(In)segurança alimentar e nutricional de residentes em moradia estudantil durante a pandemia do covid-19

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v28i00.8661200

Palavras-chave:

Insegurança Alimentar e Nutricional, Estudantes, CRUSP, SARS-CoV-2, Websurveys

Resumo

Objetivos: avaliar a prevalência da insegurança alimentar e nutricional e fatores associados de estudantes, moradores do Conjunto Residencial da Universidade de São Paulo - CRUSP. Métodos: este estudo transversal avaliou por meio de questionário virtual 84 estudantes no período de junho a julho de 2020. Utilizou-se a versão curta (7 questões) da Escala Brasileira de Insegurança Alimentar para definição da variável desfecho: Insegurança Alimentar (IA). Variáveis sociodemográficas e econômicas, e questões relacionadas à ingestão alimentar foram utilizadas para descrever a amostra e associação com a IA, avaliados por meio do teste de qui-quadrado. Resultados: a prevalência de IA foi de 84,5%, associada a renda insuficiente (p<0,001), número menor a 3 refeições por dia (p:0,002) e relato de não preparo de refeições em casa (p:0,048). Aqueles estudantes que não conseguiam utilizar a cozinha comunitária também tiveram maior proporção de IA (56,3%). Conclusão: além da renda, a ausência de equipamentos básicos que impedem o preparo de refeições tem contribuído para alta prevalência de IA entre moradores do CRUSP, durante a pandemia do COVID-19. A omissão no cuidado a essa população coloca em risco a saúde e qualidade de vida destes estudantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tânia Aparecida de Araujo, Universidade Federal de Uberlândia

Faculdade de Medicina, Curso de Nutrição

Luciana Alves de Medeiros, Universidade Federal de Uberlândia

Faculdade de Medicina, Curso de Nutrição

Daniel Bruno Vasconcelos, Universidade de São Paulo

Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Departamento de Geografia

Luiza Veloso Dutra, Centro Universitário de Viçosa

Curso de Nutrição

Referências

Oliveira TC, Abranches MV, Lana RM. Food (in)security in Brazil in the context of the SARS-CoV-2 pandemic. Cad. Saúde Pública. 2020;36(4):e00055220.

Alpino TdMA, Santos CRB, Barros DCd, Freitas CMd. COVID-19 e (in)segurança alimentar e nutricional: ações do Governo Federal brasileiro na pandemia frente aos desmontes orçamentários e institucionais. Cad. Saúde Pública. 2020;36(8): e00161320.

Ribeiro-Silva RC, Pereira M, Campello T, Aragão É, Guimarães JMM, Ferreira AJ, et al. Covid-19 pandemic implications for food and nutrition security in Brazil. Ciênc. Saúde Coletiva. 2020;25(9):3421-3430.

Castro IRRd. The dissolution of the Brazilian National Food and Nutritional Security Council and the food and nutrition agenda. Cad. Saúde Pública. 2019;35(2):e00009919.

Silva Filho OJd, Gomes Júnior NN. TO amanhã vai à mesa: abastecimento alimentar e COVID-19. Cad. Saúde Pública. 2020;36(5):e00095220.

Jaime PC. Pandemia de COVID19: implicações para (in)segurança alimentar e nutricional. Ciênc. Saude Colet. 2020;25(7):2504-2504.

Van Lancker W, Parolin Z. COVID-19, school closures, and child poverty: a social crisis in the making. The Lancet Public health. 2020;5(5):e243-e244.

Laranjo THM. O CRUSP: processos de socialização e consumo de drogas [dissertação de mestrado]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2003.140p.

Santos LPd, Lindemann IL, Motta JV, Mintem G, Bender E, Gigante DP. Proposal of a short-form version of the Brazilian food insecurity scale. Rev. Saúde Pública. 2014;48(5):783-789.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2017-2018: avaliação nutricional da disponibilidade domiciliar de alimentos no Brasil. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística; 2020.

Abbas AM, Kamel MM. Dietary habits in adults during quarantine in the context of COVID-19 pandemic. Obes Med. 2020;19:100254.

Bezerra MS, Jacob MCM, Ferreira MAF, Vale D, Mirabal IRB, Lyra CdO. Insegurança alimentar e nutricional no Brasil e sua correlação com indicadores de vulnerabilidade. Ciênc. Saúde Coletiva. 2020;25(10):3833-3846.

Morais DdC, Sperandio N, Dutra LV, Franceschini SdCC, Santos RHS, Priore SE. Indicadores socioeconômicos, nutricionais e de percepção de insegurança alimentar e nutricional em famílias rurais. Segur. Aliment. Nutr. 2018;25(2):1-11.

Menezes RD, Demétrio F, Soares MD, Henrique FCdS, Panelli-Martins BE, Amparo-Santos L. Efeito do Programa Bolsa Família na prevalência de insegurança alimentar familiar. Segur. Aliment. Nutr. 2017;24(1):41-52.

Sperandio N, Rodrigues CT, Franceschini SdCC, Priore SE. Impacto do Programa Bolsa Família no consumo de alimentos: estudo comparativo das regiões Sudeste e Nordeste do Brasil. Ciênc. Saúde Coletiva. 2017;22(6):1771-1780.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios: segurança alimentar 2013. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística; 2014.

Departamento de Atenção Básica, Secretaria de Atenção à Saúde, Ministério da Saúde. Guia alimentar para a população brasileira. 2ª Ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2014.

Niles MT, Bertmann F, Belarmino EH, Wentworth T, Biehl E, Neff R. The Early Food Insecurity Impacts of COVID-19. Nutrients. 2020;12(7).2096.

Denney JT, Brewer M, Kimbro RT. Food insecurity in households with young children: A test of contextual congruence. Soc Sci Med. 2020;263:113275.

The Lancet Global Health. Food insecurity will be the sting in the tail of COVID-19. Lancet Glob Health. 2020;8(6):e737.

Boni RB. Web surveys in the time of COVID-19. Cad Saúde Pública. 2020;36(7):e00155820.

Downloads

Publicado

2021-03-04

Como Citar

1.
Araujo TA de, Medeiros LA de, Vasconcelos DB, Dutra LV. (In)segurança alimentar e nutricional de residentes em moradia estudantil durante a pandemia do covid-19. Segur. Aliment. Nutr. [Internet]. 4º de março de 2021 [citado 20º de setembro de 2021];28(00):e021010. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8661200

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)