Banner Portal
O cristal, o ferro e o sal: recursos minerais do antigo Guairá (1557-1632), atual estado do Paraná
PDF

Palavras-chave

Recursos minerais. América do Sul. Guairá. Ametista. Ferro.

Como Citar

PICANÇO, Jefferson de Lima; MESQUITA, Maria Jose de. O cristal, o ferro e o sal: recursos minerais do antigo Guairá (1557-1632), atual estado do Paraná. Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 6, n. 2, p. 67–75, 2015. DOI: 10.20396/td.v6i2.8637454. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8637454. Acesso em: 18 abr. 2024.

Resumo

A presente pesquisa trata da importância dos recursos minerais no sucesso e no fracasso da colonização espanhola no antigo Guairá. O Antigo Guairá, hoje território do estado do Paraná, era uma província espanhola pertencente à órbita do Paraguai colonial. As cidades e reduções jesuíticas foram destruídas pelos paulistas e desocupadas pelos moradores entre 1629-32. Nos primórdios da ocupação do antigo Guairá predominaram os interesses na procura de metais, importante para consolidar a ocupação espanhola na América. Na ausência destes, optou-se pela exploração da erva-mate. Os principais recursos descobertos pelos espanhóis na região foram ametista e ferro. Os textos dos jesuítas também relatam a presença de depósitos de sal na região. A ametista gerou uma revolta em Ciudad Real Del Guairá em 1569. O ferro, proveniente de lateritas, foi explorado pelos espanhóis e pelos jesuítas em suas missões. A experiência anterior dos espanhóis foi decisiva para esta incipiente cultura do ferro. A ausência de recursos minerais preciosos e a disputa da mão-deobra indígena com os paulistas levaram à desocupação do território.
https://doi.org/10.20396/td.v6i2.8637454
PDF

Referências

Araujo L.A. 1996. Manual de Siderurgia. Arte & Ciência, 472 p.

Azara F. 1847. Descripción de la historia del Paraguay y del Rio de la Plata: Buenos Aires, Sanchiz. Google books, Harvard University. URL: http://books.google.com.br/books. pesquisa em 17/03/2010

Azcona J.M., Douglass W. 2004. Possible paradises: Basque emigration to Latin América University of Nevada Press. 568 p.

Barba A.A. 1640. Arte de los metales, en que se enseña el verdadero beneficio de los de oro, y plata por azogue. El modo de fundirlos todos, y como se han de refinar, y apartar unos otros. Compuesto por el licenciado Alvaro Alonso Barba. URL: http://books.google.com.br/books. Pesquisa em 15/03/2010.

Barbosa R.L. 1973. Perfil analitico do sal. Rio de Janeiro, DNPM. 47 p.

Carle C.B. 1993. A metalurgia como estratégia missioneira. In: Simpósio Nacional de Estudos Missioneiros, 10, Santa Rosa, RS. Anais..., Santa Rosa. p. 479-485.

Charlevoix P.F. 1757. Histoire du Paraguay, tome I. URL: http://books.google.com/books. Pesquisa em 17/03/2010.

Chmyz I. 1963. Contribuição arqueológica e histórica ao estudo da comunidade espanhola de Ciudad Real do Guairá. Curitiba: Revista de História, 2: 77-114.

Departamento Nacional da Produção Mineral (DNPM) 2010a. Anuário mineral brasileiro. Parte III – Estatísticas Por Substância: http://www.dnpm.gov.br/assets/galeriaDocumento/AMB2006/substancia%20f-m.pdf (pesq em 17/08/2010).

Departamento Nacional da Produção Mineral (DNPM) 2010b. Informações Geográficas da

Mineração (SIGMINE). http://sigmine.dnpm.gov.br/ (pesq em 17/08/2010).

Departamento Nacional da Produção Mineral (DNPM) 1998. Ametistas do Alto Uruguay: aproveitamento e perspectivas de Desenvolvimento. Brasília, Série Difusão Tecnológica no 6. 260 p.

Diccionário online da Real Academia Espanhola. Verbete: tambo. URL: http://buscon.rae.es/draeI/. pesquisa 17/03/2010.

Dobrizhoffer M. 1822. An account of the Abipones, an equestrian people of Paraguay. Londres, J. Murray. URL: http://books.google.com.br/books. Pesquisa em 17/03/2010.

Eschwege W.L. 1832. Pluto Brasiliensis. São Paulo/Belo Horizonte: Edusp/Itatiaia. 1979. 210 p.

Fernandes E. 2007. Organização espacial dos Componentes da Paisagem da Baixa Nhecolândia - Pantanal de Mato Grosso do Sul. São Paulo, Brasil: 177. Tese doutorado, Fac. de Filo., Letras e Ci. Humanas/USP.

Ferreira M.R. 1960. O Mistério do Ouro dos Martírios. Biblios, São Paulo, 470p.

Gomes M.E.B. 1996. Mecanismos de resfriamento, estruturação e processos pós-magmáticos em basaltos da Bacia do Paraná: região de Frederico Westphalen (RS) – Brasil. Tese, UFRGS, 219 p.

Hemming J. 1979. Ouro Vermelho: A Conquista dos Índios Brasileiros. São Paulo, EDUSP, 780 p.

Lozano, P. 1755. Historia de la Compañia de Jesus de la Provincia del Paraguay. Madrid, 1755. URL: http://books.google.com.br/books pesquisa em 17/03/2010.

Monteiro J.M. 1994. Negros da Terra. Índios e bandeirantes nas origens de São Paulo. São Paulo, Cia das letras. 300 p.

Novo Dicionário da Língua Portuguesa Aurélio Buarque de Holanda Ferreira. Rio, Nova

Fronteira, 1a.

Parellada C. 1997. Um tesouro herdado: os vestígios arqueológicos da cidade colonial espanhola de Villa Rica Del Espiritu Santo/Fênix, PR. Curitiba UFPR, 211 p.

Riart O.P. 2001. Histoire dês Mines dans La Peninsule Iberique. In: Serrano Pinto (ed) INHIGEO meeting – Portugal. Centro de Estudos de Historia da Filosofia e da Técnica, Universidade de Aveiro. p. 38-50.

Schwartz S.B. 2002. A América Latina na Época Colonial. São Paulo, Record. 543 p.

Scopel R.M. 1997. Estudo dos derrames basálticos portadores de ametista da região de Ametista do Sul, RS, Brasil. Alteração pós-magmática. 219 p., (Tese, Dout.)Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Terrae Didatica utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto, em que:

  • A publicação se reserva o direito de efetuar, nos originais, alterações de ordem normativa, ortográfica e gramatical, com vistas a manter o padrão culto da língua, respeitando, porém, o estilo dos autores;
  • Os originais não serão devolvidos aos autores;
  • Os autores mantêm os direitos totais sobre seus trabalhos publicados na Terrae Didatica, ficando sua reimpressão total ou parcial, depósito ou republicação sujeita à indicação de primeira publicação na revista, por meio da licença CC-BY;
  • Deve ser consignada a fonte de publicação original;
  • As opiniões emitidas pelos autores dos artigos são de sua exclusiva responsabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.