Angústia(s) e diálogos entre Graciliano Ramos e os saberes populares.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rfe.v12i3.8660833

Palavras-chave:

Resistencia, Saberes populares, Angústia

Resumo

O presente artigo reflete o fenômeno da angústia enquanto constituinte da condição humana, que se materializa em diferentes modos e expressões, correspondentes ao tempo e espaço em que os sujeitos humanos se situam históricos e geograficamente. Por não se tratar de uma abordagem estritamente filosófica ou de natureza psicanalítica, optamos em estabelecer um recorte mediante a construção de um diálogo sobre a Angústia descrita pelo romancista nordestino Graciliano Ramos e os sentimentos angustiantes dos sujeitos populares analfabetos, elaborando, desse modo, uma interlocução com a vida e aprendizagens de sujeitos excluídos que, em meio às agruras e utopias pequenas, quase diárias, produzem significados, saberes e novas agendas de resiliências para poderem ser/estar na vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Everaldo Fernandes da Silva, Universidade Federal de Pernambuco - UFPE

Doutorado em Educação pela Universidade Federal de Pernambuco (2011). Professor Adjunto da Universidade Federal de Pernambuco.

Referências

ARROYO, Miguel. Outros sujeitos, outras Pedagogias. Petrópolis: Vozes, 2012.
BOFF, Clodovis. Como trabalhar com o povo e com os excluídos. Petrópolis: Vozes, 2015.
BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Lutar com a palavra – escritos sobre o trabalho em educação. Rio de Janeiro: Graal, 1982.
BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é Educação. Col. Primeiros Passos. São Paulo: Brasiliense, 2009.
CHAUÍ, Marilena. Conformismo e resistência: aspectos da cultura popular no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1986.
DOMINICÉ, Pierre. O Processo de Formação e alguns dos seus componentes relacionais. In: NÓVOA, Antônio; FINGER, Mathias. (Orgs.). O Método (Auto)biográfico e a formação. São Paulo: Paulus, 2010.p. 81-95.
FREIRE, Paulo; HORTON, Myles. O caminho se faz caminhando – conversas sobre educação e mudança social. Petrópolis: Vozes, 2003.
RAMOS, Graciliano. Angústia. 71. ed. Rio de Janeiro – São Paulo: Record, 2019.
RAMOS, Graciliano. Cangaços. Org. Ieda Lebensztayn e Thiago Mio Salla. Rio de Janeiro – São Paulo: Record, 2014.
SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (orgs.). Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.
SANTOS, Boaventura de Sousa. O Fim do Império Cognitivo – a afirmação das epistemologias do sul. Coimbra/Portugal: Almedina, 2018.
SEVERINO. Antônio Joaquim. Educação, sujeito e história. São Paulo: Olho d’Água, 2003.
SILVA. Everaldo Fernandes da. Processos Aprendentes e Ensinantes dos/as Artesãos/ãs do Alto do Moura: tessitura de vida e formação. 279f. Tese (Doutorado em Educação), Centro de Educação – Universidade Federal de Pernambuco. Recife, 2011.

Downloads

Publicado

2021-02-03

Como Citar

DA SILVA, adenilton moises; DA SILVA, E. F. Angústia(s) e diálogos entre Graciliano Ramos e os saberes populares. Filosofia e Educação, Campinas, SP, v. 12, n. 3, 2021. DOI: 10.20396/rfe.v12i3.8660833. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rfe/article/view/8660833. Acesso em: 27 nov. 2021.