Banner Portal
O gênero nos estudos sobre corpo em revistas do campo da educação física da Argentina e do Brasil
PDF

Palavras-chave

Corpo. Gênero. Periódicos de educação física. Brasil. Argentina.

Como Citar

GALAK, Eduardo; GOMES, Ivan Marcelo; ALMEIDA, Felipe Quintão de; ZOBOLI, Fabio. O gênero nos estudos sobre corpo em revistas do campo da educação física da Argentina e do Brasil. Filosofia e Educação, Campinas, SP, v. 10, n. 3, p. 598–617, 2019. DOI: 10.20396/rfe.v10i3.8653777. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rfe/article/view/8653777. Acesso em: 13 abr. 2024.

Resumo

O artigo objetiva oferecer uma reflexão a respeito da “generificação dos corpos” em nove periódicos da Educação Física do Brasil e da Argentina. A análise foi feita a partir de dois blocos: 1) textos que criticam o modelo heteronormativo de gênero no âmbito das práticas corporais; 2) artigos que problematizam a escola e a Educação Física, na produção de “corpos generificados”. Os estudos investigados contribuem para conferir ao corpo um novo estatuto ontológico, epistemológico e político ao estabelecerem uma crítica à sexualidade inscrita no físico anatomicamente diferenciado questionando o pressuposto de que os corpos são percebidos como passivos de uma lei natural inflexível.

https://doi.org/10.20396/rfe.v10i3.8653777
PDF

Referências

ALESDE – Latin American Socio-cultural Studies of Sport. Dossiê: Por uma teoria da Educação Física Latino-Americana. V. 9, n. 2, 2018. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/alesde/issue/view/2587 Acesso em: 09/10/2018.

ALMEIDA, Felipe Quintão et al. O corpo como tema da produção do conhecimento: uma análise em cinco periódicos da educação física brasileira. Movimento, Porto Alegre, v. 24, n. 1., p. 133-146, jan./mar.2018.

ALTMANN, Helena; MARIANO, Marina; UCHOGA, Liane Aparecida Roveran. Corpo e movimento: produzindo diferenças de gênero na educação infantil. Pensar a Prática, Goiânia, v. 15, n. 2, p. 285-301, abr./jun. 2012.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BAUMAN, Zigmunt. Modernidade e ambivalência. Rio de Janeiro: Zahar, 1999.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Tradução Maria Helena Kühner. 11 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2012.

BRACHT, Valter; CRISORIO, Ricardo (orgs.). A educação Física no Brasil e na Argentina: identidade, desafios e perspectivas. Campinas: Autores Associados; Rio de Janeiro: PROSUL, 2003.

BRACHT, Valter. A constituição das teorias pedagógicas da Educação Física. Cadernos Cedes, Campinas, vol, 19, n. 48, p.69-88, 1999.

BRANZ, Juan Bautista; ZUCAL, José Antônio Garriga. Poder, cuerpos y representaciones sobre lo masculino, entre policías y jugadores de rugby. Educación Física y Ciencia, La Plata, vol. 1, n. 15, p. 1-16, 2013.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade; tradução Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

CANGUILHEM, Georges. O problema das regulações no organismo e na sociedade. In: CANGUILHEM, Georges. Escritos sobre a medicina. Tradução de Vera Avellar Ribeiro. Rio de Janeiro: Forence Universitária, p. 71-88, 2005.

CARIGNANO, María Laura Moneta. O “mundo das bichas” em Copi e Perlongher: identidade, gênero e literatura. Anais do SILEL. Volume 1. Uberlândia: EDUFU, 2009. Disponível em: http://www.ileel.ufu.br/anaisdosilel/pt/arquivos/gt_lt03_artigo_5.pdf. Acesso em: 12/10/2018.

CHAGAS, Eliane Pardo; RIGO, Luiz Carlos. O corpo feminino numa perspectiva libertária. Motrivivência, Florianópolis, vol. 3, n. 3, p. 125-130, jan./dez. 1990.

CUNHA JÚNIOR, Carlos Ferreira da; MELO, Victor Andrade de. Homossexualidade, Educação Física e esporte - primeiras aproximações. Movimento, Porto Alegre, v. 3, n. 5, p. 18-24, jun./dez.1996.

DAMICO, Geraldo José Soares; MEYER, Dagmar Estermann. O corpo como marcador social: saúde, beleza e valoração de cuidados corporais de jovens mulheres. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, Campinas, v. 27, n. 3, p. 103118, maio./ago. 2006.

DEVIDE, Fabiano Pries; VOTRE, Sebastião Josué. Doping e mulheres nos esportes. Revista Brasileira de Ciências do Esporte. Campinas, v. 27, n. 1, p. 123138, set./dez. 2005.

DEVIDE, Fabiano Pries et al. Estudos de gênero na Educação Física Brasileira. Motriz, Rio Claro, v.17 n.1 p.93-103, jan./mar. 2011.

DORNELLES, Priscila Gomes. Marcas de gênero na educação física escolar: a separação de meninos e meninas em foco. Motrivivência, Florianópolis, vol. 2, n. 37, p. 12-29, set./dez. 2011.

FERNANDES, Rita de Cássia. Significados da ginástica para mulheres praticantes em academia. Motriz, Rio Claro, vol. 11, n.2, p.107-112, mai./ago. 2005.

GALAK, Eduardo; VAREA, Valeria. Cuerpo y Educación Física. Perspectivas latinoamericanas para pensar la educación de los cuerpos. Buenos Aires: Biblos, 2013.

GALAK, Eduardo et al. El concepto “cuerpo” en el campo académico de la Educación Física: un análisis a partir de la revista “Educación Física y Ciencia”. 12º CONGRESO ARGENTINO Y 7º LATINOAMERICANO DE EDUCACIÓN FÍSICA Y CIENCIAS. Anais... La Plata, 2017. Disponível em: http://congresoeducacionfisica.fahce.unlp.edu.ar/12o-congreso/actas2017/Mesa%2010_Galak.pdf. Acesso em: 29 /09/2018.

GALAK, Eduardo et al. O corpo no campo acadêmico da Educação Física na Argentina e no Brasil: crítica e renovação da disciplina. ALESDE, Curitiba, vol. 9, n. 2, p. 79-90, abr./jun. 2018.

GOELNER, Silvana Vilodre. Imperativos de ser mulher. Motriz, v. 5, n. 1, p. 40-42, jan./jun.1999.

GOELNER, Silvana Vilodre. Verbete Gênero. In: FENSTENSEIFER, Paulo Evaldo; GONZÁLEZ, Jaime Fernando. (orgs.). Dicionário crítico de Educação Física. p. 2007-209. Ijuí: Ed. Unijuí, 2005.

GOELLNER, Silvana Vilodre; FIGUEIRA, Márcia Luiza Machado. Corpo e gênero: a revista Capricho e a produção de corpos femininos. Motrivivência, Florianópolis, vol. 2, n. 19, p. 1-13, jul./dez. 2002.

GOMES, Ivan Marcelo et al. O corpo como tema da produção do conhecimento: uma análise bibliométrica em cinco periódicos da educação física brasileira. Movimento, Porto Alegre, vol. 24, n. 2., p. 427-440, abr./jun. 2018.

LARA, Larissa Michelle et al. Qualidade na educação/educação física escolar latino-americana: encontro de vozes nada dissonantes. Revista da Educação Física da UEM, vol. 29, n. 1, p. 1-13, jan./mar. 2018.

LESSA, Patrícia. Mulheres, corpo e esportes em uma perspectiva feminista. Motrivivência, Florianópolis, vol. 1, n. 24, p. 157-172, jan./jun. 2005.

LOURO, Guacira Lopes. Corpo, Gênero e Sexualidade: um debate contemporâneo na Educação. Petrópolis: Editora Vozes, 2012.

LUZ JÚNIOR, Agripino Alves. Gênero e Educação Física: Algumas reflexões acerca do que diz as pesquisas das décadas 80 e 90. Motrivivência, Florianópolis, vol. 1, n. 19, p. 1-8, jan./jun. 2002.

MARTINEZ, Ariel. ¿Otra cosa puede ser cuerpo? Aportes teóricos de Judith Butler más allá del dimorfismo sexual. Educación Física y Ciencia, La Plata, vol. 13, n. 1, p. 169-174, jan./dez.2011.

PRECIADO, Paul Beatriz. Manifesto contrassexual. Tradução de Maria Paula Gurgel Ribeiro. São Paulo: n-1 edições, 2014.

RESENDE, Moisés Sipriano. Olhares sobre os corpos e a construção de “homens” e “mulheres” na escola. Motrivivência, Florianópolis, vol.2, n. 37, p. 69-82, jul./dez. 2011.

ROSA, Marcelo Victor da. Educação física e homossexualidade: investigando as representações sociais dos estudantes do Centro de Desportos/UFSC. Motrivivência, Florianópolis, vol. 2, n. 19, p. 1-12, jul./dez. 2002.

SALAZAR, Ciria Margarita.; MANZO LOZANO, Emilio Gerzaín. Cuestión de género, cuestión de cuerpo: deportistas pioneras en Colima. Educación Física y Ciencia, La Plata, vol.1, n. 11, p. 41-49, jan./dez. 2009.

SALVINI, Leila; SOUZA, Juliano de; MARCHI JUNIOR, Wanderley. A violência simbólica e a dominação masculina no campo esportivo: algumas notas e digressões teóricas. Revista brasileira de Educação Física e esporte, São Paulo, vol.26, n.3, p. 401-410, jul./set. 2012.

SARAIVA, Maria do Carmo. Por que investigar gênero na educação física, esporte e lazer? Motrivivência, Florianópolis, vol. 1, n. 19, p. 1-6, jan/jun. 2002.

SARAVÍ, Jorge Ricardo. Hacia una educación física no sexista (En línea). Educación Física y Ciencia, vol. 1, n. 1, p. 32-40, jan./dez. 1995.

SAYÃO, Déborah Thomé. Por que investigar as questões de gênero no âmbito da educação física, esportes e lazer? Motrivivência, Florianópolis, vol. 1, n. 19, p. 1-6, jan./jun. 2002.

SCHARAGRODSKY, Pablo Ariel. De la testosterona a la virilidad: Visibilizando una política escolar generizada. Educación Física y Ciencia, La Plata, vol. 1, n. 5, p. 78-90, jan./dez. 2001.

SCHARAGRODSKY, Pablo Ariel. En la educación física queda mucho ‘género’ por cortar. Educación Física y Ciencia, La Plata, vol. 1, n. 6, jan./dez. 2002.

SILVA, Marcelo Moraes; CÉSAR, Maria Rita de Assis. As masculinidades produzidas nas aulas de educação física: percepções docentes. Motrivivência, Florianópolis, vol. 2, n. 39, p. 101-112, jul./dez. 2012.

SILVA, Ana Márcia; BEDOYA, Victor Molina. (Org.). Formação Profissional em Educação Física na América Latina: Encontros, Diversidades e Desafios. 1. ed. São Paulo: Paco Editorial, 2015.

SILVA, Ana Márcia; BEDOYA, Victor Molina. Educación Física en América Latina: Currículos y Horizontes Formativos. 1. ed. São Paulo: Paco Editorial, 2017.

TERRA NOVA, Jéssica Vitorino da Silva et al. Tema corpo em publicações da revista motriz (1995-2012). Educação Física em Revista, Brasília, v. 9, n. 1, p. 74-95, jan./maio. 2015.

VAZ, Alexandre Fernandez. A construção dos corpos no esporte. Revista de estudos feministas, Florianópolis, v.19, n. 3, p.849-851, set./dez. 2011.

VAZ, Alexandre Fernadez; BASSANI, Jaison José; SILVA, A. Identidade e rituais na educação do corpo na escola: um estudo em aulas de educação física no ensino fundamental. Motus Corporis, Rio de Janeiro, v. 9, n. 2, p. 23-39, nov. 1999.

ZOBOLI, Fabio et al. O “corpo” como tema da produção de conhecimento na Revista Brasileira de Educação Física e esportes da USP (2004-2012). Interfaces Científicas, Educação, Aracaju, v.6, n.2, p. 79-96, jan./maio. 2018.

ZOBOLI, Fabio et al. O “corpo” como tema da produção do conhecimento na Revista Brasileira de Ciências do Esporte - RBCE (19792012). Kinesis, Santa Maria, v. 34, n. 2, p. 02-23, jul./dez. 2016.

O periódico Filosofia e Educaçãoutiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.