A educação dialética: a luta por uma Educação Emancipadora

Autores

  • Edelcio Smargiassi Centro Universitário de Guaxupé

DOI:

https://doi.org/10.20396/rfe.v10i1.8652005

Palavras-chave:

Educação. Dialética. Emancipação. Filosofia.

Resumo

Estuda as matrizes conceituais da Educação. Aborda as epistemologias que sustentam as históricas concepções de educação e suas respectivas teorias educacionais. Define a concepção de dialética e aproxima esse conceito da prática educativa. Considera a Educação como uma expressão da prática social e afirma que tal derivação dispõe o caráter político e crítico dessas constituições educacionais históricas. Na sociedade de classes a Educação é, hegemonicamente, a produção e a reprodução das condições materiais e ideológicas do capital. Para uma abordagem contra-hegemônica da Educação requer-se a recuperação do conceito de dialeticidade e de integração da Educação na prática social e política. Define, ao final, o conceito de educação emancipadora e aponta a prática social e política, em dinâmica histórica, como o foro no qual se deverá constituir uma proposta de Educação como Direito e Formação para a plenitude da vida, subjetiva e social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edelcio Smargiassi, Centro Universitário de Guaxupé

Professor do Centro Universitário de Guaxupé-MG (UNIFEG)

Referências

ARANDA, Maria Alice de Miranda. O PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO E A BUSCA PELA QUALIDADE SOCIALMENTE REFERENCIADA. Revista Educação e Políticas em Debate – v. 3, n.2 – ago./dez. 2014 - ISSN 2238-8346.

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. Filosofia da Educação. 1ª ed. Moderna, São Paulo, 1989. 214 p.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é educação. 27. ed. São Paulo: Brasiliense, 1992. 116p.

BRASIL. Programa Nacional de Educação Fiscal – PNEF. Educação fiscal no contexto social. Brasília: Ministério da Fazenda/ Ministério da Educação, 2004, 48 p. (Série Educação fiscal. Caderno 1).

CHAUÍ, Marilena. O que é ideologia. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 1990, p. 13.

FOULQUIÉ, Paul, Dialética. Gráfica Europan,1979, p. 09.

GADOTTI, Moacir. Concepção Dialética da Educação: um estudo introdutório. 12. ed. rev. São Paulo: Cortez, 2001. 184 p.

GONÇALVES SILVA, Maria Cristiani e NUNES, César. Os pressupostos filosóficos do cooperativismo educacional no estado de São Paulo. Filosofia e Educação (Online), ISSN 1984‐9605 – Revista Digital do Paideia Volume 3, Número 2, Outubro de 2011 Março de 2012

KONDER, Leandro. O que é Dialética. 21ª ed. São Paulo, Brasiliense, 1990. 88 p.

LIBANEO, José Carlos. Pedagogia e pedagogos: inquietações e buscas. 2001. Disponível em: < http://www.educaremrevista.ufpr.br/arquivos_17/libaneo.pdf > Acesso em 14/09/05/ Novo acesso em 10/07/2017.

MENDES, Durval Trigueiro (Coord.). Filosofia da educação brasileira. 6.ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1998, 240p.

SAVIANI, Dermeval. (Coord.). Filosofia da educação brasileira. 6º. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1998, 240p.

SCHMIED-KOWARZIK, Wolfdietrich. Pedagogia Dialética: De Aristóteles a Paulo Freire. Brasiliense, 1983, São Paulo, SP –Brasil.

SCHWARTZMAN, Simon. As duas faces da educação (artigo). Estado de São Paulo, 29 de junho de 1979, p. 2. Disponível em: http://www.schwartzman.org.br/simon/2faces.htm Acesso em 25/09/2005.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Educação, Ideologia e Contra-Ideologia. EPU, São Paulo, 1986. 106 p.

SILVA, Adriana. Slogan, recursos de linguagem e política educacional. Ribeirão Preto, 2004. 140 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Centro Universitário Moura Lacerda.

Downloads

Publicado

2018-03-26

Como Citar

SMARGIASSI, E. A educação dialética: a luta por uma Educação Emancipadora. Filosofia e Educação, Campinas, SP, v. 10, n. 1, p. 184–199, 2018. DOI: 10.20396/rfe.v10i1.8652005. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rfe/article/view/8652005. Acesso em: 3 dez. 2021.