Avaliação do padrão de qualidade microscópica em amostras comerciais de achocolatados

Autores

DOI:

https://doi.org/10.20396/san.v28i00.8665178

Palavras-chave:

Qualidade, Microscopia alimentar, Sujidades, Achocolatados

Resumo

Os processos de beneficiamento, manipulação, estocagem e transporte do cacau e seus produtos favorecem sua contaminação. Dessa forma, o objetivo do presente trabalho foi a identificação de sujidades e possíveis fraudes, em amostras de achocolatados distribuídos comercialmente. Foram analisadas três marcas de achocolatados em pó de diversos lotes adquiridos em estabelecimentos comerciais das cidades do Rio de Janeiro e Nilópolis, RJ. Na análise microscópica foram encontradas sujidades leves como 15 hifas, três fragmentos de inseto, 17 pelos e 284 fragmentos vegetais em todas as amostras. A extração de partículas metálicas baseou-se no princípio da atração magnética por ímãs, sendo avaliadas, em seguida, pela técnica de Espectroscopia de Energia Dispersiva, acoplada ao microscópio eletrônico de varredura, onde foram detectados elementos químicos distintos, com predominância do Ferro (Fe).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andressa Carvalho Câmara Januário, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro

Graduada em Química de Produtos Naturais

Nadinne Medeiros Assis, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro

Mestre em Bioquímica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro

Camilla Ribeiro Ruback, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro

Graduada em Química

Ivanilton Almeida Nery, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro

Mestre em Ciência e Tecnologia de Alimentos 

Carlos Alexandre Marques, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro

Doutor em Biotecnologia Vegetal 

Referências

Oliveira F, Ritto JLA, Jorge LIF, Barroso ICE, Prado BW. Microscopia de Alimentos. Exames microscópicos de alimentos in natura e tecnologicamente processados. São Paulo: Editora Atheneu; 2015. ISBN 978-85-388-0654-7.

Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA. Dispõe sobre matérias estranhas macroscópicas e microscópicas em alimentos e bebidas, seus limites de tolerância e dá outras providências. Resolução da Diretoria Colegiada – RDC no 14, de 28 de março de 2014 [Internet]. 2014 [Acesso em 2014 abr 04]. Diário Oficial da União. 2014 mar 28. Disponível em: https://www.gov.br/agricultura

Fontes EAF, Fontes PR. Microscopia de Alimentos: Fundamentos Teóricos. Viçosa: Editora UFV; 2005.

Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA. Resolução RDC no 216, 15 de setembro de 2004. Regulamento Técnico de Boas Práticas de Fabricação de Alimentos [Internet]. 2004 [Acesso em 2016 jun 15]. Diário Oficial da União. 2004 set 16. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/

Ferreira AB, Lanfer-Marquez, ÚM. Legislação brasileira referente à rotulagem nutricional de alimentos [Internet]. 2007 [Acesso em 2016 jun 15]. Revista de Nutrição. 2007;20(1):83-93. Disponível em: https://www.ingentaconnect.com/content/doaj/14 155273/ 2007/00000020/0000 0001/art00009

Bojic BD et al. Guide on legislating for the right to food. FAO; 2009. ISBN 978-92-5-106256-2.

Lannes SC, Medeiros ML Processamento de achocolatado de cupuaçu por spray-dryer [Internet]. 2003 [Acesso em 2017 ago 24]. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas. 2003;39(1):115-123. Disponível em: http://www.periodicos.usp.br/rbcf/article/view/43846

Association of official analytical chemists (AOAC). Official Methods of Analysis of AOAC International. 17.ed. William Horwitz (Editor), Gaithersburg, MD: AOAC; 2000.

Kraus JE, Arduin M. Manual básico de métodos em Morfologia Vegetal. Seropédica: EDUR; 1997. ISBN 8585720115.

Nascimento AM, Marques CA, Torres JC. Caracterização morfo-anatômica e testes fitoquímicos em amostras comerciais de Ziziphus joazeiro Mart. (Rhamnaceae). Revista Fitos. 2016;10(4):417-432. DOI: 10.5935/2446-4775.20160030

Assis NM, Marques CA, Silva MC. Avaliação microscópica de amostras comerciais de café. Segur. Aliment. Nutr. 2020;27:1-13. e020022. DOI: http://dx.doi.org/10.20396/san.v27i0.8658921.

Brasil. Comissão Nacional de Normas e Padrões para Alimentos. Aprova normas técnicas especiais relativas a alimentos e bebidas. Resolução – CNNPA no 12, de 1978 [Internet]. 1978 [Acesso em 2016 ago 28]. Diário Oficial da União. Disponível em: https://sogi8.sogi.com.br/Arquivo/Modulo113.MRID109/Registro4760/documento%201.pdf

Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA. Aprova o Regulamento Técnico para chocolate e produtos de cacau. Resolução RDC no 264, de 22 de setembro de 2005 [Internet]. 2005 [Acesso em 2016 ago 28]. Diário Oficial da União. 2005 set 22. Disponível em: http://www.aeap.org.br/doc

Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA. Aprova o Regulamento Técnico para Fixação de Identidade e Qualidade de Chocolate e Chocolate Branco. Resolução RDC no 227, de 28 de agosto de 2003 [Internet]. 2003 [Acesso em 2016 ago 28]. Diário Oficial da União. 2003 set 01. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br

Schwan RF, Wheals AE. The microbiology of cocoa fermentation and its role in chocolate quality [Internet]. 2004 [Acesso em 2016 jun 03]. Critical reviews in food science and nutrition. 2004;44(4):205-221. Disponível em: https://www.researchgate.net

Gava AJ, Silva CAB, Frias JRG. Tecnologia de alimentos: princípios e aplicações. São Paulo: Nobel; 2008.

Hurrell RF. Preventing iron deficiency through food fortification. Nutrition Reviews. 1997;55(6):210-222. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1753-4887.1997.tb01608.x

World Health Organization. Prevention and control of iron deficiency anaemia in women and children. WHO Regional Office for Europe. Geneva: WHO/UNICEF; 1999.

Vellozo EP, Fizberg M. O impacto da fortificação de alimentos na prevenção da deficiência de ferro. Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia. 2010;32(Supl. 2):134-139. DOI: 10.1590/S1516-84842010005000069

Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA. Instrução Normativa no 88, de 26 de março de 2021. Diário Oficial da União. 31 mar 2021.

Downloads

Publicado

2021-12-30

Como Citar

JANUÁRIO, A. C. C.; ASSIS, N. M. .; RUBACK, C. R. .; NERY, I. A.; MARQUES, C. A. Avaliação do padrão de qualidade microscópica em amostras comerciais de achocolatados. Segurança Alimentar e Nutricional, Campinas, SP, v. 28, n. 00, p. e021038, 2021. DOI: 10.20396/san.v28i00.8665178. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8665178. Acesso em: 8 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)