A dinamização de vivências lúdicas nas aulas de pesquisa e estágio em educação infantil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/riesup.v9i00.8663785

Palavras-chave:

Encontros formativos, Ensino-aprendizagem, Estágio supervisionado, Problematização, Relação dialógica, Vivências lúdicas

Resumo

Nos processos formativos de professores, a dinamização de vivências lúdicas constitui-se uma estratégia teórico-metodológica na ação de ensino-aprendizagem dos fundamentos da educação infantil no âmbito da formação e prática docente de futuros professores que se encontram com o outro nos espaços da universidade e da escola de educação básica para compartilhamento de saberes, experiências e aprendizagens da docência. Esses momentos serão narrados neste relato de experiência que tem por objetivo analisar os sentidos da dinamização de vivências lúdicas na formação e prática docente de futuras professoras que participaram das diferentes metodologias de ensino-aprendizagem utilizadas nas aulas de Pesquisa e Estágio em Educação Infantil pelas professoras formadoras desse componente curricular, pela bolsista de ensino e pelas estudantes do 6.° semestre do turno matutino do curso de Pedagogia do Departamento de Educação (DEDC) de Guanambi, Campus XII da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), no primeiro semestre de 2018. As vivências lúdicas durante as aulas constituíram-se em um importante momento de reflexão sobre como as acadêmicas poderiam pensar seu planejamento para as crianças da educação infantil, etapa na qual teriam que realizar as atividades de estágio. É importante pensar a formação docente a partir da relação teoria e prática, do trânsito entre universidade e educação básica, da indissociabilidade dos saberes curriculares, acadêmicos e experienciais.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sandra Alves de Oliveira, Universidade do Estado da Bahia

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora. Professora assistente da Universidade do Estado da Bahia.

Jany Rodrigues Prado, Universidade do Estado da Bahia

Mestra em Educação pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia.  Professora substituta do Departamento de Educação de Guanambi da Universidade do Estado da Bahia.

 

Sônia Maria Alves de Oliveira Reis, Universidade do Estado da Bahia

Mestra e Doutora em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais. Professora adjunta da Universidade do Estado da Bahia.

Referências

CRUZ, Giseli Barreto da; HOBOLD, Márcia. Práticas formativas de professores de cursos de licenciatura: diferentes estratégias para ensinar. In: ANDRÉ, Marli (Org.). Práticas inovadoras na formação de professores. Campinas, SP: Papirus, 2016. p. 237-262.

DIAS, Magnara Moreira Santos; NUNES, Cláudio Pinto; CRUSOÉ, Nilma Margarida de Castro. A ludicidade como componente curricular na formação de professores. In: NUNES, Cláudio Pinto; FAGUNDES, Heldina, Pereira Pinto (Org.). Formação de professores: questões contemporâneas. Curitiba-PR: CRV, 2014. p.19- 35.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 18. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, Paulo. À sombra desta mangueira. 4. ed. São Paulo: Olho d’Água, 2001.

GARCIA-REIS, Andreia Rezende; MAGALHÃES, Tânia Guedes. O desenvolvimento profissional docente pelas experiências de escrita do gênero relato. In: VENANCIO, Maria Olinda; ALCÂNTARA, Queila Adriana de (Org.). Escrita de docentes em formação: compartilhando saberes em relatos de experiência. Campinas, SP: Pontes Editores, 2018. p. 15-41.

GATTI, Bernardete Angelina. Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educação & Sociedade, Campinas, v. 31, n. 113, p. 1355-1379, out./ dez. 2010. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-73302010000400016

GOMES, Marineide de Oliveira. A aprendizagem profissional de professores de educação infantil: possibilidades formativas. Olhares & Trilhas, Uberlândia, ano XI, n. 11, p. 41-50, 2010.

GOMES, Marineide de Oliveira. Formação de professores na educação infantil. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2013.

IBIAPINA, Ivana Maria Lopes de Melo. Pesquisa colaborativa: investigação, formação e produção de conhecimentos. Brasília, DF: Líber Livro Editora, 2008.

LARROSA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Tradução de João Wanderley Geraldi. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 19, p. 20-28, jan./abr. 2002. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-24782002000100003

LEAL, Luiz Antonio Batista; D’ÁVILA, Cristina Maria. A ludicidade como princípio formativo. Interfaces Científicas: Educação, Aracaju, v. 1, n. 2, p. 41-52, fev. 2013. DOI: https://doi.org/10.17564/2316-3828.2013v1n2p41-52

LUCKESI, Cipriano Carlos. Desenvolvimento dos estados de consciência e ludicidade. In: PASSOS, Elizete Silva (Org.). Cadernos de Pesquisa NUFIHE. Salvador, BA: Programa de Pós-Graduação em Educação, FACED/UFBA, 1998, v. 1. p. 9-25.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Ludicidade e atividades lúdicas: uma abordagem a partir da experiência interna. Educação e Ludicidade, Ensaios 2, GEPEL, Programa de Pós-Graduação em Educação, FACED/UFBA, Salvador, Bahia, n. 2, p. 22-60, 2002.

LUCKESI, Cipriano Carlos. Ludicidade e formação do educador. Revista Entreideias: Educação, Cultura e Sociedade, Salvador, v. 3, n. 2, p. 13-23, 2014. DOI: https://doi.org/10.9771/2317-1219rf.v3i2.9168

MENGALI, Brenda Leme da Silva; NACARATO, Adair Mendes. A problematização na formação docente possibilitando a problematização na sala de aula da educação infantil: a análise de um caso de ensino. In: CARVALHO, Mercedes; BAIRRAL, Marcelo Almeida (Org.). Matemática e educação infantil: investigações e possibilidades de práticas pedagógicas. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014. p. 83-100.

NACARATO, Adair Mendes; MENGALI, Brenda Leme da Silva; PASSOS, Cármen Lúcia Brancaglion. A matemática nos anos iniciais do ensino fundamental: tecendo fios do ensinar e do aprender. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

OLIVEIRA, Sandra Alves de. Vamos brincar, jogar e criar com prazer nas aulas de matemática no curso de Pedagogia! Revista de Investigação e Divulgação em Educação Matemática, Juiz de Fora, v. 2, n. 2, p. 82-96, jul./dez. 2018. DOI: https://doi.org/10.34019/2594-4673.2018.v2.27378

OLIVEIRA, Sandra Alves de; CARVALHO, Maria de Fátima Pereira; PRADO, Jany Rodrigues. Atividades lúdicas na educação infantil: re-significando a prática pedagógica. Revista Eletrónica de Educação e Psicologia (EduPsi), Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), Vila Real-Portugal, ano 1, v. 1, p. 39-46, 2014.

PIMENTA, Selma Garrido. O estágio na formação de professores: unidade teoria e prática? 7. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

PIMENTA, Selma Garrido. Formação de professores: identidade e saberes da docência. In: PIMENTA, Selma Garrido (Org.). Saberes pedagógicos e atividade docente. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2008. p. 15-34.

PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e docência. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

ROLDÃO, Maria do Céu. Estratégias de ensino: o saber e o agir do professor. Vila Nova de Gaia: Fundação Manuel Leão, 2009.

SANTOS, Santa Marli Pires dos. O brincar na escola: metodologia lúdico-vivencial, coletânea de jogos, brinquedos e dinâmicas. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude; LAHAYE, Louise. Os professores face ao saber: esboço de uma problemática do saber docente. Teoria e Educação, Porto Alegre, n. 4, p. 215-233, 1991.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 10. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA. Departamento de Educação (DEDC) – Campus XII. Plano de curso: Pesquisa e Estágio - PE II: Estágio em Educação Infantil.

Guanambi-BA, 2018.

Publicado

2022-09-24

Como Citar

OLIVEIRA, S. A. de .; PRADO, J. . R.; REIS, S. M. A. de O. . A dinamização de vivências lúdicas nas aulas de pesquisa e estágio em educação infantil . Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, SP, v. 9, n. 00, p. e023041, 2022. DOI: 10.20396/riesup.v9i00.8663785. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8663785. Acesso em: 3 fev. 2023.

Edição

Seção

Relatos de experiências