Abastecimento alimentar e COVID -19

uma análise das feiras no Vale do Rio Pardo-RS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v28i00.8661446

Palavras-chave:

Segurança alimentar, Mercados de proximidade, Pandemia

Resumo

Dada a relevância das ações de fortalecimento da agricultura familiar como estratégia de combate à fome, a pobreza e a insegurança alimentar, o presente artigo busca compreender como a pandemia COVID-19 incidiu sobre os espaços de comercialização direta da agricultura familiar na região do Vale do Rio Pardo (RS), indicando os desafios vividos e as repercussões para o abastecimento da população. O trabalho foi realizado entre abril e agosto de 2020, tendo como base uma metodologia exploratória, com levantamento de dados qualitativos e quantitativos, através de fontes primárias e secundárias. Os resultados indicam que a maioria das feiras locais permanece ativas graças a mobilização dos agricultores em implementar uma série de medidas para evitar o contágio, seja em suas práticas pessoais, seja nos espaços de comercialização. Houve também uma atuação positiva de organizações governamentais locais frente às famílias agricultoras, não havendo registros de contágio nas pessoas envolvidas nas dinâmicas de abastecimento estudadas. A caracterização e a distribuição sócio-espacial das feiras da agricultura familiar da região são um resultado inédito e importante para uma agenda de pesquisas futuras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Potira V. Preiss, Universidade de Santa Cruz do Sul

Pesquisadora Pós-Doc no Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional da Universidade de Santa Cruz do Sul

Renata Soares Navarro, Universidade de Santa Cruz do Sul

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional

Jaime Miguel Weber, Universidade de Santa Cruz do Sul

Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional

Lavinia Lopes de Mello, Universidade de Santa Cruz do Sul

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional

Referências

High-level Panel of Experts on Food Security and Nutrition – HLPE. Impact of COVID-19 on Food Security and Nutrition: Impact of COVID-19 on Food Security and Nutrition (FSN). Rome; 2020 [Acesso em 2020 set 25]. Disponível em:https://fscluster.org/sites/default/files/documents/2020-03-19._impact_of_ covid-19_on_fsn_-_hlpe_-_final_draft.pdf

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas-IBGE. Desemprego [Internet]. Rio de Janeiro; 2020 [Acesso em 2020 set 20]. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/explica/desemprego.php

Fundo das Nações Unidas para a infância. Impactos primários e secundários da COVID-19 em Crianças e Adolescentes. Brasília: IBOPE inteligência, 2020.

Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional. Princípios e Diretrizes de uma política de Segurança Alimentar e nutricional. Brasília: Positiva, 2004.

Recine E, Garcia G. A sociedade civil e a garantia da Segurança Alimentar e Nutricional. In: Preiss PV, Schneider S, Coelho-de-Souza GA. Contribuição Brasileira à Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável. 1ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS; 2020. p.107-124.

Takagi M. A implantação do Programa Fome Zero do governo Lula. In: Brasil, Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Fome Zero: uma história brasileira. Brasília: MDS; 2010.

Leão M, Maluf R. A construção de um sistema público de segurança alimentar e nutricional: a experiência brasileira. Brasília: Oxfam; 2012.

Grisa C, Schneider S, Vasconcellos FCF. As compras públicas como instrumentos para a construção de sistemas alimentares sustentáveis. In: Preiss PV, Schneider S, Coelho-de-Souza GA. A Contribuição Brasileira à Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável. 1ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS; 2020.p. 69- 92.

FAO, IFAD and WFP. The State of Food Insecurity in the World 2014: Strengthening the enabling environment for food security and nutrition. Roma; 2014 [Acesso em 2020 set 10]. Disponível em: http://www.fao.org/3/A-I4030E.PDF

Weitz N, Nilsson M, Davis M. A Nexus Approach to the Post-2015 Agenda: Formulating Integrated Water, Energy, and Food SDGs. SAIS Review of International Affairs.2014; 34 (2): 37-50. doi:10.1353/sais.2014.0022

FAO and IFAD. United Nations decade of family farming 2019-2028: global action plan. Rome; 2019 [Acesso em 2020 set 10]. Disponível em: http://www .fao .org /3/ca4672en/ca4672en.pdf

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas-IBGE. Censo Agropecuário 2017: resultados definitivos [Internet]. Rio de Janeiro; 2019 [Acesso em 2020 jun 07]. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualiza cao/periodicos/3096 /agro_2017_resultados_definitivos.pdf

Popkin, BM. Nutrition, agriculture and the global food system in low and middle income countries. Food Policy. 2014; 47: 91-96. doi:10.1016/j.foodpol .2014.05.001

Fanzo J. The role of farming and rural development as central to our diets. Physiology & Behavior. 2018; 193: 291-297. doi:10.1016/j.physbeh.2018.05.014

International Panel of Experts on Sustainable Food Systems - IPES-Food. Unravelling the Food–Health Nexus: Addressing practices, political economy, and power relations to build healthier food systems [Internet]. Brussels; 2017. [Acesso em 2020 ago 17]. Disponível em: https://futureoffood.org/wp-content/uploads/2017/10/FoodHealthNexus_Full-Report_FINAL.pdf.

Swinburn BA, Kraak VI, Allender S, Atkins VJ, Baker PI, Bogard JR et al. The global syndemic of obesity, undernutrition, and climate change: The Lancet Commission report. The Lancet. 2019; 393 (10173): 791- 846. Doi: https://doi.org/10.1016/SO140-6736(18)32822-8.

Wallace R. Big farms make big flu: dispatches on Infectious disease, agribusiness, and the nature of science. New York: Monthly Review; 2016.

Pollan, M. The Sickness in Our Food Supply.Orenda Healing International [internet]. 2020 [Acesso em 2020 set 14]. Disponível em: https://www.orenda-arts.org/the-sickness-in-our-food-supply-michael-pollan/.

Paim C, Alonso W. Pandemia, saúde global e escolhas pessoais. Alfenas: Cria Editora; 2020.

Abramovay R. O sistema alimentar mundial está doente e a culpa não é da COVID-19. Uol TAB [internet]. 2020 [acesso em 2020 set 12]. Disponível em: https://tab.uol.com.br/colunas/ricardo-abramovay/2020/05/22/o-sistema-alimentar-mundial-estadoente-e-a-culpa-nao-e-da-covid-19.htm.

Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura – IICA. La agricultura familiar y el abastecimiento agroalimentario ante la pandemia COVID-19 en América Latina y el Caribe [internet]. Costa Rica; 2020 [Acesso em 2020 set 21]. Disponível em: https://iica.int/sites/default/files/2020-08/sondeolargo% 20%281% 29%20% 281%29.pdf

Salazar L, Schling M, Palacios AC, Pazos N. Retos para la agricultura familiar en el contexto del COVID-19: evidencia de productores en ALC. Washington; 2020 [Acesso em 2020 set 21]. Disponível em: https://publications.iadb.org/ publi cations/spanish/document/Retos-para-la-agricultura-familiar-en-el-contexto-del-COVID-19-Evidencia-de-productores-en-ALC.pdf

Schneider S. Mercados e Agricultura Familiar. In: Marques FC, Conterato MA, Schneider S. Construção de Mercados e Agricultura Familiar. Porto Alegre: Editora da UFRGS; 2016. p. 93-140.

Fundação de Economia e Estatística – FEE. Corede Vale do Rio Pardo. [Internet]. Porto Alegre; 2020 [Acesso em 2020 set 29]. Disponível em: https://arquivofee.rs.gov.br/perfil-socioeconomico/coredes/detalhe/?corede =Vale +do+Rio+Pardo

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas-IBGE. Sinopse do Censo demográfico 2010. Rio Grande do Sul [Internet]. Rio de Janeiro; 2010 [Acesso em 2020 mai 20]. Disponível em: https://censo2010.ibge.gov.br/sinopse/index. php?uf=43&dados=0

Fundação de Economia e Estatística – FEE. Resultados Idese- 2015. Estado. [Internet]. Porto Alegre; 2015 [Acesso em 2020 set 29]. Disponível em: https://arquivofee.rs.gov.br/idese/resultados-idese-2015/

Preiss PV, Deponti CM. Reflexões sobre o potencial da relocalização alimentar para o desenvolvimento regional. In: Silveira RL, Deponti CM. Desenvolvimento regional: processos, políticas e transformações territoriais. São Carlos: Pedro e João Editores; 2020.p. 261- 291.

Brasil. Ministério da Saúde. Guia alimentar para a população brasileira. Brasília: Ministério da Saúde; 2014.

Lopes IB, Viana MM, Alfinito S. Redes alimentares alternativas em meio à Covid-19: reflexões sob o aspecto da resiliência. Gestão & Sociedade. 2020; 14 (39): 3750-3758. https://doi.org/10.21171/ges.v14i39.3265.

Cunha JIC. A internet no meio rural nordestino: um estudo na rede xique-xique de comercialização solidária. In: Anais do XIX Congresso Brasileiro de Sociologia; 2019 9 – 12 julho; Florianópolis, Santa Catarina: SBS; 2019, p. 1.17.

Escosteguy ACD (coord.), Felippi ACT (coord. Campo). As tecnologias de comunicação no cotidiano de famílias rurais: (re)configurações de uma ruralidade. Santa Cruz do Sul: EDUNISC; 2019.

Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e abastecimento. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância sanitária. Recomendações para comercialização de produtos alimentícios em feiras livres, sacolões e varejistas. Brasília; 2020 [Acesso em 2020 set 18]. Disponível em: https://www.gov.br/agricultura/pt-br/campanhas/mapacontracoronavirus/ documentos/recomendacoes-comercializacao-produtos-alimenticios-feiras-livres-sacoloes-varejistas.pdf.

Steele EM, Rauber F, Costa CS, Leite MA, Gabe KT, Louzada MLC, et al. Mudanças alimentares na coorte NutriNet Brasil durante a pandemia de covid-19. Rev Saúde Pública. 2020; 54 (91) :1-8.

Food and Agriculture Organization of the United Nations – FAO. Cities and local governments at the forefront in building inclusive and resilient food systems: key results from the FAO survey “Urban food systems and Covid-19”. Roma: FAO; 2020.

Pereira MC, Müller CR, Rodrigues FSA, Moutinho ABA, Rodrigues KL, Botelho FT. Mudança no perfil sociodemográfico de consumidores de produtos

orgânicos. Ciênc saúde coletiva. 2015; 20 (9): 2797- 804.

Castaño LSA, Castro MAC, Vergara DQ, Bedoya XM, Paniagua LMR, et al. Los consumidores de alimentos orgánicos, ¿es posible construir política pública?. Estudio de casos de Medellín. Nutrición Hospitalaria. 2019; 36 (2): 640–646.

Castro Junior PCP. Ambiente alimentar comunitário medido e percebido: descrição e associação com Índice de Massa Corporal de adultos brasileiros [tese]. Rio de Janeiro: Escola Nacional de saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz; 2018. 175 p.

Zocchio G, Hirota R. São Paulo: entre a abundância e a escassez no acesso à alimentação. O Joio e o Trigo [Internet]. 2020 [acesso em 2020 set 20]. Disponível em: https://ojoioeotrigo.com.br/2020/06/sao-paulo-ambiente-alimentar/

Preiss PV, Navarro RS, Silva GP, Weber J, Vogt HM, Faccin C. et al. Relatório de Resultados Preliminares da Pesquisa “O impacto da COVID-19 na comercialização direta da agricultura familiar no RS”: Regiões Metropolitana do Delta do Jacuí e Vale do Rio Pardo. Santa Cruz do Sul; 2020 OBSERVA-DR, 2020.

Downloads

Publicado

2021-03-04

Como Citar

1.
Preiss PV, Navarro RS, Weber JM, Mello LL de. Abastecimento alimentar e COVID -19: uma análise das feiras no Vale do Rio Pardo-RS. Segur. Aliment. Nutr. [Internet]. 4º de março de 2021 [citado 18º de setembro de 2021];28(00):e021007. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8661446