Banner Portal
Acessibilidade e inclusão no Ensino Superior
Imagem: Universidade de Nápoles Federico II, fundada em 1224. - Google / Licença Creative Commons.
VÍDEO
PORTUGUÊS
ENGLISH (English)
ÁUDIO

Palavras-chave

Acessibilidade
Ensino Superior
Inclusão

Como Citar

IACONO, Jane Peruzo; BOSCO, Elisandra Cristina Dal; FREIBERGER, Francielli Pereira Gozzi. Acessibilidade e inclusão no Ensino Superior: um estudo sobre as informações disponíveis nos websites das universidades públicas do Paraná. Revista Internacional de Educação Superior, Campinas, SP, v. 10, n. 00, p. e024004, 2023. DOI: 10.20396/riesup.v10i00.8668436. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/riesup/article/view/8668436. Acesso em: 19 maio. 2024.

Dados de financiamento

Resumo

Introdução/Objetivo: Este estudo objetiva verificar se os websites das universidades Públicas do Paraná (estaduais e federais) são acessíveis para pessoas com ou sem deficiência/Necessidades Educacionais Especiais (NEE). Metodologia: Com o aporte teórico da Psicologia Histórico-Cultural, realizou-se revisão bibliográfica e documental voltada às políticas educacionais relativas à inclusão e uma busca nos websites das universidades, analisando os aspectos: acessibilidade do site, editais e a existência ou não de núcleo/programa de atendimento para pessoas com deficiência/NEE. Resultados: Os resultados indicam que as Universidades (com exceção de uma) apresentam ícones e/ou a palavra acessibilidade em suas páginas de acesso, visando a atender os dispositivos legais. Ressalta-se que a forma de apresentação dessas informações requer do usuário do site conhecimento prévio desses ícones e serviços ofertados que estão representados de diferentes formas, o que dificulta a compreensão das informações, não havendo também menção de como a universidade está organizada em relação a barreiras arquitetônicas e atitudinais. Todas as universidades apresentam formas de atendimento aos alunos com deficiência/NEE, seja esse atendimento em núcleos/programas ou outros setores que visam a atender esses alunos. Todas as IESs apresentam em seus editais para ingresso informações de como o candidato pode fazer sua inscrição, qual documentação é necessária e os dispositivos legais que fundamentam esses editais. Cerca de 20% apresentam também o manual do candidato. Conclusão: Conclui-se que os sites ofertam acessibilidade, mas que há a necessidade de superação de barreiras para o acesso, permanência e terminalidade acadêmica do aluno com deficiência/NEE para sua inclusão no Ensino Superior das universidades públicas do Paraná.

https://doi.org/10.20396/riesup.v10i00.8668436
VÍDEO
PORTUGUÊS
ENGLISH (English)
ÁUDIO

Referências

BRASIL. Presidência da República. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 20 jan. 2022.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 7.853, de 24 de outubro de 1989. Dispõe sobre o apoio às pessoas portadoras de deficiência, sua integração social, sobre a Coordenadoria Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência - Corde, institui a tutela jurisdicional de interesses coletivos ou difusos dessas pessoas, disciplina a atuação do Ministério Público, define crimes, e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 1989. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l7853.htm. Acesso em: 11 fev. 2022.

BRASIL. Secretaria de Educação Especial. Ministério da Educação e do Desporto. Política Nacional de Educação Especial. Brasília, DF: MEC/SEESP, 1994.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF: MEC, 1996a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 20 jan. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Aviso Circular nº 277/MEC/GM, de 8 de maio de 1996. Dirigido aos Reitores das IES, solicitando a execução adequada de uma política educacional dirigida aos portadores de necessidades especiais. Brasília, DF: MEC, 1996b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/aviso_circular277.pdf. Acesso em: 20 jan. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Portaria nº 1.793, de dezembro de 1994. Dispõe sobre a necessidade de complementar os currículos de formação de docentes e outros profissionais que interagem com portadores de necessidades especiais. Brasília, DF: MEC, 1997. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/port1793.pdf. Acesso em: 20 jan. 2022.

BRASIL. Ministro da Educação. Portaria 1.679, de 2 de dezembro de 1999. Dispõe sobre requisitos de acessibilidade de pessoas portadoras de deficiências, para instruir os processos de autorização e de reconhecimento de cursos, e de credenciamento de instituições. Brasília, DF: 1999a. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/sesu/arquivos/pdf/c1_1679.pdf. Acesso em: 20 jan. 2022.

BRASIL. Presidência da República. Decreto nº 3.298, de 20 de dezembro de 1999. Regulamenta a lei nº 7853, de 24 de outubro de 1989, dispõe sobre a Política Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência, consolida as normas de proteção, e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 1999b. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d3298.htm. Acesso em: 8 abr. 2021.

BRASIL. Presidência da República. Lei no 10.048, de 8 de novembro de 2000. Dá prioridade de atendimento às pessoas que especifica, e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 2000a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l10048.htm. Acesso em: 20 jan. 2022.

BRASIL. Presidência da República. Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 2000b. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l10098.htm. Acesso em: 20 jan. 2022.

BRASIL. Ministro da Educação. Portaria nº 3.284, de 7 de novembro de 2003. Dispõe sobre requisitos de acessibilidade de pessoas portadoras de deficiências, para instruir os processos de autorização e de reconhecimento de cursos, e de credenciamento de instituições. Brasília, DF: MEC, 2003. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/port3284.pdf. Acesso em: 20 jan. 2022.

BRASIL. Presidência da República. Decreto Nº 5.296, de 2 de dezembro de 2004. Regulamenta as Leis nos 10.048, de 8 de novembro de 2000, que dá prioridade de atendimento às pessoas que especifica, e 10.098, de 19 de dezembro de 2000, que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 2004. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2004/Decreto/D5296.htm. Acesso em: 20 jan. 2022.

BRASIL. Presidência da República. Decreto Nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – Libras e o art. 18 da Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Brasília, DF: Presidência da República, 2005. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/decreto/d5626.htm#:~:text=DECRETO%20N%C2%BA%205.626%2C%20DE%2022,19%20de%20dezembro%20de%202000. Acesso em: 20 jan. 2022.

BRASIL, Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Saúde da Pessoa Portadora de Deficiência. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde – Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2008a. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_saude_pessoa_deficiencia.pdf. Acesso em: 20 jan. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da educação inclusiva. Brasília, DF: MEC/SEESP, 2008b. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf. Acesso em: 18 jan. 2022.

BRASIL. Presidência da República. Decreto 7.611, de 17 de novembro de 2011. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 2011. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/decreto/d7611.htm. Acesso em: 18 jan. 2022.

BRASIL. Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos das Pessoas com Deficiência. Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência. 4. ed. rev. e atual. Brasília, DF: Secretaria de Direitos Humanos, Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência, 2012.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Brasília, DF: Presidência da República, 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm. Acesso em: 20 jan. 2022.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº13.409, de 28 de dezembro de 2016. Altera a Lei nº 12.711, de 29 de agosto de 2012, para dispor sobre a reserva de vagas para pessoas com deficiência nos cursos técnicos de nível médio e superior das instituições federais de ensino. Brasília, DF: Presidência da República, 2016. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2016/lei/L13409.htm. Acesso em: 30 jan. 2022.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Projeto de Lei n.º 7.750, de 2017. Dispõe sobre a utilização do símbolo internacional de acessibilidade; modifica a Lei nº 7.405, de 12 de novembro de 1985, e dá outras providências; tendo parecer da Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência, pela aprovação (relatora: DEP. REJANE DIAS); e da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, pela constitucionalidade, juridicidade e técnica legislativa, com emenda (relator: DEP. FELIPE FRANCISCHINI). Brasília, DF: Câmara dos Deputados, 2017. Disponível em: http://www.camara.gov.br Projeto de Lei nº. 7.750/2017. Acesso em: 20 jan. 2022.

BRASIL. Constituição (1988). Emenda Constitucional nº 108, de 26 de agosto de 2020. Altera a Constituição Federal para estabelecer critérios de distribuição da cota municipal do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS), para disciplinar a disponibilização de dados contábeis pelos entes federados, para tratar do planejamento na ordem social e para dispor sobre o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb); altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias; e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 2020a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/emendas/emc/emc108.htm. Acesso em: 24 out. 2020.

BRASIL. Presidência da República. Decreto nº 10.502, de 30 de setembro de 2020. Institui a Política Nacional de Educação Especial: Equitativa, Inclusiva e com Aprendizado ao Longo da Vida. Diário Oficial da União: Seção 1, Edição 189, p. 6. Brasília, DF: Presidência da República, 2020b. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/decreto-n-10.502-de-30-de-setembro-de-2020-280529948. Acesso em: 24 out. 2020.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 14.191, de 3 de agosto de 2021. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional), para dispor sobre a modalidade de educação bilíngue de surdos. Brasília, DF: Presidência da República, 2021. Disponível em: https://www.camara.leg.br/noticias/789357-sancionada-lei-que-regulamenta-educacao-bilingue-de-surdos/. Acesso em: 8 fev. 2022.

IACONO, Jane Peruzo. Processos Fonológicos Presentes na Escrita de Alunos com Deficiência Intelectual de Salas de Recursos. 2014. Tese (Doutorado em Letras) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2014.

MADYANINGRUM, Monica Eviandaru. Disability organizations as empowering settings: the case of a local disability organization in yogyakarta province, Indonesia. 2017. Thesis (Doctored of Philosophy) - College of Health and Biomedicine, Victoria University, Indonesia, 2017.

NEPOMUCENO, Maristela Ferro; ASSIS, Raquel Martins de; CARVALHO-FREITAS, Maria Nivalda. Apropriação do Termo “Pessoas com Deficiência”. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 33, p. 1-27, 2020. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial. Acesso em: 3 fev. 2022.

NOVO símbolo de Acessibilidade. Inclusive: Inclusão e Cidadania, 4 de agosto de 2015. Disponível em: www.inclusive.org.br/arquivos/28238 . Acesso em: 6 fev. 2022.

ONU. Organização das Nações Unidas. Declaração Universal dos Direitos Humanos. Paris: ONU, 1948. Disponível em: ttps://www.unicef.org/brazil/pt/resources_10133.htm. Acesso em: 20 jan. 2022.

OS BENEFÍCIOS de um site acessível. Web Para Todos [20--]. Disponível em: https://mwpt.com.br/acessibilidade-digital/beneficios. Acesso em: 30 jan. 2022.

PARANÁ. Assembleia Legislativa. Lei nº 18.419, de 07 de janeiro de 2015. Estabelece o Estatuto da Pessoa com Deficiência do Estado do Paraná. Curitiba, PR: Assembleia Legislativa, 2015. Disponível em: https://www.legisweb.com.br/legislacao/?id=279996. Acesso em: 20 jan. 2022.

PARANÁ. Conselho Estadual de Educação. Deliberação nº 02/2016, de 15 de setembro de 2016. Normas para a Modalidade Educação Especial no Sistema Estadual de Ensino do Paraná. Curitiba, PR: CEE, 2016. Disponível em: http://www.cee.pr.gov.br/sites/cee/arquivos_restritos/files/migrados/File/pdf/Deliberacoes/2016/Del_02_16.pdf. Acesso em: 19 jan. 2022.

PARADA, Eunice Rodrigues Valle. Os conceitos de Educação e Aprendizagem ao Longo da Vida: aspectos históricos e a Educação Especial Brasileira. 2021. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, 2021.

PEREIRA, Pyssila de Souza; SILVA, Jonatas Gadelha da. Simplificando o desenvolvimento web acessível na prática. In: CONEXÃO UNIFAMETRO, SEMANA ACADÊMICA, 16., 2020. Anais [...]. Fortaleza, CE: UNIFAMETRO, 2020, p. 1-7. Disponível em: https://doity.com.br/media/doity/submissoes/artigo-2733e1956a1c507b2944842ce96d99b476381b5a-segundo_arquivo.pdf. Acesso em: 30 jan. 2022.

PLETSCH, Márcia Denise; LEITE, Lúcia Pereira. Análise da produção científica sobre a inclusão no Ensino Superior brasileiro. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, v. 33, n. especial 3, p. 87-106, 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/j/er/a/HXgzbFY4WGCBsKPBrJgwv3R/?lang=pt. Acesso em: 01 fev. 2022.

PLETSCH, Márcia Denise; MELO, Francisco Ricardo Lins Vieira de; CAVALCANTE, Lucélia Cardoso. Acessibilidade e inclusão de pessoas com deficiência na Educação Superior: experiências e desafios contemporâneos. In: MELO, Francisco Ricardo Lins Vieira de; GUERRA, Simony F. M.; FURTADO, Margareth Maciel F. D. (orgs.). Educação superior, inclusão e acessibilidade: reflexões contemporâneas. Campos dos Goytacazes, RJ: Encontrografia, 2021, p. 26-38.

SASSAKI, Romeu Kazumi. Símbolo Internacional de Acesso: Diretrizes Oficiais. São Paulo: ELETROPAULO, 1996. Disponível em: http://uniapae.apaebrasil.org.br/wp-content/uploads/2019/10/S%C3%8DMBOLO-INTERNACIONAL-DE-ACESSO-DIRETRIZES-OFICIAIS-96.pdf. Acesso em: 02 fev. 2022.

SASSAKI, Romeu Kazumi. Terminologia sobre deficiência na era da inclusão. Revista Nacional de Reabilitação, [s.l.], ano 5, nº 24, p. 6-9, jan./fev. 2002. Disponível em: https://www.ocuidador.com.br/imgs/utilidades/terminologia-50aa23697289a.pdf. Acesso em: 25 jan. 2022.

SASSAKI, Romeu Kazumi. Atualizações semânticas na inclusão de pessoas: Deficiência mental ou intelectual? Doença ou transtorno mental? Revista Nacional de Reabilitação, [s.l.], ano IX, n. 43, p. 9-10, mar./abr. 2005. Disponível em: https://idoso.mppr.mp.br/arquivos/File/Artigo_-_Deficiencia_mental_ou_intelectual.pdf. Acesso em: 18 jan. 2022.

TANGARIFE, Timóteo. A acessibilidade nos websites governamentais: um estudo de caso no site da Eletrobrás. Rio de Janeiro, 2007. 394 f. Dissertação (Mestrado) - Departamento de Artes e Design, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007. Disponível em: https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/10500/10500_6.PDF. Acesso em: 30 jan. 2022.

UNICEF. Fundo das Nações Unidas para a Infância. Declaração Mundial de Educação para Todos: Plano de ação para satisfazer as necessidades básicas de aprendizagem. Jomtien: UNICEF, 1990. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/declaracao-mundial-sobre-educacao-para-todos-conferencia-de-jomtien-1990. Acesso em: 20 jan. 2022.

UNESCO. Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Declaração de Salamanca Sobre Princípios, Políticas e Práticas na Área das Necessidades Educativas Especiais. Salamanca: UNESCO, 1994. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/salamanca.pdf. Acesso em: 20 jan. 2022.

VIGOTSKI, Lev Semionovich. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 1991.

VIGOTSKI, Lev Semionovich. Obras Escogidas Tomo V. Fundamentos de defectología. Madrid: Visor Distribuciones S. A., 1997.

VIGOTSKI, Lev Semionovich. A Construção do Pensamento e da Linguagem. São Paulo: Editora Martins Fontes, 2001.

VIGOTSKI, Lev Semionovich; LURIA, Alexander Romanovich; LEONTIEV, Alexis N.; Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. Tradução Maria da Penha Villalobos. São Paulo: Ícone; Editora da Universidade de São Paulo, 1988.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Revista Internacional de Educação Superior

Downloads

Não há dados estatísticos.