Banner Portal
Como o consumo domiciliar de alimentos específicos varia com a renda, Brasil, 2017-2018
PDF

Palavras-chave

Elasticidade-renda
Consumo de alimentos

Como Citar

HOFFMANN, R.; JESUS, J. G. de. Como o consumo domiciliar de alimentos específicos varia com a renda, Brasil, 2017-2018. Segurança Alimentar e Nutricional, Campinas, SP, v. 28, n. 00, p. e021030, 2021. DOI: 10.20396/san.v28i00.8665493. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/san/article/view/8665493. Acesso em: 29 fev. 2024.

Resumo

Utilizando os dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares 2017-2018, são estimadas as elasticidades-renda do consumo domiciliar (em quilogramas per capita) para diversos tipos de frutas, hortaliças, leite, carnes etc. A metodologia consiste no ajuste, para cada alimento, de uma poligonal para a variação do logaritmo do consumo per capita em função do logaritmo da renda per capita, usando valores médios em dez classes de renda familiar per capita. Verifica-se, por exemplo, que a elasticidade-renda do consumo domiciliar é praticamente nula para arroz e feijão, é negativa para farinha de mandioca e que, como esperado, é maior para carne bovina de primeira (0,613) do que para carne bovina de segunda (0,204). Para produtos selecionados são analisadas as diferenças entre áreas urbanas e áreas rurais e entre as cinco grandes regiões do País.

https://doi.org/10.20396/san.v28i00.8665493
PDF

Referências

IBGE. Séries históricas de desemprego e rendimento [Internet]. 2021 [acesso em 2021 mar 23]. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/explica/desemprego.php

Hoffmann R. Distribuição da renda domiciliar per capita no Brasil, 2012 a 2019 e 1995 a 2015. IEPE – Casa das Garças, Texto para Discussão n. 59; 2020.

Sen A. Poverty and Famines: An Essay on Entitlement and Deprivation. Oxford: Clarendon Press; 1982.

Hoffmann R. Elasticidades-renda das despesas e do consumo de alimentos no Brasil em 2002-2003. In: Silveira FG, Servo LMS, Menezes T, Piola SG. (Org). Gasto e consumo das famílias brasileiras contemporâneas. Brasília: IPEA; 2007. p. 463-483.

Hoffmann R. Estimativas das elasticidades-renda de várias categorias de despesa e de consumo, especialmente alimentos, no Brasil, com base na POF de 2008-2009. Rev. de Economia Agrícola. 2010;57(2):49-62.

Vaz DV, Hoffmann R. Elasticidade-renda e concentração das despesas com alimentos no Brasil: uma análise dos dados das POF de 2002-2003, 2008-2009 e 2017-2018. Revista de Economia. 2020;41(75):282-310.

Hoffmann R, Vaz DV. Evolução do padrão de consumo das famílias brasileiras entre 2008 e 2017. Instituto de Economia da Unicamp, Texto para Discussão n. 384; 2020.

IBGE. Pesquisa de Orçamentos Familiares 2017-2018: primeiros resultados. Rio de Janeiro: IBGE; 2019.

Leal D. Crescimento da alimentação fora do domicílio. Segur. Aliment. Nutr. 2010;17(1):123-132.

Louzada MLC et al. Ultra-processed foods and the nutritional dietary profile in Brazil. Rev. Saúde Pública. 2015;49(38).

Martins APB et al. Participação crescente de produtos ultraprocessados na dieta brasileira (1987-2009). Rev. Saúde Pública. 2013;47(4):656-665.

Bertasso BF. O consumo alimentar dos brasileiros metropolitanos. In: Silveira FG, Servo LMS, Menezes T, Piola SG (Org). Gasto e consumo das famílias brasileiras contemporâneas. Brasília: IPEA; 2006. p. 213-225.

Bleil SI. O padrão alimentar ocidental: considerações sobre a mudança de hábitos no Brasil. Cadernos de Debate. 1998;VI.

Oliveira FCR, Hoffmann R. Consumo de alimentos orgânicos e de produtos light ou diet no Brasil: fatores condicionantes e elasticidades-renda. Segur. Aliment. Nutr. 2015;22(1):541-557.

Lucchese T, Batalha OM, Lambert JL. Marketing de alimentos e o comportamento do consumo: proposição de uma tipologia do consumidor de produtos light e ou diet. Organizações Rurais & Agroindustriais. 2006;8(2):227-239.

Hoffmann R. Elasticidades-renda das despesas com alimentos em regiões metropolitanas do Brasil em 1995-96. In: Silveira FG, Servo LMS, Menezes T, Piola SG (Org). Gasto e consumo das famílias brasileiras contemporâneas. Brasília: IPEA; 2006. p. 197-212.

Menezes T et al. O gasto e a demanda das famílias em saúde: uma análise a partir da POF de 2002-2003. In: In: Silveira FG, Servo LMS, Menezes T, Piola SG (Org). Gasto e consumo das famílias brasileiras contemporâneas. Brasília: IPEA; 2006. p. 313-346.

Schlindwein MM, Kassouf AL. Mudanças no padrão de consumo de alimentos tempo-intensivos e de alimentos poupadores de tempo, por região do Brasil. In: In: Silveira FG, Servo LMS, Menezes T, Piola SG (Org). Gasto e consumo das famílias brasileiras contemporâneas. Brasília: IPEA; 2007. p. 423-462.

Creative Commons License

Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Copyright (c) 2021 Segurança Alimentar e Nutricional

Downloads

Não há dados estatísticos.