A lógica na construção de perguntas de investigação na produção do conhecimento Stricto Sensu

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rfe.v13i1.8663836

Palavras-chave:

Epistemologia, Lógica, Produção do conhecimento, Educação física

Resumo

Objetivamos elaborar um balanço sobre lógica das perguntas científicas na produção do conhecimento stricto sensu. Tomamos como fontes 100 dissertações e 32 teses escritas por docentes que trabalham em cursos de Educação Física no Estado da Bahia – 1982 a 2018, abordando enquanto objeto a lógica instituída pelas perguntas científicas na referida produção. Trata-se de uma pesquisa documental, tendo como método o materialismo histórico e dialético. Os resultados apontam que 48% das produções têm suas perguntas de investigação construída a partir da lógica formal; 28% apresenta uma lógica dialética na elaboração das perguntas científicas; e 24% não apresentam problema de investigação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jaildo Vilas Bôas Junior, Universidade Federal da Bahia

Mestre em Educação pela Universidade Federal da Bahia - UFBA.  Membro da Linha de Estudos e Pesquisas em Educação Física, Esporte e Lazer, da Faculdade de Educação, da Universidade Federal da Bahia.

Kátia Oliver de Sá, Universidade Católica do Salvador

Pós-doutorado em História e Filosofia da Educação pela Universidade Estadual de Campinas. Professora do Programa de Pós-Graduação em Políticas Sociais e Cidadania da Universidade Católica do Salvador – UCSal.

Moisés Henrique Zeferino Alves , Universidade Federal da Bahia

Doutorando pelo Programa de Pós-graduação em Educação da UFBA. Membro pesquisador do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Física, Esporte e Lazer - GEPEFEL, da Universidade Católica do Salvador - UCSAL.

 

Referências

ALVES, Antônio. Ciência, força produtiva e capital na crítica da economia política marxiana. Projeto História, São Paulo, n.34, p. 277-288, jun. 2007.

ALVES, Moises Henrique Zeferino. Produção do conhecimento stricto sensu dos professores que trabalham nos cursos de Educação Física na Bahia-1982 a 2012: determinações históricas da Política nacional de pós-graduação. 159 f.2017. Dissertação (Mestrado) –Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2017.

ANDERY, Maria. A. P. A, et al. Para compreender a ciência: uma perspectiva histórica. Rio de Janeiro: Garamond, 2014. 434p.

BAZARIAM, Jacob. O problema da verdade. São Paulo: Círculo do livro, 1979. 251 p.

CHEPTULIN, Alexandre. A dialética materialista: Leis e categorias da dialética. São Paulo: Alfa-Omega, 1982. 354 p.

CHAVES, Márcia. A produção do conhecimento em Educação Física nos estados do nordeste (Alagoas, Bahia, Pernambuco e Sergipe), 1982-2004: Balanço e perspectivas. 159 f. 2005. Pós-Doutorado em Educação. Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia.

ENGELS, Friedrich. O papel do trabalho na transformação do macaco em homem. 4ª edição. São Paulo: Global editora, 1990. 19-37 p.

GAMBOA, Silvio Sanchez. Projetos de pesquisa, fundamentos lógicos: A dialética entre a pergunta e a resposta. Chapecó: Argos. 2013. 159 p.

ENGELS, Friedrich. O debate da pós-modernidade: as teorias do conhecimento em jogo. Filosofia e Educação (Online), ISSN 1984-9605 –Revista Digital do Paideia Volume 2, Número 2, outubro de 2010 –Março de 2011. 74-98 f.

HOSTINS, Regina Célia Linhares. Formação de pesquisadores na pós-graduação em educação: embates ontológicos e epistemológicos. 2006. 176 f. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Florianópolis, 2006.

LEFEBVRE, Henri. Lógica formal/lógica dialética (tradução de Carlos Nelson Coutinho). 3ªEd. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 1983. 301 p.KOPNIN, P. V. Fundamentos lógicos da ciência. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1972. 280 p.

KOSIK, Karel. Dialética do concreto. São Paulo: Paz e Terra, 1976. 250 p.

PAULO NETTO, José. Introdução ao estudo do método de Marx. 1. ed. São Paulo: Expressão popular, 2011. 64 p.

MARTINS, Lígia. O desenvolvimento do psiquismo e a educação escolar: contribuição à luz da psicologia histórico-cultural e da pedagogia histórico crítica. Campinas, SP: Autores Associados, 2013. 315 p.

MARX, Karl. O Capital: crítica da economia política: Livro I: o processo de produção do capital; [tradução de Rubens Ederle] - São Paulo: Boitempo, 2013. 894 p.

MARX, Karl. Contribuição à crítica da economia política. 2. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2008. 288 p.

MARX, Karl. Formações econômicas pré-capitalistas (tradução de João Maia). 5ª ed. São Paulo: Paz e Terra. 1964. 137 p.

MORSCHBACHER, Márcia. Formação de professores: proposições para a formação para o trabalho científico na Licenciatura em Educação Física. 363 f. Tese (Doutorado) –Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2016.

SÁ, Kátia Oliver de. Projetos integrados de pesquisa em rede: Realidade e possibilidades da produção do conhecimento stricto sensu em educação física, esporte e lazer de professores que trabalham em cursos de Formação de professores de Educação Física no estado da Bahia –1982 A 2012. 2013. 147 f. Programa de Pós-Graduação em Educação. Faculdade de Educação, UNICAMP, Campinas, 2013.

SÁ, K.; SILVA, Luis; BÔAS JUNIOR, J. Elevação da formação do pensamento científico de pesquisadores: projeto epistefnordeste: Bahia. Filosofia e Educação [RFE]–volume 8, número 3 –Campinas, SP. Outubro de 2016 - janeiro de 2017 – ISSN 1984-9605. 169-192 p.

SAVIANI, Dermeval. Educação: Do senso comum à consciência filosófica. 3 ed. São Paulo: Cortez e Autores Associados, 1983. 224 p.

SILVA, Rossana Valéria Souza e. Pesquisa em Educação Física: Determinações históricas e implicações epistemológicas. 1997. 278 f. Tese (Doutorado em Educação). Faculdade de Educação, UNICAMP, Campinas. 1997.

TRIVIÑOS, Augusto. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. 1. ed. –23º reimpt. –São Paulo: Atlas, 2015. 9-73 p.

VILAS BÔAS JUNIOR, Jaildo Calda Dos Santos. A lógica dos problemas de investigação e das conclusões principais identificadas na produção do conhecimento stricto sensu de professores que trabalham nos cursos de educação física na Bahia- 1982 a 2018: limites e contradições. 100 f. 2019. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2019

Downloads

Publicado

2021-05-14

Como Citar

VILAS BÔAS JUNIOR, J.; SÁ, K. O. de; ALVES , M. H. Z. . A lógica na construção de perguntas de investigação na produção do conhecimento Stricto Sensu. Filosofia e Educação, Campinas, SP, v. 13, n. 1, p. 2056–2081, 2021. DOI: 10.20396/rfe.v13i1.8663836. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rfe/article/view/8663836. Acesso em: 25 set. 2021.