Uso de simuladores empresariais no ensino de administração

relatando a experiência e avaliando os resultados

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/riesup.v9i00.8660200

Palavras-chave:

Jogos de simulação, experiências de aprendizagem, educação superior

Resumo

A utilização de simuladores empresariais para o ensino de administração é uma estratégia educacional presente em Instituições de Ensino Superior (IES). Utilizando a dinâmica de jogos para estimular a competitividade, os simuladores se caracterizam como uma metodologia ativa de aprendizagem. A literatura científica tem apontado vantagens desta prática, além de discutir temáticas relacionadas, como a avaliação de desempenho dos participantes. Apesar disso, um aspecto que ainda pode ser explorado é o processo de adoção destes simuladores. Visando suprir tal lacuna, o objetivo deste estudo é avaliar a percepção dos acadêmicos participantes de experiência de implantação e utilização de simuladores empresariais em um curso de graduação de Instituição de Ensino Superior (IES) Comunitária do Estado de Santa Catarina. Os resultados apontam que a adoção de um simulador empresarial deve ser acompanhada de critérios pedagógicos, como a definição de objetivos de aprendizagem claros, e operacionais, como a preparação das turmas e os procedimentos de aplicação do jogo. Além disso, são destacados os resultados de uma investigação realizada junto a acadêmicos de administração que participaram de aplicação do simulador. A percepção dos estudantes foi positiva quanto às contribuições do jogo para a sua formação profissional, sobretudo por permitir a integração de conteúdos trabalhados de forma individual durante o curso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Douglas Heinz, Centro Universitário para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí

Cursando Doutorado em Ciências Contábeis e Administração na Universidade Regional de Blumenau (início 2018).  Professor de graduação e assessor de planejamento no Centro Universitário para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí.

Maria José Carvalho de Souza Domingues, Universidade Regional de Blumenau

Doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2003). É professora titular da Universidade Regional de Blumenau.

Iara Regina dos Santos Parisotto, Universidade Regional de Blumenau

Doutora (2012) em Administração Universidade Nove de Julho.  Professora do Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA) - Universidade Regional de Blumenau.

Referências

ARNAB, Sylverter et al. A. Mapping learning and game mechanics. British Journal of Educational Technology, v. 46, p. 391-411, 2015. DOI: https://doi.org/10.1111/bjet.12113

BUTZKE, Marco A.; ALBERTON, Anete. A. Estilos de aprendizagem e jogos de empresa: a percepção discente sobre estratégia de ensino e ambiente de aprendizagem. REGE - Revista de Gestão, v. 24, n. 1, p. 72-84, 2017. DOI: https://doi.org/10.1016/j.rege.2016.10.003

CAVALCANTE, Bruna. L. L.; LIMA, Uirassú. T. S. de. Relato de experiência de uma estudante de Enfermagem em um consultório especializado em tratamento de feridas. Journal of Nursing Health, v. 2, n. 1, p. 94-103, 2012.

CONNOLLY, Thomas M. et al. A systematic literature review of empirical evidence on computer games and serious games. Computers & Education, v. 59, n. 2, p. 661-686, 2012. DOI: https://doi.org/10.1016/j.compedu.2012.03.004

CORTI, Kevin. Games-based Learning; a serious business application. PIXELearning Limited, 2006. Disponível em: www.pixelearning.com/docs/games_basedlearning_pixelearning.pdf. Acesso em: 16 fev. 2019.

COSTIN, Yvonne; O'BRIEN, Michael. P; SLATTERY, Darina. M. Using Simulation to Develop Entrepreneurial Skills and Mind-Set: An Exploratory Case Study. International Journal of Teaching and Learning in Higher Education, v. 30, n. 1, p. 136-145, 2018.

CRESWELL, John. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativos, quantitativos e mistos. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

DOYLE, Declan.; BROWN, F. William. Using a business simulation to teach applied skills – the benefits and the challenges of using student teams from multiple countries. Journal of European Industrial Training, v. 24 n. 6, p. 330-336, 2000. DOI: https://doi.org/10.1108/03090590010373316

FREITAS, Sara de. Learning in Immersive Worlds: A review of game-based learning. Joint Information Systems Committee, 2006. Disponível em:

http://researchrepository.murdoch.edu.au/id/eprint/35774/1/gamingreport_v3.pdf Acesso em: 16 fev. 2019.

FU, Kun; HAINEY, Thomas; BAXTER, Gavin. UA systematic literature review to identify empirical evidence on the use of computer games in business education and training. 10th European Conference on Games Based Learning, October 2016.

GARRIS, Rosemary.; AHLERS, Robert; DRISKEL, James. E. Games, motivation, and learning: A research and practice model. Simulation & Gaming, v. 33, n. 4, p. 441-467, 2002. DOI: https://doi.org/10.1177/1046878102238607

GEITHNER, Silke; MENZEL, Daniela. Effectiveness of Learning Through Experience and Reflection in a Project Management Simulation. Simulation & Gaming, v. 47, n. 2, p. 228–256, 2016. DOI: https://doi.org/10.1177/1046878115624312

GRECO, Marco; BALDISSIN, Nicola; NONINO, Fabio. An exploratory taxonomy of business games. Simulation & Gaming, v. 44, n. 5, p. 645-682, 2013. DOI: https://doi.org/10.1177/1046878113501464

LEWIS, Michael. A.; MAYLOR, Harvey. R. Game playing and operations management education. International Journal of Production Economics, v. 105, n. 1, p. 134-149, 2007. DOI: https://doi.org/10.1016/j.ijpe.2006.02.009

MILES, Matthew. B.; HUBERMAN, Michael. A. Qualitative data analysis: an expanded sourcebook. 2 ed. London: Sage, 1994.

PALMUNEN, Lauri-Matti et al. Formation of Novice Business Students’ Mental Models Through Simulation Gaming. Simulation & Gaming, v. 44, n. 6, p. 846–868, 2013. DOI: https://doi.org/10.1177/1046878113513532

PIVEC, Maja; DZIABENKO, Olga; SCHINNERL, Irmgard. Aspects of Game-Based Learning. I-KNOW 03: The Third International Conference on Knowledge Management, Graz, Austria, July, 2003.

PRENSKY, Marc. Digital Game-based Learning. ACM Computers in Entertainment, v. 1, n. 1, p. 1-4, 2003. DOI: https://doi.org/10.1145/950566.950596

RICHARDSON, Roberto J. Pesquisa Social: métodos e técnicas. 3 ed. São Paulo: Atlas, 1999.

SCHMELLER, Rebecca. In Strategy Simulations, Data Analysis Matters Most (More Than Number of Log Ins and More Than Time Spent Logged In). Simulation & Gaming, v. 50, n. 1, p. 62–75, 2019 DOI: https://doi.org/10.1177/1046878118821402

VLACHOPOULOS, Dimitrios; MAKRI, Agoritsa. The effect of games and simulations on higher education: a systematic literature review. International Journal of Educational Technology in Higher Education, v. 14, n. 22, 2017. DOI: https://doi.org/10.1186/s41239-017-0062-1

Publicado

2022-04-03

Como Citar

HEINZ, D.; DOMINGUES, M. J. C. de S.; PARISOTTO, I. R. dos S. Uso de simuladores empresariais no ensino de administração: relatando a experiência e avaliando os resultados. Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, SP, v. 9, n. 00, p. e023002, 2022. DOI: 10.20396/riesup.v9i00.8660200. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8660200. Acesso em: 28 jan. 2023.

Edição

Seção

Relatos de experiências