A gênese da educação grega: da areté homérica à Paideia clássica

Autores

  • Paulo Eduardo Vieira Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/rfe.v10i1.8652004

Palavras-chave:

Educação. Filosofia. Paideia. Política.

Resumo

O artigo apresenta a gênese da educação grega e do ideal de formação do homem grego, por meio da compreensão do conceito de areté homérica e do o conceito de Paideia política. De acordo com Nunes (2017) “A Paideia grega configura uma vibrante forma de entender e de organizar a sociedade e a cultura humana”. (NUNES, 2017, p.2a). Contextualiza dois momentos históricos: o primeiro sobre transição da educação homérico para a educação pré-socrática ou cosmológico (do final do século VII ao final do século V a.C.), cujo momento representa a mudança da ateré homérica para a Paideia política; e o segundo momento sobre a educação no período socrático ou antropológico (do final do século V até o século IV a. C), no qual se consolida Paideia política ou filosófica.  Fundamenta-se na tradição epistemológica e política do materialismo histórico e dialético. Trata-se de estudo bibliográfico e histórico-crítico. Parte da análise das condições materiais, ou seja, as condições econômicas, sociais, políticas e históricas da transição da Paideia homérica para a Paideia política. Considera que no período primitivo e no período clássico grego constituiu-se o ideário do homem heroico e político. A educação é o princípio por meio do qual a comunidade humana conserva e transmite a sua peculiaridade física e espiritual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Eduardo Vieira, Universidade Estadual de Campinas

Pesquisador do Grupo de Estudos e Pesquisas PAIDEIA e UNIFEG.

Referências

AMARAL DA SILVA, Roseli G. A formação do homem ideal: o herói grego e o cristão. 2008.

FAZENDA, I. (org) Metodologia da Pesquisa Educacional. 3º ed. São Paulo: Cortez, 1994.

FONSECA, Maria de Jesus. A Paideia grega revisitada. Milelenium, 1998.

HABERMAS, J. Discurso filosófico da modernidade. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

HOBSBAWM, Eric J. A invenção das tradições. 9° ed. São Paulo: Paz e Terra, 2014.

JAEGER, Werner. Paidéia: a formação do homem grego. 6.ed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2013.

MARCONDES, Danilo. Iniciação à história da filosofia: dos pré-socráticos a Wittgenstein. 12.ed – Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2008.

NUNES, César. Da Filosofia do Amor ao Amor à Filosofia. Librum Edições & Editora Brasílica, Campinas, 2017, a.

NUNES, César. Platão e a dialética entre a filosofia do amor e amor à filosofia. Campinas, SP: Librum Editora e Editora Brasílica, 2017, b.

SÁNCHEZ GAMBOA, S. Pesquisa em Educação: métodos e epistemologias. Chapecó, SC: Argos, 2012.

SAVIANI, D. Educação: do senso comum à consciência filosófica. São Paulo: Cortez, Autores Associados, 1980.

VERNANT, Jean-Pierre. As origens do pensamento grego. São Paulo, Difel, 1984.

Downloads

Publicado

2018-03-26

Como Citar

VIEIRA, P. E. A gênese da educação grega: da areté homérica à Paideia clássica. Filosofia e Educação, Campinas, SP, v. 10, n. 1, p. 166–183, 2018. DOI: 10.20396/rfe.v10i1.8652004. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rfe/article/view/8652004. Acesso em: 20 jun. 2021.