A água nos processos modeladores do relevo no domínio tropical: um mapa conceitual

  • Luciana Serelli Macedo Aranha Universidade Federal de São João Del-Rei - UFSJ
  • Carla Juscélia de Oliveira Souza Universidade Federal de São João Del-Rei
Palavras-chave: Mapa conceitual. Água. Processos geomorfológicos. Ambiente tropical.

Resumo

O mapa conceitual é um recurso didático favorável ao ensino e a aprendizagem, pois sua estrutura e organização permitem representar a rede de conexão estabelecida entre processos, condições e formas de relevo. O trabalho apresenta, por meio de um mapa conceitual, processos geomorfológicos relacionados à ação da água em ambiente tropical. O mapa foi elaborado para alunos de geografia, em formação acadêmica, dadas as dificuldades por eles apresentadas na compreensão de alguns conceitos e na elaboração de raciocínios comuns à Geomorfologia. Apesar de simplificado, se comparado com a complexidade do real, o mapa conceitual proposto possibilita a compreensão da noção de processo e sistema; permite identificar o papel da água no ambiente tropical, a noção de erosão, de intemperismo, de recurso hídrico e de formas de relevo. Cada aluno ou leitor interessado no tema apresentado pode elaborar seu próprio mapa conceitual, ao modificar, reduzir ou ampliar o modelo apresentado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Serelli Macedo Aranha, Universidade Federal de São João Del-Rei - UFSJ
Geógrafa – Curso de Geografia - Departamento de Geociências – DEGEO - Universidade Federal de São João Del-Rei - UFSJ- MG- Brasil.
Carla Juscélia de Oliveira Souza, Universidade Federal de São João Del-Rei
Doutora em Geografia – Curso de Geografia - Departamento de Geociências – DEGEO - Universidade Federal de São João Del-Rei - UFSJ- MG- Brasil.

Referências

ABREU, A.A. 1983. A teoria geomorfológica e sua edificação: análise crítica. São Paulo: Revista IG, 4(1/2):5-23.URL: http://www.igeologico.sp.gov.br/downloads/revista_ig/v4n1-2a01.pdf Acesso 16.05.2010.

ALVARÃES, A.C.T. 2008. Utilização de mapas conceituais no ensino superior como instrumento de análise de resolução de problemas através da aprendizagem significativa. In: Semin. Nac. de Pesq. em Educação, 2, 2008, Santa Cruz do Sul. Anais..., Santa Cruz do Sul: UNISC. 16p. URL: www.albertoalvaraes.adm.br/artigosacademicos/mapas_conceituais_unisc.pdf. Acesso: 25.02.2010.

ARANHA, L.S.M. 2010. Água nos processos modeladores do relevo no domínio tropical: Um mapa conceitual. Belo Horizonte: Centro Univ. Belo Horizonte (UNIBH). 19f. (Trab. Concl. Curso Grad. Geografia).

BERTOLINI, W.Z. 2010. O ensino do relevo no contexto da educação científica e geográfica: noções e propostas para uma didática da geomorfologia. Belo Horizonte. Inst. Geoc., Univ. Fed. Minas Gerais. 105 f. (Dissert. Mestr. Geografia).

BERTONI, J.C., TUCCI, C.E.M. 2001. Precipitação In: TUCCI, C.E.M. org. 2001. Hidrologia: Ciência e aplicação. 3. ed. Porto Alegre: Ed. UFRGS/ABRH. 4 v., cap. 5, p. 177-241.

BIGARELLA, J.J. 2003. Erosão superficial. In: BIGARELLA, J.J. 2003. Estrutura e origem das paisagens tropicais e subtropicais. Florianópolis: UFSC. v. 3, p. 909-928.

CASTELLAR, S.M.V., MORAES, J.V. 2010. O significado da construção dos conceitos. In: CASTELLAR, S.M.V., MORAES, J.V. 2010. Ensino de geografia. São Paulo: Cengage Learning. p. 99-118.

CHRISTOFOLETTI, A. 1980. Geomorfologia. 2. ed. São Paulo: Ed. Blücher. 188p.

CHRISTOFOLETTI, A. 1981. Geomorfologia Fluvial. São Paulo: Ed. Blücher. 313p.

CHRISTOFOLETTI, A. 1972. O Desenvolvimento da Geomorfologia. Campinas: Notícia Geomorfológica. 12(13):13-30.

COELHO NETTO, A.L. 1998. Hidrologia de encosta na interface com a geomorfologia In: Guerra, A.J.T., Cunha, S.B.da. 1998. Geomorfologia: uma atualização de bases e conceitos. 3. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, cap. 3, p. 93-148.

DEMANGEOT, J. 2000. Os meios naturais do globo. Tradução de F. Ribeiro Martins e H. Nogueira Santo. Lisboa: Fund. Calouste Gulbenkian, 478 p. (Tít. Orig.: Les Milieux Naturels du Globe).

GAVA, T.B.S., MENEZES, C.S. de, CURY, D. 2009. Aplicações de Mapas conceituais na educação como ferramenta metacognitiva. Vitória: UFES. 11p. URL: http://www.nte-jgs.rct-sc.br/mapas.htm. Acesso:10.09.2009.

GUERRA, A.J.T. 1999. Início do processo erosivo. In: GUERRA, A.J.T., SILVA, A.S., BOTELHO, R.G.M. 1999. Erosão e conservação dos solos: conceitos, temas e aplicações. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, cap. 1, p. 17-55.

GUERRA, A.J.T. 1998. Processos erosivos nas encostas. In: GUERRA, A.J.T., CUNHA, S.B. da. 1998. Geomorfologia: uma atualização de bases e conceitos. 3. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. cap. 4, p. 149-209.

MARINHO, E.G.do A. 1995. Desenvolvimento e natureza da geomorfologia. Campinas: Cadernos IG/Unicamp, 5(1):9-21.

MATTOS, F.C. de O., SOUZA, C.J. de O. 2010. Geomorfologia: uma discussão preliminar sobre as abordagens morfogênese e morfodinâmica e a Geografia. In: Encontro Nacional de Geógrafo, 10. 2010. Porto Alegre. Anais... Porto Alegre: AGB. 10 p.

MOREIRA, M.A. 1997. Mapas conceituais e aprendizagem significativa. Porto Alegre: Instituto de Física,UFRGS, 11 p. URL:www2.iq.usp.br/docente/famaxim/disciplina/integrada/mapasport-Moreira.pdf> Acesso: 3.10.2010.

SILVEIRA, A.L.L. 2001. Ciclo hidrológico e bacia hidrográfica. In: TUCCI, C.E.M.org. 2001. Hidrologia: Ciência e aplicação. 3. ed. Porto Alegre: Editora UFRGS:ABRH, v. 4. cap. 2, p. 35-52.

SOUZA, C.J.de O. 2009. Geomorfologia no ensino superior: difícil, mas interessante! Por quê? Uma discussão a partir dos conhecimentos e das dificuldades entre graduandos de geografia. Belo Horizonte: Inst. Geoc. UFMG. 268 f. (Tese de Dout. Geografia).

SUERTEGARAY, D.M.A. 1997. Geomorfologia: novos conceitos e abordagens. In: Simpósio Brasileiro de Geografia Física Aplicada, 7, 1997, Curitiba. Anais... Curitiba. p. 24-30.

SUERTEGARAY, D.M.A. (Org.). 2008. Terra feições ilustrada. 3. ed. Porto Alegre: Ed. UFRGS. 264p.

SUERTEGARAY, D.M.A. 2002. Tempos longos... tempos curtos... na análise da Natureza. Vitória, Geografares, p. 159-163.

TOLEDO, M.C.M.; OLIVEIRA, S.M.B.de, MELFI, A.J. 2000. Intemperismo e Formação do Solo. In: TEIXEIRA, W., TOLEDO, M.C.M.de, FAIRCHILD, T.R., TAIOLI, F. 2000. Decifrando a Terra. São Paulo: Ofic. Textos. cap. 8, p. 139-166.

VITTE, A.C. 2008. A Construção da Geomorfologia Brasileira: as transformações paradigmáticas e o estudo do relevo. Santa Maria: Geografia: Ensino & Pesquisa, 12(2):44-54.

Publicado
2015-06-25
Como Citar
Aranha, L. S. M., & Souza, C. J. de O. (2015). A água nos processos modeladores do relevo no domínio tropical: um mapa conceitual. Terrae Didatica, 9(2), 94-104. https://doi.org/10.20396/td.v9i2.8637397
Seção
Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)