A construção de capacidades e meios de vida na garantia da segurança alimentar do rural pernambucano

Autores

  • Amália Leonel Nascimento Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Fabiana Cristina Lima da Silva Pastich Gonçalves Universidade Federal de Pernambuco
  • Sandra Regina Maia Universidade Federal de Pernambuco
  • Sérgio Schneider Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Pedro Israel Cabral de Lira Universidade Federal de Pernambuco

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v19i2.8634610

Palavras-chave:

Segurança alimentar e nutricional. Desenvolvimento rural. Abordagem das capacidades. Meios de vida. Atores sociais.

Resumo

O trabalho teve como objetivo caracterizar a situação de (in)segurança alimentar do meio rural de Pernambuco e seus condicionantes, bem como, por meio da abordagem das capacidades e perspectiva dos meios de vida, buscar alternativas para a garantia da segurança alimentar e desenvolvimento rural do Estado. A insegurança alimentar na área rural de Pernambuco esteve relacionada à classe social, embora que não tão dependente da renda quanto no setor urbano. A localização geográfica e áreas de povoamento, bem como às características do chefe da família e/ou entrevistado (gênero, condições de trabalho, escolaridade), presença de criança e/ou adolescente no domicílio, número de refeições realizadas e acesso a saneamento básico, tratamento de água, participação em programas sociais e cooperativas também demonstraram associação. As informações sobre insegurança alimentar no rural pernambucano auxiliam na compreensão das mais variadas formas de vulnerabilidade e exclusão sofridas por essas famílias, bem como suas estratégias para a construção de capacidades e ampliação da qualidade e meios de vida no campo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amália Leonel Nascimento, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Fabiana Cristina Lima da Silva Pastich Gonçalves, Universidade Federal de Pernambuco

Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Saúde da Criança e do Adolescente, Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Sandra Regina Maia, Universidade Federal de Pernambuco

Mestre e Economista do Departamento de Nutrição, UFPE.

Sérgio Schneider, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutor e Professor do Departamento de Sociologia, UFRGS.

Pedro Israel Cabral de Lira, Universidade Federal de Pernambuco

Doutor e Professor do Departamento de Nutrição, UFPE. Correspondência: Departamento de Nutrição. Centro de Ciências da Saúde, UFPE. Av. Prof. Moraes Rego, 1235. CEP 50 670-601 – Recife, PE. Fone/Fax: (81) 21268470/2126 8476

Referências

Castro LMC. Pesquisar sobre segurança alimentar e nutricional no Brasil: a que viemos?. Ciênc Saúde Colet. 2010;15(1):26-8.

Prado SD, Gugelmin SA, Mattos RA, Silva JK, Olivares PSG. A pesquisa sobre segurança alimentar e nutricional no Brasil de 2000 a 2005: tendências e desafios. Ciênc Saúde Colet. 2010:15(1):7-18.

Kageyama A. Desenvolvimento rural: conceito e medida. CC&T. 2004;21(3):379-408.

Schneider S. A abordagem territorial do desenvolvimento rural e suas articulações externas. Sociologias. 2004;s/v(11):88-125.

Burlandy L. A construção da política de segurança alimentar e nutricional no Brasil: estratégias e desafios para a promoção da intersetorialidade no âmbito federal de governo. Ciênc Saúde Colet. 2009;14(3):851-60.

Sen AK. Desenvolvimento como liberdade. São Paulo: Companhia das Letras; 2000.

Ellis F. Rural livelihoods and diversity in developing countries. Oxford: Oxford University Press; 2000.

Hoffmann R, Kageyama AA. Pobreza, insegurança alimentar e pluriatividade no Brasil. Teoria e Evidência Econômica. 2007;14(29):9-35.

Fritz K, Waquil PD, Mattos E. A insegurança alimentar no Rio Grande do Sul: uma análise comparativa entre o rural e o urbano. In: 4º ENCONTRO DE ECONOMIA GAÚCHA, 2008, Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008. p. 1-20.

Belik W. Perspectivas para segurança alimentar e nutricional no Brasil. Saude Soc. 2003;12(1):12-20.

Brasil. Lei nº 11.346, de 15 de setembro de 2006. Cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (SISAN) com vistas em assegurar o direito humano à alimentação e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 18 set. 2006. Seção 1, p. 1.

Nascimento AL, Andrade SLLS. Segurança alimentar e nutricional: pressupostos para uma nova cidadania? Cien Cult. 2010;62(4):34-38.

Brasil. Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. II Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. A construção do conceito de segurança alimentar e nutricional. Brasília: CONSEA; 2004.

Freitas MCS, Pena PGL. Segurança alimentar e nutricional: a produção do conhecimento com ênfase nos aspectos da cultura. Rev Nutr. 2007;20(1):69-81.

Maluf RS. Segurança Alimentar e Nutricional como valorização da cultura alimentar. In: Miranda DS, Cornelli G. (Org.). Cultura e Alimentação: saberes alimentares e sabores culturais. São Paulo: SESC; 2007. p. 143-50.

Valente FLS. Do combate à fome à segurança alimentar e nutricional: o direito à alimentação adequada. In: Valente FLS. Direito Humano à Alimentação: desafios e conquistas. São Paulo: Cortez Editora; 2002. p. 37-70.

Abramovay R. O futuro das regiões rurais. Porto Alegre: Editora da UFRGS; 2003.

Menasche R, Marques FC, Zanetti C. Autoconsumo e segurança alimentar: a agricultura familiar a partir dos saberes e práticas da alimentação. Rev Nutr. 2008;21(Supl.):145-58.

Sachs I. Barricadas de ontem, campos de futuro. Estud Av. 2010;24(68):25-38.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios: segurança alimentar 2004. Rio de Janeiro: IBGE; 2009.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. Segurança Alimentar: 2004/2009. Rio de Janeiro: IBGE; 2010.

Segall-Corrêa AM. Insegurança alimentar medida a partir da percepção das pessoas. Estud Av. 2007;21(60):143-154.

Vannier-Santos MC, Pessanha L, Barbosa MTS. Segurança Alimentar e Nutricional e Indicadores Sócio- Econômicos. In: Seminário População, Pobreza e Desigualdade, 2007, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: ABEP, 2007. p. 1-21.

Food Insecurity and Vulnerability Information and Mapping Systems (FIVIMS). Measurement and Assessment of Food Deprivation and Undernutrition. Proceedings of the International Scientific Symposium. Roma: FAO; 2002.

Perez-Escamilla R, Segall-Corrêa AM. Food insecurity measurement and indicators. Rev Nutr. 2008;21(Supl.):15-26.

Pereira DA, Vieira VL, Fiore EG, Cervato-Mancuso AM. Insegurança alimentar em região de alta vulnerabilidade social da cidade de São Paulo. Seg Alim Nutr. 2006;13(2):34- 42.

Woortmann K. O sentido simbólico das práticas alimentares. In: Araújo WMC, Tenser CMR. (Org.). Gastronomia: cortes e recortes. Brasília: SENAC; 2006. p. 23-55.

Nascimento AL, Lira PIC, Maia SR. Posse da terra e produção de alimentos em domicílios com insegurança alimentar na Zona da Mata e Semiárido brasileiros. In: Gehlen VRF, Lainé PCV. (Org.). Costurando com fios invisíveis: a fragmentação do território rural. Recife: Editora Universitária da UFPE; 2012. p. 361-75.

Sampaio MFA, Kepple AW, Segall-Corrêa AM, Oliveira JTA, Panigassi G, Maranha LK, et al. (In) Segurança Alimentar: experiência de grupos focais com populações rurais do Estado de São Paulo. Seg Alim Nutr. 2006;13(1):64- 77.

Segall-Corrêa AM, Marin-Leon L. A Segurança Alimentar no Brasil: proposição e usos da Escala Brasileira de Medida da Insegurança Alimentar (EBIA) de 2003 a 2009. Seg Alim Nutr. 2009;16(2):1-19.

Kepple AW, Segall-Corrêa AM. Conceituando e medindo segurança alimentar e nutricional. Ciênc Saúde Colet. 2011;16(1):187-99.

Pernambuco (Estado). Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos. Superintendência das Ações de Segurança Alimentar e Nutricional. Avaliação da (In)Segurança Alimentar nas Regiões de Desenvolvimento do Estado de Pernambuco. Recife; 2011 [acesso em 2012 maio 03]. Disponível em: http://www2.sedsdh.pe.gov.br/web/sedsdh/secretaria/exe cutivas/sedas/suasan

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico. 2000 [acesso em 2010 jan 15]. Disponível em: http://www.ibge.gov.br

Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa. Critério de Classificação Econômica Brasil. 2010 [acesso em 2011 abr 01]. Disponível em: http://www.abep.org

Viegas IFP. Comércio justo e segurança alimentar. Seg Alim Nutr. 2010:17(1):133-143.

Castro J. Geografia da Fome. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira; 1984.

Pereira MA, Souza M, Schneider S. Meios de vida e livelihoods: aproximações e diferenças conceituais. Revista IDeAS. 2010;4(1):203-24.

Chambers R, Conway G. Sustainable rural livelihoods: practical concepts for the 21st century. IDS discussion paper, 296. Brighton: IDS; 1992.

Sen AK. Capacidad y bienestar. In: Nussbaum M, Sen AK. (Org.). La calidad de vida. Ciudad de Mexico: Fondo de Cultura Económica, 1996. p. 54-83.

Scoones I. Livelihoods perspectives and rural development. J Peasant Stud. 2009;36(1):171-96.

Kuhn D, Waquil PD, Costa AM, Mattos E, Fritz K, Gianluppi L. Pobreza no Rio Grande do Sul: a heterogeneidade revelada pela abordagem das capacitações nos municípios gaúchos. Teoria e Evidência Econômica. 2006;14(26):113-34.

Downloads

Publicado

2012-02-11

Como Citar

1.
Nascimento AL, Gonçalves FCL da SP, Maia SR, Schneider S, Lira PIC de. A construção de capacidades e meios de vida na garantia da segurança alimentar do rural pernambucano. Segur. Aliment. Nutr. [Internet]. 11º de fevereiro de 2012 [citado 5º de dezembro de 2021];19(2):50-62. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8634610

Edição

Seção

Artigo de Segurança Alimentar e Nutricional

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)