Geologia Estrutural em ambiente rúptil: fundamentos físicos, mecânica de fraturas e sistemas de falhas naturais

Autores

  • Henrique Zerfass Universidade Petrobras, Escola de Ciência e Tecnologia de E&P.
  • Farid Chemale Junior Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.20396/td.v7i2.8637428

Palavras-chave:

Força. Tensão. Mecânica de fraturas. Juntas. Falhas. Fraturas.

Resumo

A geologia estrutural é uma matéria fundamental para o currículo de Geologia, com aplicações nas mais diferentes áreas de atuação do geólogo, tanto em atividades acadêmicas como industriais. Tradicionalmente, a geologia estrutural tem enfoque geométrico-cinemático, em que os esforços sofridos pelas rochas são induzidos a partir da disposição geométrica das estruturas. Como forma de agregar conhecimento da relação-processo-produto, este artigo procura adicionar conceitos de mecânica dos sólidos ao estudo das estruturas rúpteis – fraturas, juntas e falhas. Seguindo-se o raciocínio inverso, discute-se como as estruturas naturais podem ser deduzidas ou previstas a partir dos princípios da mecânica. O ponto de partida são os conceitos de força, tensão e magnitude de deformação. A partir daí, são apresentadas as principais ideias sobre a formação e propagação de fraturas, que foram desenvolvidas através de princípios teóricos (Teoria de Mohr- -Coulomb), bem como pela observação e medição de parâmetros durante ensaios de laboratório. Também será abordado o tema da ligação de fraturas, e o seu papel na formação dos sistemas de juntas e falhas. Os sistemas de falhas naturais em ambiente distensional, compressional e transcorrente são então brevemente revistos com base nos conceitos anteriormente apresentados. Os princípios da mecânica dos sólidos aqui discutidos contribuem de forma relevante para a interpretação das estruturas rúpteis naturais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Henrique Zerfass, Universidade Petrobras, Escola de Ciência e Tecnologia de E&P.

Petróleo Brasileiro S/A, Univ. Petrobras, Escola de Ciência e Tecnologia de E&P.

Farid Chemale Junior, Universidade de Brasília

Instituto de Geociências, Universidade de Brasília, Campus Darcy Ribeiro, Brasília, DF

Referências

Ackermann R.V., Schlische R.W., Withjack M.O. 2001. The geometric and statistical evolution of normal fault systems: an experimental study of the effects of mechanical layer thickness on scaling laws. J. Struct. Geol, 23:1803-1819.

An L.-J., Sammis C.G. 1996. Development of strikeslip faults: shear experiments in granular materials and clay using a new technique. J. Struct. Geol, 18(8):1061-1077.

Atkinson B.K., Meredith P.G. 1987. The theory of subcritical growth with applications to miner-

als and rocks. In: Atkinson B.K. ed. 1987. Fracture mechanics of rock. London: Academic Press, p. 111-166.

Belousov V.V. 1974. Geologia estructural. Moscu: Editorial Mir, 303 p.

Cajori F. 1929. A history of physics. New York: Dover Publ., 424p.

Costin L.S. 1987. Time-dependent deformation and failure. . In: Atkinson B. K. ed. 1987. Fracture mechanics of rock. London: Academic Press, p. 167-216.

Crider J.G. 2001. Oblique slip and the geometry of normal-fault linkage: mechanics and a case study from the Basin and Range in Oregon. Journal Struc Geol, 23:1997-2009.

Davis R.O., Selvadurai A.P.S. 2002. Plasticity and Geomechanics. Cambridge: Cambridge Univ. Press. 287p.

Davison I. 1994. Linked fault systems; distensional, strike-slip and contractional. In: Hancock, P.L. ed. 1994. Continental deformation. Oxford: Pergamon Press, p.121-142.

Einstein A., Infeld L. 1938. A evolução da Física. Rio de Janeiro: Zahar Editores. 237p.

Engelder T. 1994. Brittle crack propagation. In: Hancock P.L. ed. 1995. Continental deformation. Oxford: Pergamon Press, p. 43-52.

Grigoryev V., Myakishev G. 1967. The forces of nature. Moscow: Mir Publishers. 346p.

Hancock P.L. 1985. Brittle microtectonics: principles and practice. J. Struct. Geol, 7(3/4):437-457.

Hobbs B.E., Means W.D., Williams P.F. 1976. An outline of structural geology. New York: John Wiley & Sons. 571 p.

Ingraffea A.R. 1987. Theory of crack initiation and propagation in rock. In: Atkinson B. K. ed. 1987. Fracture mechanics of rock. London: Academic Press, p. 71-110.

Jadoon I.A.K., Lawrence R.D., Lilie R.J. 1993. Evolution of foreland structures: an example from the Sulaiman thrust lobe of Pakistan, southwest of the Himalayas. In: Treloar P.J., Searle M.P. eds. 1993. Himalayan tectonics. Geol. Soc. Spec. Publ., 74:589-602.

Loczy L., Ladeira E.A. 1976. J. Struct. Geol. São Paulo: Edgard Blücher. 528p.

Mandl G. 1988. Mechanics of tectonic faulting. Amsterdam: Elsevier. 407p.

Mansfield C., Cartwright J. 2001. Fault growth by linkage: observations and implications from analogue models. J. Struct. Geol, 23:745-763.

Martel S.J., Pollard D.D., Segall P. 1988. Development of simple strike-slip fault zones, Mount Abbot quadrangle, Sierra Nevada, California. Geol. Soc. Am. Bull., 100:1451-1465.

Martel S.J. 1990. Formation of compound strike-slip fault zones, Mount Abbot quadrangle, California. Journal of Structural Geology, 12(7):869-882.

Newton I. 1686. Princípios matemáticos de filosofia natural. São Paulo: Nova Stella e Editora da USP. 292p.

Pollard D.D., Aydin A. 1988. Progress in understanding jointing over the past century. Geol. Soc. Ame. Bull., 100:1181-1204.

Pollard D.D., Fletcher R.C. 2005. Fundamentals of Structural Geology. Cambridge: Cambridge University Press. 500 p.

Price N.J., Cosgrove J.W. 1990. Analysis of geological structures. Cambridge: Cambridge University Press. 502 p.

Ramsay J.G., Huber M.I. 1987. The techniques of modern structural geology. London: Academic Press. 700p.

Willemse E.J.M., Peacock D.C.P., Aydin A. 1997. Nucleation and growth of strike-slip faults in limestones from Somerset, U. K. J. Struct. Geol, 19(12):1461-1477.

Young M.J., Gawthorpe R.L., Hardy S. 2001. Growth and linkage of a segmented normal fault zone; the Late Jurassic Murchison-Statfjord North Fault, northern North Sea. J. Struct. Geol, 23:1933-1952.

Downloads

Publicado

2015-06-29

Como Citar

ZERFASS, H.; CHEMALE JUNIOR, F. Geologia Estrutural em ambiente rúptil: fundamentos físicos, mecânica de fraturas e sistemas de falhas naturais. Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 7, n. 2, p. 61–80, 2015. DOI: 10.20396/td.v7i2.8637428. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8637428. Acesso em: 30 jan. 2023.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)