Banner Portal
Desvendando as geociências: alfabetização científica em oficinas didáticas para o ensino fundamental em Porto Velho, Rondônia
PDF

Palavras-chave

Geociências. Paleontologia. Oficinas. Jogos didáticos. Alfabetização científica.

Como Citar

PEREZ, C. P.; ANDRADE, L. C. de; RODRIGUES, M. F. Desvendando as geociências: alfabetização científica em oficinas didáticas para o ensino fundamental em Porto Velho, Rondônia. Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 11, n. 1, p. 42–51, 2015. DOI: 10.20396/td.v11i1.8637309. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8637309. Acesso em: 27 fev. 2024.

Resumo

As Geociências são essenciais para o entendimento do mundo físico, embora ainda sejam pouco utilizadas para promover a Alfabetização Científica (AC) no Ensino Fundamental (EF) no Brasil. Este estudo investiga a efetividade de oficinas didáticas para o ensino de Geociências, além de examinar sua contribuição no processo de AC de estudantes do EF. Cada uma das nove oficinas foi aplicada a duas turmas de 5.º ano, utilizando diferentes ferramentas pedagógicas e abordando um tema específico das Geociências, com ênfase na Paleontologia. Como forma de avaliação foram realizados testes de conhecimento antes e após o desenvolvimento do projeto, comparando-os em análises qualitativa e quantitativa. A partir dos resultados, detectou-se: 1) compreensão básica de termos específicos; 2) compreensão das etapas necessárias para a identificação e o estudo dos fósseis; 3) entendimento das etapas necessárias ao processo de fossilização; 4) compreensão da natureza da ciência e do fazer científico; 5) reconhecimento da importância da divulgação do conhecimento científico para a sociedade. Os resultados indicaram a viabilidade do início do processo de AC nos primeiros anos da vida escolar e a relevância das Geociências como forma de envolver os estudantes com temas científicos.

https://doi.org/10.20396/td.v11i1.8637309
PDF

Referências

ARAÚJO, V.C., ARAÚJO, R.C.B.F., SCHEFFER, A.M.M. 2009. Discutindo aprendizagem e desenvolvimento da criança à luz do referencial histórico-cultural. Vertentes, 33:77-88. URL: <http://www.ufsj.edu.br/portal2-repositorio/File/vertentes/viviam_e_outras.pdf > Accesso: 04.01.2013.

BACCI, D., OLIVEIRA, L., POMMER, C. 2009. Contribuição da abordagem geocientífica no Ensino Fundamental: Tempo Geológico, origem do petróleo e mudanças ambientais. Enseñanza de las Ciencias, Número Extra VIII Congreso Internacional sobre Investigación em Didáctica de las Ciencias: 3459-3463.

BONITO, J., MARQUES, L., MORGADO, M., REBELO, D., MEDINA, J., MCDADE, G.M., MARTINS, L. 2010. A importância do Tempo Geológico percebida por alunos de 12-13 anos: um estudo realizado em escolas nas zonas centro e norte de Portugal. In: Congr. Bras. Geol., 45, Belém, 2010. Anais... Belém, SBGeo. CD-ROM.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. 1998. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ciências Naturais - Terceiro e Quarto Ciclos do Ensino Fundamental. Brasília, MEC/SEF.

CAMPOS, L.M.L., BORTOLOTO, T.M., FELÍCIO, A.K.C. 2003. A produção de jogos didáticos para o ensino de ciências e biologia: uma proposta para favorecer a aprendizagem. Cadernos dos Núcleos de Ensino, 47–60. URL: http://www.unesp.br/prograd/PDFNE2002/aproducaodejogos.pdf. Acesso 15.04.2013.

CARNEIRO, C.D.R., TOLEDO, M.C.M., ALMEIDA, F.F.M. 2004. Dez motivos para a inclusão de temas de Geologia na Educação Básica. Rev. Bras. Geoc., 34(4):553-560.

CHAGAS, I. 2000. Literacia científica. O grande desafio para a escola. In Encontro nacional de investigação e formação, globalização e desenvolvimento profissional do professor, 1. Actas... Lisboa, 2000. URL: http://www.eselx.ipl.pt/Iencontro/Actas/textos/Paineis Chagas.htm. Acesso 07.11.2012.

EEROLA, T. 1994. Problemas da divulgação e popularização de Geociências no Brasil. Rev. Bras. Geoc., 24(3):160–163.

FERRACIOLI, L. 1999. Aprendizagem, desenvolvimento e conhecimento na obra de Jean Piaget: uma análise do processo de ensino-aprendizagem em Ciências. Rev. Bras. Est. Pedag., 80(194):5-18.

FURMAN, M. 2009. O ensino de ciências no Ensino Fundamental: colocando as pedras fundacionais do pensamento científico. São Paulo: Sangari Brasil. 19p.

GUIMARÃES, E.M. 2004. A contribuição da Geologia na construção de um padrão de referência do mundo físico na educação básica. Rev. Bras. Geoc., 34(1):87-94.

HURD, P.H. 1958. Science Literacy: its meaning for american schools. Educational Leadership. 16:13-16.

KISHIMOTO, T.M. 1998. Jogos infantis: o jogo, a criança e a educação. Petrópolis: Vozes. 127p.

LEMKE, J.L. 1997. Aprender a hablar ciencia. Barcelona: Paidós. 272p.

LIRA, M., TEIXEIRA, F.M. 2011. Alfabetização científica e argumentação escrita: proposições reflexivas. In VIII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências e I Congreso Iberoamericano de Investigación en Enseñanza de Las Ciencias. Campinas, 2001. URL: http://adaltech.com.br/testes/abrapec/resumos/R1387-1.pdf. Acesso 06.11.2012.

LOPES, O.R., CARNEIRO, C.D.R. 2009. O jogo “Ciclo das Rochas” para ensino de Geociências. Rev. Bras. Geoc., 39(1):30-41.

LORENZETTI, L., DELIZOICOV, D. 2001. Alfabetização científica no contexto das séries iniciais. Ensaio: Pesq. Educ. Ciênc., 3(1):1-17. URL: http://redalyc.uaemex.mx/redalyc/pdf/1295/129517973004.pdf. Acesso 17.09.2012.

MELLO, F.T., MELLO, L.H.C., TORELLO, M.B.F. 2005. A Paleontologia na Educação Infantil: alfabetizando e construindo o conhecimento. Ciência & Educação, 11(3):395-410.

MESQUITA, M.J.M., PICANÇO, J.L., BESSER, M.L., RIBEIRO, J.C., DMETERKO, H., SILVA, A.L. da, CRUZ, G.M. da, ACORDES, F.A., RIBEIRO, P.R., HAMERSCMIDT, T., MORAIS, J.E.F., BERTON, F., MATTOS, R.F. de, SCHEMIKO, D.C.B 2011. A experiência da oficina “Do mito à natureza: educar o olhar para as Ciências da Terra” no Festival de Inverno de Antonina (PR). Terrae Didatica, 7(2):75-85. URL: http://www.ige.unicamp.br/terraedidatica/v7_2/pdf72/Td72-color-4.pdf. Acesso 7.12.2012.

NEVES, J.P., CAMPOS, L.M.L., SIMÕES, M.G. 2008. Jogos como recurso didático para o ensino de conceitos paleontológicos básicos aos estudantes do Ensino Fundamental. Terr@Plural, 2(1):103-114.

PENHA, S.P., CARVALHO, A.M.P., VIANNA, D.M. 2009. A utilização de atividades investigativas em uma proposta de enculturação científica: novos indicadores para análise do processo. In VII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Anais... Florianópolis, 2009. URL: http://posgrad.fae.ufmg.br/posgrad/viienpec/pdfs/612.pdf. Acesso 23.11.2012.

PEREZ, C.P., RODRIGUES, M.F., SANTOS, T.T., ANDRADE, L.C. 2011. O túnel do tempo geológico: ferramenta didática para o ensino de geociências no ensino fundamental e médio. In CARVALHO, I.S., SRIVASTAVA, N.K., STROHSCHOEN, Jr. O., LANA, C.C. eds. 2011. Paleontologia: Cenários da Vida. Rio de Janeiro: Ed. Interciência. p. 709-718. (Vol. 4).

PIRANHA, J.M., CARNEIRO, C.D.R. 2009. O ensino de Geologia como instrumento formador de uma cultura de sustentabilidade. Rev. Bras. Geoc., 39(1):129-137.

RIVARD, L.P., STRAW, S.B. 2000. The effect of talk and writing on learning science: an exploratory study. Science Education, 84:566-593.

SASSERON, L.H.,CARVALHO, A.M.P. 2008. Almejando a alfabetização científica no ensino fundamental: a proposição e a procura de indicadores do processo. Investigações em ensino de Ciências, 13(3):333-352. URL: http://www.cienciamao.if.usp.br/dados/ard/_almejandoaalfabetizacaoc.url.pdf. Acesso 07.09.2012.

SASSERON, L.H., CARVALHO, A.M.P. 2011. Construindo argumentação na sala de aula: a presença do ciclo argumentativo, os indicadores de Alfabetização Científica e o Padrão de Toulmin. Ciência & Educação, 17(1):97-114.

SENICIATO, T., CAVASSAN, O. 2004. Aulas de campo em ambientes naturais e aprendizagem em Ciências - um estudo com alunos do Ensino Fundamental. Ciência & Educação, 10(1):133-147.

Terrae Didatica utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto, em que:

  • A publicação se reserva o direito de efetuar, nos originais, alterações de ordem normativa, ortográfica e gramatical, com vistas a manter o padrão culto da língua, respeitando, porém, o estilo dos autores;
  • Os originais não serão devolvidos aos autores;
  • Os autores mantêm os direitos totais sobre seus trabalhos publicados na Terrae Didatica, ficando sua reimpressão total ou parcial, depósito ou republicação sujeita à indicação de primeira publicação na revista, por meio da licença CC-BY;
  • Deve ser consignada a fonte de publicação original;
  • As opiniões emitidas pelos autores dos artigos são de sua exclusiva responsabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.