Banner Portal
A relação entre as emoções de rivalidade e as categorias do desejo em Aristóteles
O Número temático intitulado “A Epistemologia da Educação na América Latina e no Caribe: desafios e perspectivas” pretende documentar, compartilhar reflexões, resultados de pesquisas e experiências pedagógicas, que contribuam justamente para dinamizar o tema proposto, e identificar problemática em que poderíamos cooperar para colocar a Epistemologia da Educação a serviço das discussões das agendas curriculares e das reformas educacionais nos países da região que visem impacto social e educacional de forma inclusiva.
PDF

Palavras-chave

Espinosa
Educação
Desejo

Como Citar

BARREIRO, Mateus; FURLAN, Marta. A relação entre as emoções de rivalidade e as categorias do desejo em Aristóteles. Filosofia e Educação, Campinas, SP, v. 14, n. 3, p. 119–140, 2024. DOI: 10.20396/rfe.v14i3.8673268. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rfe/article/view/8673268. Acesso em: 22 jun. 2024.

Resumo

Na filosofia de Aristóteles, o sentimento de amizade apresenta uma ambivalência com as emoções de rivalidade (philotimia) como a cólera (orgê) e a emulação (zêlos). Neste sentido, este artigo tem como objetivo principal refletir sobre os aspectos emocionais que envolvem a noção de amizade, visando aprofundar a relação entre as emoções de rivalidade e as categorias do desejo em Aristóteles. A produtividade dessas reflexões, aponta que o modo como as diversas relações sociais e a construção do conhecimento desenvolvido, também são emocionais, fato que expõem como condição necessária para o desenvolvimento de aspectos vinculados a formação humana.

https://doi.org/10.20396/rfe.v14i3.8673268
PDF

Referências

ANDRADE MARTINS, Roberto.; MARTINS, Lilian. Uma leitura biológica do 'De Anima' de Aristóteles. Filosofia e História da Biologia, Campinas, v. 2, n. 1, p. 405-426, 2007.

AGGIO, Juliana. As espécies de desejo segundo Aristóteles. Revista ética e filosofia política, Juiz de Fora, MG, v. 2, n. 18, p. 63-75, 2015.

ARISTÓTELES. Nicomachean Ethics. Kitchener, Canada: Batoche Books, 1999.

______. Rhetoric. Trad. Roberts, W.R. Mineoa:Courier Corporation, 2004.

______. De Anima. Tradução de D. W. Hamlyn. Oxford: Oxford University Press, 2004.

______. Ética a Nicômaco. Tradução de Torrieri Guimarães. São Paulo: Martin Claret, 2012a.

______. Eudemian Ethics. Tradução de Brad Inwood; Raphael Woolf. Cambridge: Cambridge University Press, 2012b.

______. Retórica. Tradução de Manuel Alexandre Júnior, Paulo Farmhouse Alberto e Abel do Nascimento Pena. São Paulo: Martins Fontes, 2012c.

COOPER, Joshua. An Aristotelian theory of the emotions. In: RORTY, A. O. (Ed.). Essays on Aristotle’s rhetoric. Oakland, CA: University of California, 1996. p. 238-257.

GILL, Christopher. Is rivalry a virtue or a vice? In: KONSTAN, D.; RUTTER, K. (Ed.). Envy, Spite and Jealousy. Edinburgh, UK: Edinburgh University Press, 2003. p. 29-51.

MEYER, Martin. Aristóteles ou a retórica das paixões. In. ARISTÓTELES. Retórica das paixões. Tradução de Isis Borges B. da Fonseca. São Paulo: Martins Fontes, 2000. p. 1-147.

OLIVEIRA, Anamar. A psicologia de Platão: sobre a teoria da psyché (alma) humana no diálogo Fedro, a partir das categorias do apolíneo e do dionisíaco. Plêthos, Rio de Janeiro, n. 1, v. 2, p. 176-194, 2012.

PLATÃO. República. Tradução de Enrico Corvisieri. São Paulo: Nova Cultural, 1997.

VIANO, Cristina. Amizade e emoções de rivalidade em Aristóteles: uma origem comum? Journal of Ancient Philosophy, v. 2, n. 1, p. 1-15, 2008.

ZINGANO, Marco. Emoção, ação e felicidade em Aristóteles. In: ______. Estudos de Ética Antiga. São Paulo: Discurso Editorial, 2007a. p. 143-166.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2024 Filosofia e Educação

Downloads

Não há dados estatísticos.