Banner Portal
Revisão de publicações científicas sobre a influência da publicidade mercadológica no consumo de produtos alimentícios
PDF

Palavras-chave

Publicidade de alimentos
Consumo de alimentos
Marketing
Publicidade
Criança

Como Citar

LEMOS, F. J. .; LIMA, J. B. de; GRILO, M. F.; SOUZA, B. F. do N. J. de. Revisão de publicações científicas sobre a influência da publicidade mercadológica no consumo de produtos alimentícios. Segurança Alimentar e Nutricional, Campinas, SP, v. 29, n. 00, p. e022009, 2022. DOI: 10.20396/san.v29i00.8656359. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8656359. Acesso em: 5 mar. 2024.

Resumo

A indústria alimentícia investe em publicidade para manter seus clientes ativos. A publicidade mercadológica pode estar associada a compreensões equivocadas sobre alimentação, contribuindo para a consolidação de um ambiente que favorece o consumo de alimentos nutricionalmente inadequados, relacionados a piores condições de saúde. O objetivo deste trabalho foi revisar publicações científicas referentes a esse tipo de marketing e sua influência sobre o consumo de produtos alimentícios. Foi realizada revisão sistemática que contemplou artigos, dissertações e teses publicados a partir do ano 2000, indexados nas bases SciELO e Lilacs, resultando em 19 publicações que atenderam aos critérios de exigibilidade. Os estudos mostraram associação entre a publicidade mercadológica de alimentos não saudáveis, incluindo publicidades veiculadas na televisão, e escolhas alimentares, o que pode impactar negativamente o consumo alimentar e saúde da população, especialmente a infantil. Destaca-se a importância da regulação e restrição da publicidade mercadológica dos fabricantes e anunciantes de produtos alimentícios como uma das estratégias das políticas públicas para promoção de ambientes alimentares saudáveis, além de ressaltar a construção de ambientes que favoreçam e promovam a prática de atividade física e de lazer em segurança, principalmente para crianças, e o planejamento de ações de comunicação em saúde e marketing social focados na promoção da alimentação saudável.

https://doi.org/10.20396/san.v29i00.8656359
PDF

Referências

Souza PHM, Souza Neto MA, Maia GA. Componentes funcionais nos alimentos. Boletim da Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos. 2003; 37(2):127-135.

Scagliusi FB, Machado FMS, Torres EAFS. Marketing aplicado à indústria de alimentos. Nutrire. 2005; 30:79-95.

Kotler P, Keller K. Administrição de Marketing. 12 ed. Ed. Pearson Education; 2006.

Tagle MA. Cambios em los patrones de consumo alimentario em America Latina. Arch Latinoamericanos de Nutricion. 1988; 38(3):751-65.

González K, Fuentes J, Márquez JL. Physical Inactivity, Sedentary Behavior and Chronic Diseases. Korean J Fam Med. 2017; 38(3):111-115. doi:10.4082/kjfm.2017.38.3.111

CETIC. Proporções de domicílios com acesso à internet e que possuem equipamento TIC [Internet]. 2019 [acesso em 2021 jun 15]. Disponível em: http://data.cetic.br/cetic/explore

Duran AC, Jaime PC Determinantes ambientais de alimentação em saúde coletiva: avaliação e aplicações. In: Cardoso MA (e cols.). Nutrição em saúde coletiva. São Paulo: Editora Atheneu. 2014; 31-37.

Rossi A, Moreira EAM, Rauen MS. Determinantes do comportamento alimentar: uma revisão com enfoque na família. Rev. Nutr. 2008; 21(6): 739-748.

Monteiro CA, Castro IRR. Por que é necessário regulamentar a publicidade de alimentos. Cienc. Cult. [Internet]. 2009 [acesso em 2019 ago 19]; 61(4):56-59. Disponível em: http://cienciaecultura.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0009-67252009000400020&lng=en

Britto SR, Viebig RF, Morimoto JM. Analysis of food advertisements on cable television directed to children based on the food guide for the Brazilian population and current legislation. Rev. Nutr. 2016; 29(5):721-729.

Brasil. Em evento internacional, Brasil assume metas para frear o crescimento da obesidade [Internet]. 2017 [acesso em 2021 jun 15]. Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br/index. php/o-ministerio/principal/secretarias/svs/noticias-svs/27820-em-evento-internacional-brasil-assume-metas-para-frear-o-crescimento-da-obesidade

OMS. OMS lança novas diretrizes de combate à obesidade infantil no mundo [Internet]. 2017 [acesso em 2018 set 22]. Disponível em: https://news.un.org/pt/story/2017/10/1596411-oms-divulga-diretrizes-contra-obesidade-e-sobrepeso-em-criancas

Halford JCG, Boyland EJ, Hughes GM, Stacey L, McKean S, Dovey TM. Beyond-brand effect of television food advertisements on food choice in children: The effects of weight status. Public Health Nutrition. 2007; 11:897-904.

Halford JCG, Gillespie J, Brown V, Pontin EE, Dovey TM. Effect of television advertisements for foods on food consumption in children. Appetite. 2004; 42:221-225.

Wanderley EM, Ferreira VA. Obesidade: uma perspectiva plural. Ciênc. Saúde Coletiva. 2010; 15:185-194.

Enes CC, Lucchini BG. Tempo excessivo diante da televisão e sua influência sobre o consumo alimentar de adolescentes. Rev. Nutr. 2016; 29(3):391-399.

Maia EG, Gomes FMD, Alves MH, Huth YR, Claro RM. Hábito de assistir à televisão e sua relação com a alimentação: resultados do período de 2006 a 2014 em capitais brasileiras. Cad. Saúde Pública. 2016; 32(9).

Dantas NJO. Marketing de alimentos e obesidade infantil: diretrizes para regulamentação [tese]. São Paulo, Universidade de São Paulo; 2015.

Gallo SM, Gallo P, Cuenca A. Influência da televisão nos hábitos alimentares de crianças do nordeste brasileiro. Rev Bras Crescimento Desenvolv Hum. 2013; 23(1):87-93.

Camelo LV, Rodrigues JFC, Giatti L, Barreto SM. Lazer sedentário e consumo de alimentos entre adolescentes brasileiros: Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE), 2009. Cad. Saúde Pública. 2012; 28(11): 2155-2162.

Souza ARL, Révillion JPP. Novas estratégias de posicionamento na fidelização do consumidor infantil de alimentos processados. Ciência Rural. 2012; 42(3):573-580.

Henriques P, Sally EO, Burlandy L, Beiler RM. Regulamentação da propaganda de alimentos infantis como estratégia para a promoção da saúde. Ciênc. Saúde Coletiva. 2012; 17(2):481-490.

Rodrigues VM, Fiates GMR. Hábitos alimentares e comportamento de consumo infantil: influência da renda familiar e do hábito de assistir à televisão. Rev. Nutr. 2012; 25(3):353-362.

Motta-Gallo SKA. Comportamento alimentar e mídia: a influência da televisão no consumo alimentar de crianças do Agreste Meridional Pernambuco, Brasil [tese]. São Paulo, Universidade de São Paulo; 2011.

Reis CEG, Vasconcelos IAL, Barros JFN. Políticas públicas de nutrição para o controle da obesidade infantil. Rev. Paul. Pediatr. 2011; 29(4):625-633.

Rodrigues AS, Carmo I, Breda J, Rito AI. Associação entre o marketing de produtos alimentares de elevada densidade energética e a obesidade infantil. Rev. Port. Sau. Pub. 2011; 29(2):180-187.

Enes CC, Slater B. Obesidade na adolescência e seus principais fatores determinantes. Rev. Bras. Epidemiol. 2010; 13(1):163-171.

Mattos MC, Nascimento PCBD, Almeida SS, Costa TMB. Influência de propagandas de alimentos nas escolhas alimentares de crianças e adolescentes. Psicologia: Teoria e Prática. 2010; 12(3):34-51.

Pitas AMCS. Propagandas de alimentos e bebidas na TV: percepção de crianças e mães [dissertação]. São Paulo, Universidade de São Paulo; 2010.

Rossi CE, Albernaz DO, Vasconcelos FAG, Assis MAA, Di Pietro PF. Influência da televisão no consumo alimentar e na obesidade em crianças e adolescentes: uma revisão sistemática. Rev. Nutr. 2010; 23(4): 607-620.

Lang RMF, Nascimento AN, Taddei JAAC. A transição nutricional e a população infanto-juvenil: medidas de proteção contra o marketing de alimentos e bebidas prejudiciais à saúde. Nutrire: rev. Soc. Bras. Alim. Nutr. = J. Brazilian Soc. Food Nutr. 2009; 34(3):217-229.

Pontes TE, Costa TF, Marum ABRF, Brasil ALD, Taddei JAAC. Orientação nutricional de crianças e adolescentes e os novos padrões de consumo: propagandas, embalagens e rótulos. Rev. Paul. Pediatr. 2009; 27(1):99-105. https://doi.org/10.1590/S0103-05822009000100015

Frutuoso MFP, Bismarck-Nasr EM, Gambardella AMD. Redução do dispêndio energético e excesso de peso corporal em adolescentes. Rev. Nutr. 2003; 16(3):257-263.

Almeida SS, Nascimento PCBD, Quaioti TCB. Quantidade e qualidade de produtos alimentícios anunciados na televisão brasileira. Rev. Saúde Pública. 2002; 36(3):353-355.

Estima CPC, Philippi ST, Alvarenga MS. Fatores determinantes de consumo alimentar: porque os indivíduos comem o que comem? Rev Bras Nutr Clin. 2009; 24:263-268.

Alvarenga M, Koritar P Atitude e comportamento alimentar – determinantes de escolhas e consumo. In: Alvarenga M (orgs.) Nutrição comportamental. Barueri: Manole, 2015. p. 23-50.

Henriques IVM. Controle social e regulação da publicidade infantil: O caso da comunicação mercadológica de alimentos voltada às crianças brasileiras. Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde; 2010;4(4).

Henriques P, Sally EO, Burlandy L, Beiler RM. Regulamentação da propaganda de alimentos infantis como estratégia para a promoção da saúde. Ciência & Saúde Coletiva. 2012; 17:481-490.

Mazzonetto AC, Fiates GM. Perceptions and choices of Brazilian children as consumers of food products. Appetite. 2014; 78:179-184.

Monteiro RA, Pereira BPA. Publicidade que alimenta: análise das estratégias destinadas à criança na publicidade de alimentos na mídia impressa brasileira. Comunicologia. 2012; 5(1):109-31.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia Alimentar para a População Brasileira. 2.ed. [Internet]. 2014 [acesso em 2021 jun 15]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_alimentar_populacao_brasileira_2ed.pdf

Bacardi-Gascon M, Jimenez-Cruz A. TV food advertising geared to children in Latin-American countries and Hispanics in the USA: a review. Nutr Hosp. 2015;31(5):1928-1935.

Veerman JL, Van Beeck EF, Barendregt JJ, Mackenbach JP. By how much would limiting TV food advertising reduce childhood obesity? European Journal of Public Health. 2009;19(4): 365-369.

Center of Science and Public Interest. Food Marketing in Other Countries [Internet]. 2007 [acesso em 2021 jun 15]. Disponível em: https://cspinet.org/resource/food-marketing-other-countries

Brasil. Resolução no 163, de 13 de março de 2014. Dispõe sobre a abusividade do direcionamento de publicidade e de comunicação mercadológica à criança e ao adolescente. Brasília: Secretaria de Direitos Humanos/ Conselho Nacional dos Diretos da Criança e do Adolescente, 2014. Disponível em: https://crianca.mppr.mp.br/arquivos/File/legis/conanda/resolucao_163_conanda.pdf

Handy SL, Boarnet MG, Ewing R, Killingsworth RE. How the built environment affects physical activity: views from urban planning. Am J Prev Med. 2002; 23(2):64-73.

Martins APB. É preciso tratar a obesidade como um problema de saúde pública. Rev. Adm. Empres [Internet]. 2018 [acesso em 2021 jun 15]; 58(3):337-343.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2022 Segurança Alimentar e Nutricional

Downloads

Não há dados estatísticos.