Formação do pesquisador e multirreferencialidade: questões emergentes

Palavras-chave: Formação de pesquisadores. Educação superior. Crise da educação. Educação científica. Prática profissional.

Resumo

No presente texto, o objetivo é apresentar elementos que particularizam meu trabalho na formação do pesquisador, na pós-graduação strictu sensu (mestrado acadêmico), considerando a multirreferencialidade como perspectiva epistemológica para a produção de conhecimentos. Esse trabalho refere-se à minha prática como orientadora de mestrando em educação, cuja condição é de estudante/trabalhador em mestrado acadêmico. Essa perspectiva se materializa em um método para problematização de práticas educativas, o qual se fundamenta em uma tríade conceitual e duas noções operativas. O método se constitui em um caminho em espiral, no qual o sujeito que produz conhecimentos formula uma questão singular que interroga o respectivo campo de conhecimento, por meio de uma metodologia para a construção do problema de pesquisa. Os resultados apontam para um conjunto diversificado de formas de resistência ao modelo hegemônico produtivista da pós-graduação strictu sensu, no Brasil, em diferentes planos: científico, profissional, formativo e existencial. A multirreferencialidade indica possibilidades para se (re)articular campos e sujeitos, saberes e conhecimentos, que comumente encontram-se dissociados ou mutuamente excluídos. Esse é o sentido radical de uma epistemologia do heterogêneo. Do meu ponto de vista, tal perspectiva, (re)atualiza a indissociabilidade da política e da educação, na problematização da interação (ação recíproca) da ação do sujeito singular em uma conjuntura global neoliberal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiza Helena Dalpiaz, Universidade do Oeste de Santa Catarina
Doutora em Ciências da Educação (Universidade Paris 8 - Vincennes à Saint-Denis, França). Docente da Universidade do Oeste de Santa catarina (Unoesc)

Referências

ARDOINO, Jacques. Les avatars de l’éducation; problématiques et notions em devenir. Paris: Presses Universitaires de France, 2000. (Éducation et formation; pédagogie théorique et critique)

ARDOINO, Jacques. L’approche multiréférentielle (plurielle) des situations éducatives et formatives. Pratiques de Formation – Analyses. Saint-Denis, n. 25-26, p. 15-41, avr. 1993.

ARDOINO, Jacques. Polysémie de l’ implication. Revue POUR , Toulouse, n. 88, p. 19-22, mar.-avr. 1983.

ARDOINO, Jacques. Éducation et politique; propos actuels sur l’éducation II. Paris: Gauthier-Villars, 1977.

AUTHIER, Michel.; HESS, René. L’analyse institutionnelle. Paris: PUF, 1981. (Que sais-je?, 1968)

BERGER, Guy. Da atualidade e pertinência da perspectiva multirreferencial em ciências da educação: homenagem à obra de Jacques Ardoino. Manuscrito de conferência realizada em: (IN)FORMACCE – COLÓQUIO NACIONAL DE ESTUDOS, PESQUISAS E INTERVENÇÕES EM CURRÍCULO E FORMAÇÃO, IV; CObFORMACCE – CONFERÊNCIA DO OBSERVATÓRIO AVANÇADO DE CURRÍCULO E FORMAÇÃO, I. 2016, Salvador: Grupo de Pesquisa FORMACCE em Aberto, PPGE/UFBA, 2016, 22p.

BERGER, Guy; MUTUALE, Augustin. Conversations sur l’éducation; s’autoriser à éduquer. Paris: L’Harmattan, 2012. (Éducations et sociétés)

BERGER, Guy. Ardoino et la multiréférentialité. Pratiques de formation, Analyses – “Le devenir de la multiréférentialité; hommage à Jacques Ardoino”, Saint-Denis, n. 36, p. 33-40, fév. 1999.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Tradução de Fernando Tomaz. 8.ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

CUNHA, Antonio Geraldo da. Dicionário etimológico nova fronteira da língua portuguesa. 2.ed. rev. e acresc. de 124 p. 7 imp. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1996.

CUNHA, Myrtes Dias da; MENDES, Olenir Maria. Entrevista – A Pós-Graduação e a pesquisa em Educação: trajetórias percorridas e desafios atuais. Entrevista com Carlos Roberto Jamil Cury e Dalila Andrade de Oliveira. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 10, n. 2, p. 405-413, jul./dez. 2015. Disponível em: <http://www.revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/view/7566/4550>. Acesso em: 11 maio 2017.

DALPIAZ, Luiza Helena. Devenirpraticien-chercheur, une possibilitépourledépassement de la crise destravailleurssociaux: l’approche d’une assistantesociale. 1994. Thèse (Doctoraten Sciences de l’Éducation)–Département des Sciences de l’Éducation, Université Paris VIII – Vincennes à Saint-Denis, Saint-Denis-France, 1994.

DALPIAZ, Luiza Helena. Método de problematização de práticas sociais e formação profissional. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE COMUNICAÇÃO - “DA ALDEIA GLOBAL AO CIBERESPAÇO: AS TECNOLOGIAS DO IMAGINÁRIO COMO EXTENSÕES DO HOMEM: A NOVA ORDEM EM REDE”, 7., 2003, Porto Alegre, RS. Anais. Porto Alegre, RS: PPGCom – Famecos/Pucrs, 2003. CD.

DALPIAZ, Luiza Helena. Método de problematização de práticas sociais e formação profissional. Revista Temas Sociais em ExpreSSão, Frederico Westphalen, v. 4, n.4, p.67-82, 2005.

DALPIAZ, Luiza Helena. Educação permanente e políticas públicas: problematização de práticas e produção de conhecimentos. Roteiro, Joaçaba, v.40, ed. esp., p.173-192, 2015. Disponível em: <http://editora.unoesc.edu.br/index.php/roteiro/article/view/9189/5248>. Acesso em: 05 jan. 2016.

DALPIAZ, Luiza Helena; BERGER, Guy. A pesquisa como problema: elementos de um método de pesquisa-formação no Serviço Social. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISADORES EM SERVIÇO SOCIAL – “O SERVIÇO SOCIAL E A QUESTÃO SOCIAL: DIREITOS E CIDADANIA”, 7, 2000, Brasília, DF. Anais. Brasília, DF: ABEPSS, 2000.

DEJOURS, Christophe. Subjetividade, trabalho e ação. Revista Produção, São Paulo, v. 14, n. 3, p. 27-34, set./dez. 2004. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/prod/v14n3/v14n3a03.pdf>. Acesso em: 15 jun. 2016.

DEVEREUX, Georges. De l’angoisse à la méthode dans les sciences du comportement. Paris, Flammarion, 1980. (Nouvelle bibliothèque scientifique)

GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas, sinais: morfologia e história. Tradução Federico Carotti. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

HOSTINS, Regina Célia Linhares. Os Planos Nacionais de Pós-Graduação (PNPG) e suas repercussões na Pós-graduação brasileira. Perspectiva, Florianópolis, v. 24, n. 1, p. 133-160, jan/jun. 2006. Disponível em: <http://www.perspectiva.ufsc.br>. Acesso em: 14 abr. 2017.

LOURAU, René. Implication et surimplication. Revue du Mauss. Paris, n. 10, p. 110-120, 4. trim. 1990.

LOURAU, René. Le journal de recherche; matériaux d’une théorie de l’implication. Paris: Meridiens Klincksieck, 1988. (Analyse institutionnelle).

LOURAU, René. L’état inconscient. Paris: Minuit, 1978. (Arguments)

LOURAU, René. L’analyse institutionnelle. Paris: Minuit, 1970. (Arguments)

MORIN, Edgar. La méthode 3. La connaissance de la connaissance. Paris: Seuil, 1986. (Points, Essais, 236)

OLIVEIRA, João Ferreira de. A Pós-Graduação e a pesquisa no Brasil: processos de regulação e de reconfiguração da formação e da produção do trabalho acadêmico. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 10, n. 2, p. 343-363, jul./dez. 2015. Disponível em: <http://www.revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/view/7138/4546>. Acesso em: 11 maio 2017.

SAVIANI, Dermeval. A pós-graduação em educação no Brasil: pensando o problema da orientação. In: BIANCHETTI, Lucídio; MACHADO, Ana Maria Netto. (Org.) A bússola do escrever; desafios e estratégias na orientação de teses e dissertações. Florianópolis: UFSC; São Paulo: Cortez, 2002, p.135-163.

SAVIANI, Dermeval. O dilema produtividade-qualidade na pós-graduação. Nuances: Estudos sobre Educação, Presidente Prudente, SP, ano XVII, v. 17, n. 18, p. 32-49, jan./dez. 2010. Disponível em: <http://revista.fct.unesp.br/index.php/Nuances/article/view/723/736>. Acesso em: 11 maio 2017.

ZECCA, Marine. L’évaluation: outils d’émancipation? In: BACHMANN, Christian. Les savoirs-faire de l’inquiètude et du renouveau: une formation à l’évaluation de l’action sociale. Paris: PROMOFAF, 1989, p.57-59.

ZUIN, Antônio. A. S.; BIANCHETTI, Lucídio. O produtivismo na era do “publique, apareça ou pereça”: um equilíbrio difícil e necessário. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, vol. 45, n. 158, p. 726-750, dez. 2015. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/cp/v45n158/1980-5314-cp-45-158-00726.pdf>. Acesso em: 11 maio 2017.

Publicado
2018-06-19
Como Citar
Dalpiaz, L. H. (2018). Formação do pesquisador e multirreferencialidade: questões emergentes. Revista Internacional De Educação Superior, 4(3), 631-647. https://doi.org/10.20396/riesup.v4i3.8652433