Estruturas atectônicas da Bacia do Paraná em Campinas (SP): deformação sin-sedimentar no Subgrupo Itararé

Autores

  • Celso Dal Ré Carneiro Universidade Estadual de Campinas
  • Felipe Garcia Domingues da Costa Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/td.v2i1.8637464

Palavras-chave:

Estruturas atectônicas. Deformação penecontemporânea. Dobras convolutas. Subgrupo Itararé. Bacia do Paraná.

Resumo

Entre 2000-2001, obras na Rodovia D. Pedro I expuseram dobras atectônicas no Subgrupo Itararé, Bacia do Paraná, no trevo da estrada que une Campinas a Moji-Mirim e Moji-Guaçu. Ocorrem dobras convolutas decimétricas, fechadas a isoclinais, controladas por siltitos laminados. As obras também expuseram, e depois destruíram, ondulações com comprimento de onda da ordem de 20 m. Sintetizam-se critérios distintivos desse tipo de estrutura e descrevem-se feições similares, entre SP e SC. A origem das deformações pode ser associada diretamente à ação do gelo ou ao deslizamento subaqüoso de camadas inconsolidadas. As ocorrências de Campinas parecem resultar de ambos os processos. Localmente, camadas não-confinadas em ambiente subaqüoso sofreram deformações penecontemporâneas à sedimentação, ao passo que as ondulações mais amplas e abertas devem-se à ação direta do gelo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Celso Dal Ré Carneiro, Universidade Estadual de Campinas

Departamento de Geociências Aplicadas ao Ensino
Instituto de Geociências – Unicamp

Felipe Garcia Domingues da Costa, Universidade Estadual de Campinas

Graduando em Geologia Instituto de Geociências – Unicamp.

Referências

Almeida F.F.M.de. 1945. Depósitos de origem glacial no território de Ponta Porã. An. Acad. brasil. Ciênc., 17(1):1-12.

Almeida F.F.M.de 1948. A “roche moutonnée” de Salto, Estado de São Paulo. São Paulo, Esc. Politécnica/USP, Geologia e Metalurgia, (5):112-118.

Almeida F.F.M.de 1953. Deformações causadas pelos gelos na Série Tubarão em S. Paulo. Rio de Janeiro, DNPM-DGM. 5 p. (Notas Prel. e Estudos 64).

Almeida F.F.M.de, Barbosa O. 1953. Geologia das quadrículas de Piracicaba e Rio Claro, Estado de S. Paulo. Rio de Janeiro, DNPM-DGM. 96 p. (Bol. 143).

Almeida F.F.M.de, Carneiro C.D.R. 1995. Geleiras no Brasil e os parques naturais de Salto e Itu. Ciência Hoje, 19(112):24-31.

Almeida F.F.M.de, Carneiro C.D.R. 2004. Inundações marinhas fanerozóicas no Brasil e recursos minerais associados. In: V. Mantesso Neto, A. Bartorelli, C.D.R. Carneiro, B.B.de Brito-Neves (orgs.). 2004. Geologia do Continente Sul-Americano: Evolução da obra de Fernando Flávio Marques de Almeida. São Paulo: Ed. Beca. p. 43-60. (Cap. 3).

Assine M.L., Fúlfaro V.J., Perinotto J.A.J., Petri S. 1998. Progradação deltaica Tibagi no devoniano médio da Bacia do Paraná. Rev. Bras. Geoc., 28(2):125-134.

Barbosa O., Almeida F.F.M.de. 1949. Nota sobre a estratigrafia da Série Tubarão em São Paulo. An. Acad. brasil. Ciênc., 21(1):65-68.

Caetano-Chang M.R., Oliveira J.P.de, Brighetti J.M.P. 1990. Pavimento estriado em rochas do Subgrupo Itararé ao longo do rio piritubinha, sul do Estado de São Paulo. Rev. Bras. Geoc., 20(l-4):333-335.

Canuto J.R., Santos P.R., Rocha-Campos A.C. 2001. Estratigrafia de seqüências do Subgrupo Itararé (Neopaleozóico) no leste da Bacia do Paraná, nas regiões sul do Paraná e norte de Santa Catarina, Brasil. Rev. Bras. Geoc., 31(1):107-116.

Carneiro C.D.R. Costa F.G.D.da. 2006. Novas estruturas atectônicas do Subgrupo Itararé em Campinas (SP) In: CONGRESSO Brasileiro de Geologia, 43, Aracaju, 2006. Anais... Aracaju, SBG. p. 36. (S07:AO-107)

Costa F.G.D.da, Carneiro C.D.R. 2006. Integração de dados de estruturas atectônicas do Subgrupo Itararé nas adjacências de Campinas (SP). Campinas: Instituto de Geociências, Unicamp. 13p. (Bolsa Inic. Cient., Rel. Final, PIBIC-CNPq).

Derby O.A. 1878. Geologia da região diamantífea da Província do Paraná no Brasil. Arch. Mus. Nac., Rio de Janeiro, 3:89-96.

Fulfaro V.J., Suguio K., Landim P.M.B., Bósio N.J. 1971. Bacia do Paraná. In: CONGRESSO Brasileiro de Geologia, 25, São Paulo, 1971. Roteiro das Excursões... São Paulo, Sociedade Brasileira de Geologia. p. 29-48. (Exc. n°3).

Gama Jr., E.G., Perinotto J.A.J., Ribeiro H.J.P.S., Padula E.K. 1992a. Contribuição ao estudo da ressedimentação no Subgrupo Itararé: tratos de fácies e hidrodinâmica deposicional. Rev. Bras. Geoc., 22(2):228-236.

Gama Jr., E.G., Perinotto J.A.J., Ribeiro H.J.P.S., Padula E.K. 1992b. Contribuição ao estudo da ressedimentação no Subgrupo Itararé: um guia temático de campo. Rev. Bras. Geoc., 22(2):237-247.

Hobbs B.E., Means W.D., Williams P.F. 1976. Anoutline of structural geology. New York: John Wiley. 571p.

Loczy L.de, Ladeira E.A. 1976. Geologia Estrutural e introdução à Geotectônica. São Paulo: Blücher, Rio de Janeiro: CNPq. 528p.

Marques F° P.L., Salamuni R., Sobanski A. 1965. Contribuição à Geologia da Área Rio Negro-Mafra (Estados do Paraná e Santa Catarina – um resumo) In: CONGRESSO Brasileiro de Geologia, 19, Curitiba, 1965. Instituto de Geologia da Universidade do Paraná, 25p.

Medeiros, R. A. 1971. Bacia do Paraná. Simpósio Geologia do Petróleo no Brasil. In: CONGRESSO Brasileiro de Geologia, 25, São Paulo, 1971. Roteiro das Excursões... São Paulo, SBG. p. 15-25. (Exc. 2).

Mendes J.C. 1962. Problemas paleogeográficos e estratigráficos do Grupo Tubarão; Carbonífero Superior. Bol. Soc. Bras. Geol., 11(2):71-74.

Mezzalira S. 1969. Geologia de Subsuperfície em Itu, SP - ocorrência de “Rocha Moutonnée” nos testemunhos de sondagem. An. Acad. Brasil. Ciênc. 41(1):83-89.

Mezzalira S., Azevedo A.A.B., Tominaga L.K., Pressinotti M.M.N., Massoli M. orgs. 1981. Léxico estratigráfico do Estado de São Paulo. São Paulo, Instituto Geológico. 161p. (Boletim 5).

Neves M.A. 1999. Evolução cenozóica da região de Jundiaí (SP). Rio Claro, IGCE-UNESP. 141p. (Dissert.Mestr. URL: http://www.biblioteca.unesp.br/bibliotecadigital/document/?did=2605. Acesso 08.03.2007).

Oliveira E.P.de. 1929. Ocorrências de folhelhos várvicos no sul do Brasil. Rio de Janeiro, Annaes da Academia Brasileira de Sciencias, 1(3):142-144.

Pacheco J. 1927. Relatório elucidativo do esboço geológico da região comprehendida entre o meridiano 4º , rio Itararé e os paralellos 23º 34' e 24º 38'. In: Comissão Geográfica e Geológica do Estado de São Paulo, Exploração da região comprehendida pelas folhas topográficas Sorocaba... São Paulo, p. 9-12.

Popp J.H. 1987. Introdução ao estudo de estratigrafia e da interpretação de ambientes de sedimentação. Curitiba: Scientia et Labor. 323p.

Ramsay J.G. 1967. Folding and fracturing of rocks. New York, McGraw-Hill, 567p.

Ramsay J.C., Huber M.I. 1987. The techniques of modern structural geology. V. 2: Folds and Fractures. London: Academic Press, p. 308-700.

Rocha-Campos, A.C. 2002a. Varvito de Itu, SP. Re- gistro clássico de glaciação neopaleozóica. In: C. Schobbenhaus, D.A. Campos, E.T.de Queiroz, M. Winge, M.L.C. Berbert-Born (eds.). Sítios Geológicos e Paleontológicos do Brasil. Brasília: DNPM BRASIL. Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM)/Serviço Geológico do Brasil (CPRM). Comissão Brasileira de Sítios Geológicos e Paleobiológicos (SIGEP). 2002. p. 147-154.

Rocha-Campos, A.C. 2002b. Rocha moutonnée de Salto, SP. Típico registro de abrasão glacial do Neopaleozóico. In: C. Schobbenhaus, D.A. Campos, E.T.de Queiroz, M. Winge, M.L.C. Berbert-Born (eds.). Sítios Geológicos e Paleontológicos do Brasil. Brasília: DNPM BRASIL. Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM)/ Serviço Geológico do Brasil (CPRM). Comissão Brasileira de Sítios Geológicos e Paleobiológicos (SIGEP). 2002. p. 155-160.

Rocha-Campos A.C., Farjallat J.E.S., Yoshida R. 1969. Fácies e Paleogeografia do Subgrupo Itararé na Bacia do Paraná. An. Acad. brasil. Ciênc. 41(2):211-213.

Schneider R.L., Mühlmann H., Tommasi E., Medeiros R.A., Daemon R.F., Nogueira A.A. 1974.

Revisão Estratigráfica da Bacia do Paraná. In: SBG, Congr. Bras. Geol., 28, Porto Alegre, 1974. Anais..., Porto Alegre, v. 1, p. 41-65.

Soares P.C., Landim P.M.B., Sinelli O., Wernick E., Wu F.T., Fiori A.P. 1977. Associações Litológicas do Subgrupo Itararé e sua interpretação ambiental. Rev. Bras. Geoc., 7(2):131-149.

Stein D.P. 1984. Esboço da evolução geológica pré-cambriana da folha Pilar do Sul, SP. SF.23-Y-C-IV-4. São Paulo: Instituto de Geociências, USP. 159p. (Dissert. Mestrado, inédita).

Trosdtorf Jr. I., Assine M.L., Rocha-Campos A.C., Santos P.R.dos, Tomio A. 2005. Glacially striated, soft sediment surfaces on late Paleozoic tilite at São Luiz do Purunã, PR. An. Acad. brasil. Ciênc., 77(2):367-378.

Twiss R.J., Moores E.M. 1992. Structural Geology. W.H. Freeman & Co. 532p.

Vesely F.F., Assine M.L. 2004. Seqüências e tratos de sistemas deposicionais do Grupo Itararé, norte do Estado do Paraná. Rev. Bras. Geoc., 34(2):219-230.

Vesely F.F., Assine M.L., Rostirolla S.P. 2005. Deformação penecontemporânea no Grupo Itararé, Bacia do Paraná: estilos estruturais, dinâmica sedimentar e implicações paleogeográficas. In: SIMPÓSIO Nacional de Estudos Tectônicos, 10, Curitiba, 2005. Anais... . Curitiba: SBG núcleo PR. (CD-ROM).

Washburne C. W. 1930. Petroleum geology of the state of São Paulo. Com. Geogr. Geol. São Paulo, Brasil. p. 1-282. (Bol. 22).

Downloads

Publicado

2015-06-30

Como Citar

CARNEIRO, C. D. R.; COSTA, F. G. D. da. Estruturas atectônicas da Bacia do Paraná em Campinas (SP): deformação sin-sedimentar no Subgrupo Itararé. Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 2, n. 1, p. 34–53, 2015. DOI: 10.20396/td.v2i1.8637464. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8637464. Acesso em: 26 jul. 2021.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 5 > >>