A cruel pedagogia do vírus

quarentena para sobreviver

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/rfe.v13i3.8665340

Palavras-chave:

Pandemia, Mercado, Sul, Vírus

Resumo

Lançada em 2020, a presente obra A cruel pedagogia do vírus, (32p.) do sociólogo português Boaventura de Sousa Santos (1940), professor da Universidade de Coimbra/ Portugal, e autor de outras obras sobre o sul global e sobre a periferia do mundo, tratando de questões de movimentos de direitos humanos e sociais, justiça cognitiva e equidade epistemológica. A obra é composta por cinco capítulos com um discurso atual e apropriado sobre a crise que o vírus chinês intitulado COVID-19, ou corona vírus, trouxe para o mundo. Uma reflexão além de teórica, com viés humanitário e que ressalta as mazelas sociais que existiam nas sociedades mesmo antes da descoberta do vírus e agravadas com a evolução dele. Um texto curto, mas um texto importante, pertinente e potente, com uma discussão inesgotável sobre o momento em que o mundo e o Brasil passam pela pandemia. Essa obra faz parte da coleção Pandemia Capital, da Boi Tempo Editorial, responsável por uma série de e-books curtos sobre a pandemia e as questões sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Neuza Maria Câmara de Souza, Universidade Federal de São João del-Rei

Mestrado em andamento em Educação pela Universidade Federal de São João del-Rei.  

Referências

SANTOS, Boaventura de Sousa. A cruel pedagogia do vírus. São Paulo: Boitempo, 2020.

Downloads

Publicado

2022-01-20

Como Citar

Souza, N. M. C. de. (2022). A cruel pedagogia do vírus: quarentena para sobreviver. Filosofia E Educação, 13(3), 2829–2838. https://doi.org/10.20396/rfe.v13i3.8665340