais hegemônicas na industrialização tardia do Paraná: a proposta de Erasmo Pilloto, matrizes, alcances e contradições. Filosofia E Educação, 3(2), 56–85. https://doi.org/10.20396/rfe.v3i2.8635450