Banner Portal
Deleuze e Guattari para pensar a educação em cièncias
A Revista Filosofia e Educação dedica este numéro à divulgação da seleção de artigos encaminhados para a seção de fluxo contínuo durante o ano de 2021. Considerando a variedade temática, esperamos que o títulobde "Filosofia da educação e ideias pedagógicas conemporâneas" permita sinalizar os conteúdos que abrangem desde as práticas de ensino, as correntes filosóficas que permeiam o debate pedagico até as perspectivas éticas na formação e no exercício da profissão do educador.
PDF

Palavras-chave

Gilles Deleuze
Félix Guattari
Educação em ciências

Como Citar

FERRARO, José Luís. Deleuze e Guattari para pensar a educação em cièncias. Filosofia e Educação, Campinas, SP, v. 14, n. 2, p. 145–174, 2022. DOI: 10.20396/rfe.v14i2.8668223. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rfe/article/view/8668223. Acesso em: 22 jul. 2024.

Resumo

Este trabalho agencia a obra de Gilles Deleuze e Félix Guattari à educação em ciências ao jogar luzes sobre o deslocamento que permeia a organização deste componente curricular. O uso destes autores para pensarmos a  educação em ciências, possibilita a (re)inserção da diferença e da multiplicidade, extirpadas do estrato científico pelo sonho moderno de totalização da realidade – que persiste no pedagógico – por meio da redução conceitual operada pela lógica da identidade. Assim, evidencia as (des)continuidades das práticas entre um estrato e outro, como resultado da força de uma tradição que passa a ser subvertida pelo corte epistemológico deleuzo-guattariano.

https://doi.org/10.20396/rfe.v14i2.8668223
PDF

Referências

BOURDIEU, Pierre. Usos sociais da ciência. São Paulo: Unesp, 2003.

BUTLER, Judith. Corpos que importam: os limites discursivos do “sexo”. São Paulo: n-1 edições, 2020.

BRASIL. Lei n. 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF: Presidência da República. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9394.htm Acesso em: 26 jan. 2022.

CANGUILHEM, Georges. La formation du concept de réflexe aux XVII et XVIII siècles. Paris: PUF, 1955.

CANGUILHEM, Georges. O conhecimento da vida. Tradução. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012a.

CANGUILHEM, Georges. Estudos de história e de filosofia das ciências, concernente aos vivos e à vida. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012b.

CANGUILHEM, Georges. O novo conhecimento da vida. In: Georges Canguilhem. Estudos de história e de filosofia das ciências, concernentes aos vivos e à vida. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012c.

CHEVALLARD, Yves. La Transposición Didáctica: del saber sabio al saber enseñado. Buenos Aires:, Aique, 1991.

DELEUZE, Gilles. Instincts et institutions. Revue Philosophique de la France Et de l'Etranger, v. 144, 1954.

DELEUZE, Gilles. Nietzsche e a Filosofia. Rio de Janeiro: Editora Rio, 1976

DELEUZE, Gilles. Foucault. São Paulo: Brasiliense, 1988.

DELEUZE, Gilles. Abecedário. Paris: Éditions Montparnasse, 1994.

DELEUZE, Gilles. Crítica y clínica. Barcelona: Anagrama, 1996.

DELEUZE, Gilles. Proust e os signos. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003.

DELEUZE, Gilles. A lógica do sentido. São Paulo: Perspectiva, 2006.

DELEUZE, Gilles. Diferença e Repetição. Rio de Janeiro: Graal, 2009.

DELEUZE, Gilles. El poder: curso sobre Foucault (Tomo 2). Buenos Aires: Cactus, 2014.

DELEUZE, Gilles ; GUATTARI, Félix. Kafka: por uma literatura menor. Rio de Janeiro: Imago, 1977.

DELEUZE, Gilles ; GUATTARI, Félix. Mil Platôs. v.1,São Paulo, Editora 34, 1995a.

DELEUZE, Gilles ; GUATTARI, Félix. Mil Platôs. v.2,São Paulo, Editora 34, 1995b.

DELEUZE, Gilles ; GUATTARI, Félix. Mil Platôs v.3, São Paulo, Editora 34, 1996.

DELEUZE, Gilles ; GUATTARI, Félix. Mil Platôs. v.4, São Paulo, Editora 34, 1997a.

DELEUZE, Gilles ; GUATTARI, Félix. Mil Platôs. v.5, São Paulo, Editora 34, 1997b.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é a filosofia? Rio de Janeiro: Ed. 34, 2009.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O Anti-Édipo: capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: Ed. 34, 2011.

ESPINOSA, Baruch. Ética. Lisboa: Relógio d’Água, 1992.

FERRARO, José Luís. O conceito de vida: uma discussão à luz da educação. Educação & Realidade, 44, 2019.

FERRARO, José Luís. Corpos utópicos e heterotópicos: da Filosofia à Educação em Ciências. Filosofia e Educação, 12(2), 2020a.

FERRARO, José Luís. Toda a Biologia é queer: subjetivação e diversidade. Locus: Revista de História, 26(1), 172-188, 2020b.

FERRARO, José Luís. Para pensar a estetização da ciência: um ensaio para docentes. In: José Luís Ferraro et al (Orgs.). Conexões universidade-escola: produções do grupo de pesquisa Currículo, Cultura e Contemporaneidade PUCRS/CNPq. Santa Cruz: EDUNISC, 2021.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder Rio de Janeiro, Ed. Graal, 1979.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade I: a vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1997.

FOUCAULT, Michel. Ditos e escritos II: arqueologia das ciências e história dos sistemas de pensamento. 1.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2000.

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. São Paulo: Edições Loyola, 2001

FOUCAULT, Michel. As Palavras e as Coisas. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

FOUCAULT, Michel. A hermenêutica do sujeito. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

FOUCAULT, Michel. Michel Foucault explica seu último livro. In: Michel Foucault. Arqueologia das ciências e história dos sistemas de pensamento. Rio de

Janeiro: Forense Universitária, 2008.

GAUTHIER, Clermont. Esquizoanálise do currículo. Educação & Realidade, v. 27, n. 2, 2002.

GUATTARI, Félix. Revolução molecular: pulsações políticas do desejo. São Paulo: Editora Brasiliense, 1981.

GUATTARI, Félix. Caosmose. Ed. São Paulo: Ed. 34, 1992.

KILPATRICK, William. The project method: the use of the purposeful act in the educative process. New York: Teachers College Press, 1922.

LINNAEUS, Carolus. Systema naturae. Holmiae [Stockholm]: Impensis Direct. Laurentii Salvii, 1758.

MACHADO, Roberto. Foucault, a ciência e o saber. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.

NIETZSCHE, Friedrich. Sobre verdade e mentira no sentido extra-moral. São Paulo: Nova Cultural, 1996.

NIETZSCHE, Friedrich. A gaia ciência. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

NIETZSCHE, Friedrich. A vontade de poder. Rio de Janeiro: Contraponto Editora, 2020.

REVEL, Judith. Michel Foucault: conceitos essenciais. São Carlos: Claraluz, 2005.

ROLNIK, Suely; GUATTARI, Félix. Micropolítica: cartografias do desejo. Petrópolis: Vozes, 1996.

VEYNE, Paul. Como se escreve a história. Lisboa: Edições 70, 1987.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Filosofia e Educação

Downloads

Não há dados estatísticos.