Banner Portal
Ações extensionistas em uma disciplina de educação ambiental
Imagem: Universidade de Nápoles Federico II, fundada em 1224. - Google / Licença Creative Commons.
PORTUGUÊS
ENGLISH (English)
ÁUDIO
VÍDEO

Palavras-chave

Extensão universitária
Educação ambiental
Ensino superior

Como Citar

SOUZA, Jana Magaly Tesserolli de; MORAIS, Josmaria Lopes de. Ações extensionistas em uma disciplina de educação ambiental: uma experiência de curricularização da extensão. Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, SP, v. 10, n. 00, p. e024015, 2022. DOI: 10.20396/riesup.v10i00.8668251. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8668251. Acesso em: 13 jul. 2024.

Resumo

Introdução/Objetivo: Este trabalho foi escrito com o objetivo de promover reflexão sobre uma experiência de curricularização da extensão em uma disciplina de graduação. A disciplina de Educação Ambiental foi ministrada no formato remoto durante a pandemia da COVID-19, em uma universidade pública do sul do Brasil. Metodologia: A pesquisa com abordagem qualitativa de natureza exploratória apresenta oito ações extensionistas de sensibilização ambiental idealizadas e implementadas pelos estudantes de diferentes cursos de graduação durante dois semestres letivos. Neste estudo são destacados dois desafios: o primeiro, trabalhar de forma remota, e o segundo, ministrar uma disciplina com o compromisso de realização de ações de extensão pelos graduandos organizados em equipes. Resultados: Os resultados revelaram que, além do protagonismo dos estudantes, as ações de extensão contribuíram para a divulgação e sensibilização quanto a temáticas de interesse ambiental.  Conclusão: Entende-se que uma disciplina de caráter extensionista, embora exija uma dedicação maior tanto de professores quanto de graduandos, se configura como uma possibilidade viável de inserir a extensão universitária no currículo dos cursos de graduação, de promover a formação integral dos estudantes e de contribuir para a transformação da sociedade.

https://doi.org/10.20396/riesup.v10i00.8668251
PORTUGUÊS
ENGLISH (English)
ÁUDIO
VÍDEO

Referências

AGUDO, Marcela de Moraes; TEIXEIRA, Lucas André; MAIA, Jorge Sobral da Silva. Educação Ambiental como campo de disputas: a necessária discussão epistemológica. Planeta Amazônia: Revista Internacional de Direito Ambiental e Políticas Públicas, Macapá, n. 7, p. 75-87, 2015.

AMARAL, Anelize Queiroz. Educação Ambiental e a dimensão política: um estudo de caso do Programa de Formação de Educadores Ambientais da Usina Hidroelétrica de Itaipu Binacional. 2018. 306 f. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2018.

BARDIN, Lawrence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1979.

BENETTI, Pablo Cesar; SOUSA, Ana Inês; SOUZA, Maria Helena do Nascimento. Creditação da extensão universitária nos cursos de graduação: relato de experiência. Revista Brasileira de Extensão Universitária, v. 6, n. 1, p. 25-32, jan – jun. 2015.

BERTONI, Danislei; ANTIQUEIRA, Lia Maris O. Ritter. A educação ambiental na prática como componente curricular: um enfoque extensionista. In: DICKMANN, Ivo; LIOTTI, Luciane Cortiano (org.). Educação Ambiental Crítica: experiências e vivências. 1. ed. Chapecó: Livrologia, 2020. v. 1, p. 145-162.

BRASIL. Lei n. 13.005, de 25 de junho de 2014. Plano Nacional de Educação – PNE. Diário Oficial da União. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm. Acesso em: 22 jun. 2021.

BRASIL. Resolução n. 7, de 18 de dezembro de 2018. Plano Nacional de Educação - PNE 2014-2024. Diário Oficial da União. Disponível em: http://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/55877808. Acesso em: 22 jun. 2021.

EIGENHEER, Emílio M. Resíduos sólidos como tema de educação ambiental. Com Ciência: Revista Eletrônica de Jornalismo Científico, 2008. Disponível em: https://www.comciencia.br/comciencia/index.php?section=8&edicao=32&id=374. Acesso em: 24 ago. 2021.

FLICK, Uwe. Desenho da pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed, 2009.

GATTI, Bernadette; ANDRÉ, Marli E. D. A. A relevância dos métodos de pesquisa qualitativa em educação ambiental no Brasil. In: WELLER. Wivian; PFAFF, Nicolle (org.). Metodologia de pesquisa qualitativa em educação: teoria e prática. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2013.

HOOTSUITE. We are social. 2019. Disponível em: https://p.widencdn.net/kqy7ii/Digital2019-Report-en. Acesso em: 22 set. 2021.

IMPERATORE, Simone Loureiro Brum; PEDDE, Valdir; IMPERATORE, Jorge Luis Ribeiro. Curricularizar a extensão ou extensionalizar o currículo? Aportes teóricos e práticas de integração curricular da extensão ante a estratégia 12.7 do PNE. In: XV COLÓQUIO INTERNACIONAL DE GESTÃO UNIVERSITÁRIA – CIGU, 2015, Mar del Plata, Argentina. ISBN: 978-85-68618-01-1. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/136064/101_00175.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 10 jan. 2022.

JACOBI, Pedro Roberto; BESEN, Gina Rizpah. Gestão de resíduos sólidos em São Paulo: desafios da sustentabilidade. Estudos Avançados, v. 25, n. 71, p. 135-158, 2011.

KRAMMEL; Isaura R. da Fonseca; BALDIN, Nelma. Ambientalizar a universidade – uma ação possível. REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v.34, n.2, p. 275-295, 2017.

LEFF, Enrique. Epistemologia ambiental. São Paulo: Cortez, 2001.

LEFF. Enrique. Campo controversial y en incesante construcción (Entrevista). In: ORTEGA, Miguel Ángel Arias. La construcción del campo de la educación ambiental: análisis, biografías y futuros posibles. Guadalajara-Jalisco: Editorial Universitaria, 2012.

LIMA, Gustavo Ferreira da Costa. Consumo e resíduos sólidos no Brasil: as contribuições da educação ambiental. Revista Brasileira de Ciências Ambientais (Online), v.37, p. 47-57, 2015.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. 2. ed. Rio de Janeiro: E.P.U., 2018.

MORÁN, José Manuel. O vídeo na sala de aula. Comunicação e Educação, São Paulo, v. 2, p. 27-35, jan./abr. 1995.

NEZ, Egeslaine de; FERNANDES, Cleoni Maria Barboza; WOICOLESCO, Vanessa Gabrielle. Currículo e Práticas na Educação Superior no Contexto da Pandemia da COVID-19. Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, vol. 8, p. 1-22, 2022.

NUNES, Rosane da Silva; VIEIRA, Leylianne Alves. Contribuição da extensão universitária para a autonomia do estudante. Em Extensão, Uberlândia, vol. 11, n. 2, p. 118-125, jul./dez. 2012.

OPAS. Organização Pan-Americana da Saúde - Histórico da pandemia de COVID-19. Disponível em: https://www.paho.org/pt/covid19/historico-da-pandemia-covid-19. Acesso em: 10 jan. 2022.

RINK, Juliana. Ambientalização curricular na educação superior: tendências reveladas pela pesquisa acadêmica brasileira (1987-2009). 2014. 240 p. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, SP, 2014.

SAUVÉ, Lucie. Educação Ambiental: possibilidades e limitações. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 317-322, mai./ago. 2005.

SAUVÉ, Lucie. Viver juntos em nossa Terra: desafios contemporâneos da educação ambiental. Revista Contrapontos, v. 16, n. 2, mai./ago. 2016.

TARULLO, Raquel. “Por Instagram y todos los días”: Repertorios informativos de estudiantes universitarios del centro de Argentina. Dixit, n. 34, p. 15-29, 2021.

VÉRAS, Renata Meira; SOUZA, Gezilda Borges de. Extensão universitária e atividade curricular em comunidade e em sociedade na Universidade Federal da Bahia. Revista Brasileira de Extensão Universitária, v. 7, n. 2, p. 83-90, 2016.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Jana Magaly Tesserolli de Souza, Josmaria Lopes de Morais

Downloads

Não há dados estatísticos.