Banner Portal
Formação do pesquisador e multirreferencialidade: questões emergentes
PORTUGUÊS
ENGLISH

Arquivos suplementares

Formação do pesquisador e multirreferencialidade: questões emergentes

Palavras-chave

Formação de pesquisadores. Educação superior. Crise da educação. Educação científica. Prática profissional.

Como Citar

DALPIAZ, Luiza Helena. Formação do pesquisador e multirreferencialidade: questões emergentes. Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, SP, v. 4, n. 3, p. 631–647, 2018. DOI: 10.20396/riesup.v4i3.8652433. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8652433. Acesso em: 19 maio. 2024.

Resumo

No presente texto, o objetivo é apresentar elementos que particularizam meu trabalho na formação do pesquisador, na pós-graduação strictu sensu (mestrado acadêmico), considerando a multirreferencialidade como perspectiva epistemológica para a produção de conhecimentos. Esse trabalho refere-se à minha prática como orientadora de mestrando em educação, cuja condição é de estudante/trabalhador em mestrado acadêmico. Essa perspectiva se materializa em um método para problematização de práticas educativas, o qual se fundamenta em uma tríade conceitual e duas noções operativas. O método se constitui em um caminho em espiral, no qual o sujeito que produz conhecimentos formula uma questão singular que interroga o respectivo campo de conhecimento, por meio de uma metodologia para a construção do problema de pesquisa. Os resultados apontam para um conjunto diversificado de formas de resistência ao modelo hegemônico produtivista da pós-graduação strictu sensu, no Brasil, em diferentes planos: científico, profissional, formativo e existencial. A multirreferencialidade indica possibilidades para se (re)articular campos e sujeitos, saberes e conhecimentos, que comumente encontram-se dissociados ou mutuamente excluídos. Esse é o sentido radical de uma epistemologia do heterogêneo. Do meu ponto de vista, tal perspectiva, (re)atualiza a indissociabilidade da política e da educação, na problematização da interação (ação recíproca) da ação do sujeito singular em uma conjuntura global neoliberal.
https://doi.org/10.20396/riesup.v4i3.8652433
PORTUGUÊS
ENGLISH

Referências

ARDOINO, Jacques. Les avatars de l’éducation; problématiques et notions em devenir. Paris: Presses Universitaires de France, 2000. (Éducation et formation; pédagogie théorique et critique)

ARDOINO, Jacques. L’approche multiréférentielle (plurielle) des situations éducatives et formatives. Pratiques de Formation – Analyses. Saint-Denis, n. 25-26, p. 15-41, avr. 1993.

ARDOINO, Jacques. Polysémie de l’ implication. Revue POUR , Toulouse, n. 88, p. 19-22, mar.-avr. 1983.

ARDOINO, Jacques. Éducation et politique; propos actuels sur l’éducation II. Paris: Gauthier-Villars, 1977.

AUTHIER, Michel.; HESS, René. L’analyse institutionnelle. Paris: PUF, 1981. (Que sais-je?, 1968)

BERGER, Guy. Da atualidade e pertinência da perspectiva multirreferencial em ciências da educação: homenagem à obra de Jacques Ardoino. Manuscrito de conferência realizada em: (IN)FORMACCE – COLÓQUIO NACIONAL DE ESTUDOS, PESQUISAS E INTERVENÇÕES EM CURRÍCULO E FORMAÇÃO, IV; CObFORMACCE – CONFERÊNCIA DO OBSERVATÓRIO AVANÇADO DE CURRÍCULO E FORMAÇÃO, I. 2016, Salvador: Grupo de Pesquisa FORMACCE em Aberto, PPGE/UFBA, 2016, 22p.

BERGER, Guy; MUTUALE, Augustin. Conversations sur l’éducation; s’autoriser à éduquer. Paris: L’Harmattan, 2012. (Éducations et sociétés)

BERGER, Guy. Ardoino et la multiréférentialité. Pratiques de formation, Analyses – “Le devenir de la multiréférentialité; hommage à Jacques Ardoino”, Saint-Denis, n. 36, p. 33-40, fév. 1999.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Tradução de Fernando Tomaz. 8.ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

CUNHA, Antonio Geraldo da. Dicionário etimológico nova fronteira da língua portuguesa. 2.ed. rev. e acresc. de 124 p. 7 imp. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1996.

CUNHA, Myrtes Dias da; MENDES, Olenir Maria. Entrevista – A Pós-Graduação e a pesquisa em Educação: trajetórias percorridas e desafios atuais. Entrevista com Carlos Roberto Jamil Cury e Dalila Andrade de Oliveira. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 10, n. 2, p. 405-413, jul./dez. 2015. Disponível em: <http://www.revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/view/7566/4550>. Acesso em: 11 maio 2017.

DALPIAZ, Luiza Helena. Devenirpraticien-chercheur, une possibilitépourledépassement de la crise destravailleurssociaux: l’approche d’une assistantesociale. 1994. Thèse (Doctoraten Sciences de l’Éducation)–Département des Sciences de l’Éducation, Université Paris VIII – Vincennes à Saint-Denis, Saint-Denis-France, 1994.

DALPIAZ, Luiza Helena. Método de problematização de práticas sociais e formação profissional. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE COMUNICAÇÃO - “DA ALDEIA GLOBAL AO CIBERESPAÇO: AS TECNOLOGIAS DO IMAGINÁRIO COMO EXTENSÕES DO HOMEM: A NOVA ORDEM EM REDE”, 7., 2003, Porto Alegre, RS. Anais. Porto Alegre, RS: PPGCom – Famecos/Pucrs, 2003. CD.

DALPIAZ, Luiza Helena. Método de problematização de práticas sociais e formação profissional. Revista Temas Sociais em ExpreSSão, Frederico Westphalen, v. 4, n.4, p.67-82, 2005.

DALPIAZ, Luiza Helena. Educação permanente e políticas públicas: problematização de práticas e produção de conhecimentos. Roteiro, Joaçaba, v.40, ed. esp., p.173-192, 2015. Disponível em: <http://editora.unoesc.edu.br/index.php/roteiro/article/view/9189/5248>. Acesso em: 05 jan. 2016.

DALPIAZ, Luiza Helena; BERGER, Guy. A pesquisa como problema: elementos de um método de pesquisa-formação no Serviço Social. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISADORES EM SERVIÇO SOCIAL – “O SERVIÇO SOCIAL E A QUESTÃO SOCIAL: DIREITOS E CIDADANIA”, 7, 2000, Brasília, DF. Anais. Brasília, DF: ABEPSS, 2000.

DEJOURS, Christophe. Subjetividade, trabalho e ação. Revista Produção, São Paulo, v. 14, n. 3, p. 27-34, set./dez. 2004. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/prod/v14n3/v14n3a03.pdf>. Acesso em: 15 jun. 2016.

DEVEREUX, Georges. De l’angoisse à la méthode dans les sciences du comportement. Paris, Flammarion, 1980. (Nouvelle bibliothèque scientifique)

GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas, sinais: morfologia e história. Tradução Federico Carotti. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

HOSTINS, Regina Célia Linhares. Os Planos Nacionais de Pós-Graduação (PNPG) e suas repercussões na Pós-graduação brasileira. Perspectiva, Florianópolis, v. 24, n. 1, p. 133-160, jan/jun. 2006. Disponível em: <http://www.perspectiva.ufsc.br>. Acesso em: 14 abr. 2017.

LOURAU, René. Implication et surimplication. Revue du Mauss. Paris, n. 10, p. 110-120, 4. trim. 1990.

LOURAU, René. Le journal de recherche; matériaux d’une théorie de l’implication. Paris: Meridiens Klincksieck, 1988. (Analyse institutionnelle).

LOURAU, René. L’état inconscient. Paris: Minuit, 1978. (Arguments)

LOURAU, René. L’analyse institutionnelle. Paris: Minuit, 1970. (Arguments)

MORIN, Edgar. La méthode 3. La connaissance de la connaissance. Paris: Seuil, 1986. (Points, Essais, 236)

OLIVEIRA, João Ferreira de. A Pós-Graduação e a pesquisa no Brasil: processos de regulação e de reconfiguração da formação e da produção do trabalho acadêmico. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 10, n. 2, p. 343-363, jul./dez. 2015. Disponível em: <http://www.revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/view/7138/4546>. Acesso em: 11 maio 2017.

SAVIANI, Dermeval. A pós-graduação em educação no Brasil: pensando o problema da orientação. In: BIANCHETTI, Lucídio; MACHADO, Ana Maria Netto. (Org.) A bússola do escrever; desafios e estratégias na orientação de teses e dissertações. Florianópolis: UFSC; São Paulo: Cortez, 2002, p.135-163.

SAVIANI, Dermeval. O dilema produtividade-qualidade na pós-graduação. Nuances: Estudos sobre Educação, Presidente Prudente, SP, ano XVII, v. 17, n. 18, p. 32-49, jan./dez. 2010. Disponível em: <http://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/723/736>. Acesso em: 11 maio 2017.

ZECCA, Marine. L’évaluation: outils d’émancipation? In: BACHMANN, Christian. Les savoirs-faire de l’inquiètude et du renouveau: une formation à l’évaluation de l’action sociale. Paris: PROMOFAF, 1989, p.57-59.

ZUIN, Antônio. A. S.; BIANCHETTI, Lucídio. O produtivismo na era do “publique, apareça ou pereça”: um equilíbrio difícil e necessário. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, vol. 45, n. 158, p. 726-750, dez. 2015. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/cp/v45n158/1980-5314-cp-45-158-00726.pdf>. Acesso em: 11 maio 2017.

Revista Internacional de Educação Superior utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto.

Downloads

Não há dados estatísticos.