Deficiência intelectual: análise da produção científica com base no modelo biomédico e modelo social da deficiência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rfe.v10i2.8653186

Palavras-chave:

Modelo biomédico. Modelo social da deficiência. Deficiência intelectual.

Resumo

O presente estudo teve como objetivo realizar uma pesquisa bibliográfica-documental a partir de artigos disponíveis na base de dados do Scielo. Para a seleção desses artigos foram utilizadas sete palavras-chave que permitiram identificar as pesquisas sobre as pessoas com deficiência intelectual. A partir desta seleção realizou-se uma análise qualitativa dos resumos e dos objetivos destes artigos separando-os com base na fundamentação teórica do modelo conceitual sobre a deficiência intelectual utilizados nesta pesquisa, a saber: o modelo biomédico e o modelo social da deficiência. Os resultados indicaram a predominância de pesquisas na vertente biomédica, além da predominância de estudos realizados com crianças com deficiência intelectual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andreia Silva da Mata, Centro Universitário Campo Limpo Paulista

Professora do curso de pós-graduação em Psicopedagogia e Neurociências do Centro Universitário Campo Limpo Paulista – Unifaccamp. Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas - Unicamp. Mestre em Psicologia e Psicóloga pela Universidade São Francisco - USF.

Referências

American Psychiatry Association. Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais. DSM-5. Porto Alegre: Artmed. 2013. 976 p.

ANTIPOFF, Daniel I. A orientação profissional para excepcionais infra-dotados. In: Amae educando, Instituto de Educação de Minas Gerais, nº 136-ago, ano XIV, 1981.

BAMPI, Luciana Neves da Silva; GUILHEM, Dirce; ALVES, Elioenai Dornelles. Modelo social: uma nova abordagem para o tema deficiência. Rev. Latino-Am. Enfermagem, Ribeirão Preto , v. 18, n. 4, p. 816-823, Aug. 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692010000400022&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 12 dez. 2017. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692010000400022.

BRASIL. Palácio do Planalto. Lei nº 13146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Brasília, DF: Palácio do Planalto, 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm Acesso em: 12 dez. 2017.

BRASIL. Palácio do Planalto. Decreto nº 6.949, de 25 de agosto de 2009. Promulga a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, assinados em Nova York, em 30 de março de 2007. Brasília, DF: Palácio do Planalto, 2009. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/decreto/d6949.htm acesso em: 12 dez. 2017.

DIAS, Sueli de Souza; OLIVEIRA, Maria Cláudia Santos Lopes de. Deficiência intelectual na perspectiva histórico-cultural: contribuições ao estudo do desenvolvimento adulto. Rev. bras. educ. espec., Marília, v. 19, n. 2, p. 169-182, June 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-65382013000200003&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 17 dez. 2017. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-65382013000200003.

DINIZ, Débora. O que é deficiência. São Paulo: Editora Brasiliense, 2007.

FRANÇA, Tiago Henrique. Modelo social da deficiência: uma ferramenta sociológica para a emancipação social. Lutas Sociais, São Paulo, vol.17, n.31, p.59-73. jul/dez. 2013. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/ls/issue/view/1313/showToc. Acesso em: 17 dez. 2017.

GESSER, M.; NUERNBERG, A. H.; TONELI, M. J. F. A contribuição do Modelo Social da Deficiência à Psicologia Social. Psicologia & Sociedade, v.24, n.3, p.557- 566. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/psoc/v24n3/09.pdf Acesso em: 12 dez. 2017.

GOMES, Ruthie Bonan; LHULLIER, Cristina. Representação social da deficiência intelectual na relação entre psicologia e educação. Psicol. educ., São Paulo , n. 44, p. 93-102, jun. 2017. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-69752017000100009&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 17 dez. 2017. http://dx.doi.org/10.5935/2175-3520.20170009.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. CENSO Demográfico. Características gerais da população, religião e pessoas com deficiência. 2010. Disponível em: https://censo2010.ibge.gov.br/resultados.html. Acesso em 12 dez. 2017.

OMS - Organização Mundial da saúde. Classificação internacional de funcionalidade, incapacidade e saúde. Lisboa, 2004.

PESSOTTI, I. Deficiência mental: da superstição à ciência. Marília: ABPEE, 2012.

SCHALOCK, R. L., BORTHWICK-DUFFY, S. A., BRADLEY, V. J., BUNTINX, W. H. E., COULTER, D. L., CRAIG, E. M., et al. Intellectual disability: definition, classification, and systems of supports Washington, DC: American Association on Intellectual and developmental disabilities, 2010.

WERNECK, Claudia. Modelo médico x modelo social da deficiência. Em: Manual da mídia legal. Rio de Janeiro: WVA Editora, 2004.

Downloads

Publicado

2018-10-15

Como Citar

MATA, A. S. da. Deficiência intelectual: análise da produção científica com base no modelo biomédico e modelo social da deficiência. Filosofia e Educação, Campinas, SP, v. 10, n. 2, p. 350-378, 2018. DOI: 10.20396/rfe.v10i2.8653186. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rfe/article/view/8653186. Acesso em: 27 out. 2020.