Banner Portal
Corporeidade e epistemologia
PDF

Palavras-chave

Corporeidade
Concepções
Epistemologia

Como Citar

Baptista, T. J. R. (2022). Corporeidade e epistemologia. Filosofia E Educação, 14(1), 112–135. https://doi.org/10.20396/rfe.v14i1.8668684

Resumo

Corporeidade tem sido usada em situações diferentes, considerando que este termo se apresenta como um processo de totalidade do ser humano para além do corpo entendido como componente biológico. Assim, o objetivo geral é analisar as concepções epistemológicas deste conceito. Para isso, realizou-se uma revisão narrativa a partir de livros e artigos, com textos publicados a partir de 2000, os quais fundamentaram este ensaio. Os resultados apresentam que o conceito de corporeidade possui análises provenientes da fenomenologia, do materialismo dialético e do movimento pós-moderno, sendo a primeira, a mais recorrente.

https://doi.org/10.20396/rfe.v14i1.8668684
PDF

Referências

AHLERT, Alvori. Corporeidade e educação: o corpo e os novos paradigmas da complexidade. Espacios en Blanco. Revista de Educación, v. 21, p. 219-240, 2011.

ARANDA, Rafael A. et al. A concepção de corpo dos estudantes de graduação em Educação Física. Motriz: Revista de Educação Física, v. 18, n. 4, p. 735-747, 2012.

ARISTÓTELES. Sobre a Alma. v. 3, Tomo I. Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 2010.

ARRAIS NETO, Eneas. Dialética, marxismo multidisciplinar e corporeidade. Revista Dialeticus, ano 2, n. 6, p. 177-191, 2015.

ARROYO, Miguel G. Passageiros da noite: do trabalho para a EJA – itinerários para uma vida justa. Petrópolis: Vozes, 2017.

AVICENA, Ibn Sina. Livro da alma. São Paulo: Globo, 2010.

BARCO, Aron P. A concepção husserliana de corporeidade: a distinção fenomenológica entre corpo próprio e corpos inanimados. Synesis, v. 4, n. 2, p. 1-12, 2012.

BONFIM, Tânia R. Corporeidade e educação física. Revista Fafibe Online: Faculdades Integradas FAFIBE, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 1-6, 2011.

CHAUI, Marilena. Convite à filosofia. São Paulo: Ática, 2000.

COMTE, Auguste. Curso de filosofia positiva; Discurso sobre o espírito positivo; Discurso preliminar sobre o conjunto do positivismo; Catecismo positivista. São Paulo: Abril Cultural, 1978. (Coleção Os pensadores).

CORDEIRO, Alexander M. et al. Revisão sistemática: uma revisão narrativa. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, v. 34, p. 428-431, 2007.

DAL-COL, Patrícia S.; GALVÃO, Edna F. C.. Do paradigma da corporeidade à semiótica do corpo: uma reflexão sobre a produção de subjetividade nas vivências em Biodanza. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 5, p. 29836-29846, 2020.

DESCARTES, René. Discurso do Método: regras para a direção do espírito. São Paulo: Martin Claret, 2006.

DESCARTES, René. Meditações Metafísicas. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

FERREIRA, Terita M. da S.; BAPTISTA. Tadeu J. R. Concepção de corpo de estudantes de 1º e 8º períodos de duas Universidades de Goiás. Educação: Teoria e Prática. Rio Claro, v. 23, n. 44, p. 130-147, set.-dez. 2013.

FREIRE, Luciana B. de Oliveira; LIMA, Patrícia F. R. Reflexões sobre Corpo, Práxis e Corporeidade. Research, Society and Development, v. 8, n. 8, p. e10881180, 2019.

GAMA, Augusto C. V. Implicações sociais da formação profissional do bacharelado em Educação Física sobre a compreensão de corpo, estética e educação. Dissertação [Mestrado em Educação]. Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2019.

GAIGER, Paulo J. G. Um ensaio sobre a corporeidade. Revista Perfil. Porto Alegre. v. 4, n. 4, p. 95-102, 2000.

GLEYSE, Jacques; KANEKO, Glaucia L.; SOARES, Marta G. Do porto ao palco, um estudo dos conceitos de corporeidade e corporalidade. Dialectiké, IFRN, v. 3, n. 2, p.66-75, 2015.

GONÇALVES, Maria A. S. Sentir, pensar, agir: corporeidade e educação. Campinas: Papirus, 1994.

GRANT, Maria J.; BOOTH, Andrew. A typology of reviews: an analysis of 14 review types and associated methodologies. Health information & libraries journal, v. 26, n. 2, p. 91-108, 2009.

HEROLD JUNIOR, Carlos. Corporeidade e alteridade: reflexões a partir da história da educação e da área de trabalho e educação. EFDeportes – Revista digital, Buenos Aires, Año 12, n. 110, p. 1-19, jul. 2007.

HEROLD JUNIOR, Carlos. Os processos formativos da corporeidade e o marxismo: aproximações pela problemática do trabalho. Revista Brasileira de Educação, v. 13, n. 37, p. 98-111, jan./abr. 2008.

HEROLD JUNIOR, Carlos. Corpo no trabalho e corpo pelo trabalho: perspectivas no estudo da corporalidade e da educação no capitalismo contemporâneo. Trabalho, Educação, e Saúde, Rio de Janeiro, v. 10, n. 1, p. 11-35, mar./jun. 2012.

JOÃO, Renato B. Corporeidade e epistemologia da complexidade: por uma prática educativa vivencial. Educação e Pesquisa, v. 45, p. 1-17, 2019.

JOÃO, Renato B.; BRITO, Marcelo de. Pensando a corporeidade na prática pedagógica em educação física à luz do pensamento complexo. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v. 18, n. 3, p. 263-272, 2004.

KIRSTEN, Milena de L. G.; AVELAR, Luciane S.; BAPTISTA, Tadeu J. R. O conceito de corporalidade em periódicos da Educação Física brasileira: uma revisão integrativa. Revista Motrivivência, v. 34, p. 1-19, 2022.

LA METTRIE, Julien O. de. L’Homme machine: avec une introduction. Paris: Galérie D’Órleans, 1865.

LE BRETON, David. A Sociologia do Corpo. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 2010.

MARX, Karl. Manuscritos Econômico-Filosóficos. 4. reimp. São Paulo: Boitempo, 2010.

MARX, Karl. O Capital: crítica da economia política. livro 1: o processo de produção do capital. 2. ed. São Paulo: Boitempo, 2017.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A Ideologia alemã. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

MEDEIROS, Francisco E. Concepções de corpo em livros de educação física: uma leitura em obras de autores brasileiros publicadas nos anos 80 e 90. CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DO ESPORTE, XI, Florianópolis. Anais... Florianópolis: Sedigraf/CBCE, 1999, Caderno 3, p. 1310-1317.

MEDEIROS, Mara. Didática e prática de ensino da educação física: para além de uma abordagem formal. Goiânia: CEGRAF-UFG, 1998.

MEDINA, João Paulo S. O brasileiro e seu corpo: educação e política do corpo. 12. ed. Campinas: Papirus, 2009.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção. 4. ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2011.

MOREIRA, Wagner W. (Org.). Corpo pressente. Campinas: Papirus, 1995.

MOREIRA, Wagner W. Formação profissional na área da educação física: o fenômeno corporeidade como eixo balizador. In: PACHECO NETO, Manuel (Org.). Educação física, corporeidade e saúde. Dourados: Ed. UFGD, 2012, p. 31-43.

MOREIRA, Wagner W.; SIMÕES Regina. Corporeidade e formação profissional na área da educação física e dos esportes. In: PACHECO NETO, Manuel (Org.). Desafios da Educação Física: cultura e corpo em movimento. Dourados - MS: Ed. UFGD, 2016, p. 41-56.

NÓBREGA, Terezinha P. da. Corpo, percepção e conhecimento em Merleau-Ponty. Estudos de psicologia, v. 13, n. 2, p. 141-148, 2008.

NÓBREGA, Terezinha P. da. Merleau-Ponty, corporeidade e Educação Motora. In: X Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte, 1997, Goiânia. X CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DO ESPORTE, Goiânia, 1997. Merleau-Ponty, corporeidade e Educação Motora. In: X Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte, 1997, Goiânia. Anais ... Goiânia: CEGRAF, 1997, v. II. p. 1552-1557.

NÓBREGA, Terezinha P. da. Uma fenomenologia do corpo. São Paulo: Editora e Livraria da Física, 2010.

PLATÃO. Fédon. São Paulo: Rideel, 2005.

PORPINO, Karenine de O. Dançar é educar: refazendo conexões entre corpo e estética. In: NÓBREGA, Terezinha P. de (Org.). Escritos sobre o Corpo: diálogos entre arte, ciência, filosofia e educação. Natal: Ed. da UFRN, 2009, p. 51-75.

SANCHEZ GAMBOA, Silvio A. Métodos mistos nas análises epistemológicas: balanço da produção do conhecimento em educação física no nordeste brasileiro (1980-2013). In: CHAVES-GAMBOA, M.; SANCHEZ GAMBOA, S.; TAFFAREL, C. (Org.). Produção do conhecimento na educação física no nordeste brasileiro: o impacto dos sistemas de pós-graduação na formação dos pesquisadores da região. Campinas: Librum Editora, 2017, p. 26-37.

SANTIN, Silvino. Corporeidade. In: GONZÁLES, Fernando J.; FENTERSEIFER, Paulo E. (Org.). Dicionário crítico de educação física. 3. ed. rev. e ampl. Ijuí: Ed. UNIJUÍ, 2014, p. 157-158.

SANTIN, Silvino. Educação Física: uma abordagem filosófica da corporeidade. 2. ed. rev. Ijuí: Ed. UNIJUÍ, 2003.

SANTIN, Silvino. Qualidade de vida e esporte nos caminhos da filosofia da corporeidade. In: MOREIRA, Wagner W.; SIMÕES, Regina (Org.). Esporte como fator de qualidade de vida. Piracicaba: UNIMEP, 2002, p. 227-241.

SANTOS FILHO, José C. dos; GAMBOA, Silvio A. S. (Org.). Pesquisa educacional: quantidade-qualidade. São Paulo: Cortez, 1997.

SCORSOLINI-COMIN, Fabio; AMORIM, Katia de S. Corporeidade: uma revisão crítica da literatura científica. Psicologia em Revista, v. 14, n. 1, p. 189-214, 2008.

SILVA, Alan C. et al. A visão de corpo na perspectiva de graduandos em Educação Física: fragmentada ou integrada? Movimento. Porto Alegre, v. 15, n. 03, p. 109-126, jul./set. 2009.

SILVA, Alan C.; SILVA, Fernanda A. G. da; LÜDORF, Silvia M. A. Formação em educação física: uma análise comparativa de concepções de corpo de graduandos. Movimento. Porto Alegre, v. 17, n. 02, p. 57-74, abr/jun. 2011.

SIMÕES, Regina; PICCOLO, Vilma L. N. Corporeidade e motricidade humana na educação física: uma possibilidade de transcendência da área. In: PACHECO NETO, Manuel (Org.). Educação física, corporeidade e saúde. Dourados: Ed. UFGD, 2012, p. 13-29.

SOARES, Carmen L. et al. Metodologia do Ensino da Educação Física. 2. ed. rev. São Paulo: Cortez, 2012.

TRIVIÑOS, Augusto N. S. Introdução à pesquisa em Ciências Sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

ZOBOLI, Fábio. Cisão corpo mente: espelhos e reflexos na práxis da educação física. São Cristóvão: Editora da UFS, 2012.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Filosofia e Educação

Downloads

Não há dados estatísticos.