Banner Portal
Uma experiência de inserção da paleontologia no ensino fundamental em diferentes regiões do Brasil
PDF

Palavras-chave

Ensino de ciências. Senso comum. Alternativas metodológicas.

Como Citar

NOVAIS, T.; MARTELLO, A. R.; OLEQUES, L. C.; LEAL, L. A.; DA-ROSA, Átila A. S. Uma experiência de inserção da paleontologia no ensino fundamental em diferentes regiões do Brasil. Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 11, n. 1, p. 33–41, 2015. DOI: 10.20396/td.v11i1.8637308. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8637308. Acesso em: 4 mar. 2024.

Resumo

Na busca por alternativas para o ensino sobre Paleontologia é de grande interesse o entendimento das concepções dos alunos. Este trabalho resulta de uma pesquisa qualiquantitativa com o objetivo de mapear as concepções sobre Paleontologia dos alunos do ensino fundamental de escolas públicas brasileiras. Para a coleta de dados utilizou-se um questionário, sendo aplicado a um total de 64 alunos (Jaci Paraná, 25; Jequié, 19; Santa Maria, 20). Os resultados obtidos mostram que a presença de evidências ou registros paleontológicos na região onde os alunos estão inseridos não influencia nas concepções apresentadas pelos mesmos. Evidenciou-se também, as dificuldades que os estudantes possuem em conceituar de forma cientifica a Paleontologia, embora consigam apresentar concepções equivocadas baseadas na mídia e no senso comum.

https://doi.org/10.20396/td.v11i1.8637308
PDF

Referências

ANELLI, L.E. 2002. O passado em suas mãos: guia para coleção de réplicas. São Paulo: EDUSP.

BARBIERI, M.R. 2002. Laboratório de Ensino de Ciências. 20 anos de história. Ribeirão Preto: Holos.

BARBOSA, J.S.F., SABATÉ, P. 2003. Colagem Paleoproterozóica de placas arqueanas do Cráton do São Francisco na Bahia. Rev. Bras. Geoc., 33:3-6.

BARDIN, L. 2004. Análise de conteúdo. Lisboa: Edição 70.

BASTOS, F. 1998. O ensino de conteúdos de História e Filosofia da Ciência. Ciência & Educação, 5(1): 55-72.

BIZZO, N. 2002. Ciências fácil ou difícil? 2.ed. São Paulo: Ática.

BIZZO, N., ALMEIDA, A.V., FALCÃO, J.T.R. 2008. A compreensão de estudantes dos modelos de evolução biológica: duas aproximações. In: MORTIMER, E.F. org. 2008. Atas do VI Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, Florianópolis: Abrapec.

BODGAN, R., BIKLEIN, S. 1994. Investigação qualitativa em educação. Portugal: Porto.

BRASIL. Ministério da Educação. 1997. Parâmetros Curriculares Nacionais: ensino médio: ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Brasília: Secretária da educação Média e Tecnológica.

BRASIL. Ministério da Educação. 1999. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: Secretária da educação Média e Tecnológica.

BRAZ DA SILVA, A.M.T., METTRAU, M.B., BARRETO, M.S.L. 2007. O lúdico no processo de ensino-aprendizagem das ciências. Rev. Bras. Est. Pedag., 88(220):445-458.

CARVALHO, I.S. 2010. Paleontologia - 1. 2.ed. Rio de Janeiro: Interciência.

CASSAB, R.C.T. 2010. Objetivos e Princípios. In: Carvalho I.S. ed. 2010. Paleontologia. Rio de Janeiro: Interciência, p.3-11.

DA ROSA, Á.A.S. 2004. Sítios Fossilíferos de Santa Maria, RS, Brasil. Ciência & Natura, 26(2):75-90.

DELGADO, I.M., SOUZA, J.D., SILVA, L.C., SILVEIRA FILHO, N.C., SANTOS, R.A., PEDREIRA, A.J., GUIMARÃES, J.T., ANGELIM, L.A.A., VASCONCELOS, A.M., GOMES, I.P., LACERDA FILHO, J.V, VALENTE, C.R., PERROTTA, M.M., HEINECK, C.A. 2003. Geotectônica do EscudoAtlântico. In: BIZZI, L.A., SCHOBBENHAUS, C., VIDOTTI, M., GONÇALVES, J.H. eds. 2003. Geologia, Tectônica e Recursos Minerais do Brasil. Brasília: CPRM - Serviço Geológico do Brasil, 692 p.

DEMCZUK, O.M., SEPEL, L.M.N., LORETO, E.L.S. 2007. Investigação das concepções espontâneas referentes a ciclo de vida e suas implicações para o ensino nas séries iniciais. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, 6(1):117-128.

EDWARDS, W. 1967. The early history of palaeontology. London: British Museum.

EICHER, D.L. 1988. O Tempo Geológico. São Paulo: Edgard Bluncher.

FARIA, F.F.A. 2006. O despontar de um paradigma na Paleontologia. Filos. e Hist. Biol., 1:125-136.

FORTIER, D.C., Nascimento, E.R., Holanda, E.C. 2007. Primeiro registro de crocodylidae para a Formação Rio Madeira, Pleistoceno superior, estado de Rondônia. Paleontologia em Destaque, 57.

GIL, A.C. 1999. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5.ed. São Paulo: Atlas.

GIORDAN, A., VECCHI, G. 1996. As origens do saber: das concepções dos aprendentes aos conceitos científicos. Porto Alegre: Artes Médicas.

MARTELLO, A.R., FREITAS, D.S. 2008. Oficina pedagógica sobre o tempo geológico: uma contribuição ao ensino de ciências. Perspectiva, 32:201-209.

MATHER, K.F. 1939. A source book in geology. New York: McGraw-Hill.

MELLO, L.S. 2010. Canta cantos: uma forma alternativa de se fazer geografia. Belo Horizonte: UFMG.

MELLO, F.T., MELLO, L.H.C., TORELLO, M.B.F. 2005. A Paleontologia na Educação Infantil: alfabetizando e construindo o conhecimento. Ciência e Educação, 11(3):395-410.

MELO, D.J., BASTOS, A.C.F.B., RODRIGUES, V.M.C., MONÇÃO, V.M. 2007. Desenvolvimento de atividade lúdica para o auxílio do ensino e divulgação científica da paleontologia. An. Inst. Geoc. UFRJ, 30(1):73-76.

MENDES, J.C. 1986. Paleontologia básica. São Paulo: USP.

MINAYO, M.C.S. 1999. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes.

MORENO, M. 1997. Temas transversais: um ensino voltado para o futuro. In: BUSQUETS, M.D. ed. 1997. Temas transversais em educação: Bases para uma formação integral. São Paulo: Ática. p.19-59.

NASCIMENTO, E.R., HOLANDA, E.C., GÓIS, F., COZZUOL, M.A. 2005. O estado da arte dos registros fossilíferos do Quaternário de Rondônia, Brasil. Paleontologia em Destaque, 49.

OLEQUES, L.C., BARTHOLOMEI-SANTOS, M.L., BOER, N. 2011. Evolução biológica: percepções de professores de Biologia. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, 10(2):243-263.

OLIVEIRA, S.S. 2005. Concepções alternativas e ensino de Biologia: como utilizar estratégias diferenciadas na formação inicial de licenciados. Educar, 26:233-250.

PIAGET, J. 1967. A construção do real na criança. Rio de Janeiro: Zahar.

RAMOS, M.N. s/d. A contextualização no currículo de ensino médio: a necessidade da crítica na construção do saber científico. Mimeo.

RONAN, C. 2002. História ilustrada da ciência. São Paulo: Zahar.

RIZZOTO, G.J., CRUZ, N.M., OLIVEIRA, J.G., QUADROS, M.L.E.S., CASTRO, J.M. 2006. Paleoambiente e o registro fossilífero pleistocênico dos sedimentos da Formação Rio Madeira. In: Simpósio de Geologia da Amazônia, IX, 2006 Belém, Sociedade Brasileira de Paleontologia.

SCHWANKE, C., SILVA, M.A.J. 2010. Educação e Paleontologia. In: CARVALHO, I.S. (Ed.) Paleontologia. v.2. Rio de Janeiro: Interciência. p.123-130.

VIEIRA, Â.T., MELO, F., LOPES, H.B.V., VIEGAS, J.C., GUIMARÃES, J.T., COSTA, J.M., BOMFIM, L.F.C., COUTO, P.A.A., BENVENUTI, S.M.P. 2005. Projeto Cadastro de Fontes de Abastecimento por Água Subterrânea Diagnóstico do Município de Itaberaba - Bahia. Salvador: CPRM/PRODEEM.

WERTHEIN, J., CUNHA, C. 2005. Educação científica e desenvolvimento: o que pensam os cientistas. Brasília: UNESCO/Instituto Sangari.

ZUCON, M.H., VIEIRA, F.S., PRAZERES, M.F.F., DANTAS, M.A.T. 2010. O ensino de Paleontologia e a percepção dos alunos do curso de Biologia da Universidade Federal de Sergipe. v.1. Anais do IV Colóquio Intern. Educ. e Contemporaneidade. Aracaju: EdUFS.

ROLDÃO, M. 2000. Formar professores. Os desafios da profissionalização e o currículo. Aveiro: Univ. Aveiro.

Terrae Didatica utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto, em que:

  • A publicação se reserva o direito de efetuar, nos originais, alterações de ordem normativa, ortográfica e gramatical, com vistas a manter o padrão culto da língua, respeitando, porém, o estilo dos autores;
  • Os originais não serão devolvidos aos autores;
  • Os autores mantêm os direitos totais sobre seus trabalhos publicados na Terrae Didatica, ficando sua reimpressão total ou parcial, depósito ou republicação sujeita à indicação de primeira publicação na revista, por meio da licença CC-BY;
  • Deve ser consignada a fonte de publicação original;
  • As opiniões emitidas pelos autores dos artigos são de sua exclusiva responsabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.