Banner Portal
Schopenhauer como educador
O Número temático intitulado “A Epistemologia da Educação na América Latina e no Caribe: desafios e perspectivas” pretende documentar, compartilhar reflexões, resultados de pesquisas e experiências pedagógicas, que contribuam justamente para dinamizar o tema proposto, e identificar problemática em que poderíamos cooperar para colocar a Epistemologia da Educação a serviço das discussões das agendas curriculares e das reformas educacionais nos países da região que visem impacto social e educacional de forma inclusiva.
PDF

Palavras-chave

Educação
Arte
Schopenhauer

Como Citar

PEIXOTO, Enock da Silva. Schopenhauer como educador: modelo de uma formação intempestiva. Filosofia e Educação, Campinas, SP, v. 14, n. 3, p. 162–189, 2024. DOI: 10.20396/rfe.v14i3.8673763. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rfe/article/view/8673763. Acesso em: 28 maio. 2024.

Resumo

Schopenhauer como educador é a terceira, das quatro Considerações Intempestivas e, nesta obra, o então mestre de Nietzsche figura como modelo de educador. Schopenhauer é visto por Nietzsche, neste momento, como um exemplo de gênio, pois figurou na sociedade como exceção, não como regra. A universidade da época e a estrutura estatal são reprovadas por Nietzsche, e, para as confrontar, ele as utiliza como chave de leitura crítica o pensamento do autor conterrâneo. Estudaremos, perpassando as análises que Nietzsche de que modo este autor figurou como alguém que apontou para uma educação intempestiva. Como essa postura de esforço de priorizar a singularidade pode ser configurada como perspectiva também artística.

https://doi.org/10.20396/rfe.v14i3.8673763
PDF

Referências

ARALDI, Luís Clademir. Nietzsche, Foucault e a arte de viver. Pelotas: NEPFIL Edição Online, 2020.

BARRENECHEA, Miguel Angel de. Schopenhauer como educador: um modelo de mestre. Revista Poíesis Pedagógica, Catalão GO, v.13, n.2, p. 06-14, jul/dez. 2015.

CALOMENI, Tereza Cristina B. Intempestividade e trágico em Nietzsche. Revista: O Percevejo. Periódico do Programa de Pós-Graduação em Artes Cénicas-UNIRIO- RJ. Volume 03 – Número 02 – agosto-dezembro/2011.

DIAS, Luciana da Costa. A educação como formação ou “cultivo de si” em Friedrich Nietzsche. Filosofia e Educação [RFE]. Campinas, SP – volume 8, número 3. Outubro de 2016-Janeiro de 2017.

DIAS, Rosa Maria. Nietzsche Educador. 1ª edição. Rio de Janeiro: Scipione, 1991.

DIAS, Rosa Maria. Cultura e Educação no Pensamento de Nietzsche. Impulso, Piracicaba-SP, v. 12, n. 28, p. 33-40, 2001.

FINK, Eugen. A filosofia de Nietzsche. 1ª edição. Lisboa: Presença, 1993.

HAAR, Michel. La joietragique. Nietzsche et la métaphysique. Paris: Gallimard, 1993.

LARROSA, Jorge. Nietzsche e a Educação. 1 ª edição. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

MACHADO, Roberto. Nietzsche e a verdade. 2ª edição. São Paulo, Paz e Terra, 1999.

MENDONÇA, Adriany & MENDONÇA, Alexandre. Contribuições de Nietzsche para uma concepção artística de educação. Revista Trágica: estudos de filosofia da imanência, Rio de Janeiro, v.10 nº 1, 2017.

NIETZSCHE, Friedrich. COLLI, Giorgio e MONTINARI, Mazzino: Friedrich Nietzsche. Sämtliche Werke. Kritische Studienausgabe. Edição crítica. Org. Giorgio Colli e Mazzino Montinari. Berlim; Nova York: Walter de Gruyter, Edição francesa: Paris: Gallimard, 1988.

NIETZSCHE, Friedrich. Considerações extemporâneas. In: Obras incompletas. Coleção: Os Pensadores: seleção de textos de Gérard Lebrun. Tradução e notas de Rubens Rodrigues Torres Filho. Editora Nova Cultural, São Paulo, 1999.

NIETZSCHE, Friedrich. Schopenhauer como educador. Considerações extemporâneas III. Tradutor: Luis Clademir Araldi. 1 edição. São Paulo: Martins Fontes, 2020.

SANTOS, Vanilda Honória dos. A Educação como crítica à Modernidade na filosofia de Friedrich Nietzsche. Horizonte Científico (Uberlândia) , v. 2, p. 1-30, 2010.

SOBRINHO, Noéli Correia de Melo. A pedagogia de Nietzsche. In: NIETZSCHE, F. Escritos sobre educação. Tradução, apresentação e notas de Noéli Correia Sobrinho. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio; São Paulo, Loyola, 2003.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.

Copyright (c) 2024 Filosofia e Educação

Downloads

Não há dados estatísticos.