Banner Portal
Geologia nas Escolas de Ensino Básico: a experiência do Departamento de Geologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro
PDF

Palavras-chave

Ensino em geociências. Divulgação científica. Recursos paradidáticos.

Como Citar

ALMEIDA, Cícera Neysi; ARAÚJO, Creuza; MELLO, Edson Farias. Geologia nas Escolas de Ensino Básico: a experiência do Departamento de Geologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 11, n. 3, p. 150–161, 2016. DOI: 10.20396/td.v11i3.8643643. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8643643. Acesso em: 12 jun. 2024.

Resumo

A Geologia não é disciplina regular da educação básica no Brasil e seus conceitos não são populares, mas faz parte do cotidiano e ajuda as pessoas a compreender o meio em que vivem, podendo contribuir para melhorar o conhecimento de questões ambientais dentro e fora da escola. A Universidade, por vocação, deve multiplicador sua produção e repassar o conhecimento, minimizando a distância entre academia e sociedade. O Departamento de Geologia/IGEO/UFRJ oferece cursos de aperfeiçoamento para professores, visando divulgar o conhecimento geológico. As práticas interdisciplinares de ensino acerca de conceitos geológicos buscam contribuir para melhorar o ensino de Geociências na rede pública do Rio de Janeiro. Os recursos paradidáticos aproximam docentes e alunos da rede pública ao conhecimento, tendo sido capacitados cerca de 80 professores de vários municípios do Estado do RJ e distribuídas mais de 300 coleções de minerais e de rochas com guias explicativos. A Instituição torna-se agente de requalificação do ensino básico, fornecendo subsídios para atividades escolares e formando multiplicadores do conhecimento.

https://doi.org/10.20396/td.v11i3.8643643
PDF

Referências

Ausubel D.P. 1965. A cognitive structure view of word and concept meaning. In R.C. Anderson e D. Ausubel. Readings in the Psychology of Cognition. New York: Holt, Rinehart and Winston.

Ausubel D.P. 1968. Educational Psychology: Cognitive View. New York: Holt, Rinehart and Winston, Inc.

Bartelmebs R.C. 2012. A astronomia nos Anos Iniciais: Reflexões de Uma Comunidade de Prática.mIn: IX Semin. Pesq. Educ. Região Sul, Caxias do Sul. Anais ... p:1-16.

Brasil. 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: MEC.

Brasil. Ministério da Educação. 1999. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Brasília: Secr. Educação Média e Tecnológica (Semtec/MEC).

Brasil. Ministério da Educação. 2002. PCN+, Orientações Educacionais Complementares aos Parâ- metros Curriculares Nacionais. Brasília: MEC.

Brasil. Ministério da Educação. 2007a. Guia de livros didáticos PNLD 2008: Geografia. Brasília: MEC.

Brasil. Ministério da Educação. 2007b. Guia de livros didáticos PNLD 2008: Ciências. Brasília: MEC. Brasil. Ministério da Educação. Secr. Educação Fundamental.

a. Parâmetros curriculares nacionais: Geografia. Brasília: MEC/ SEF.

Brasil. Ministério da Educação. Secr. Educação Fun damental. 1998b. Parâmetros curriculares nacionais: Ciências. Brasília: MEC/ SEF.

Brasil. Secretaria de Educação Fundamental. 1997. Parâmetros Curriculares Nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais (v.1). Brasília: MEC/SEF.

Carneiro C.D.R., Toledo M.C.M.; Almeida F.F.M. 2004. Dez motivos para a inclusão de temas de geologia na educação básica. Rev. Bras. Geoc., 34(4): 553-560.

Compiani M. 2005. Geologia pra que te quero no ensino de Ciências. Campinas: Educ. & Soc., (36):100-117.

Gentile P. 2014. Era uma vez o Sol, a Terra e a Lua...

Rev Nova Escola. http://revistaescola.abril.com.br/ciencias/pratica-pedagogica/era-vez-sol-terra- -lua-426157.shtml) Guimarães E.M. 2004. A contribuição da Geologia na construção de um padrão de referência do mundo físico na educação básica. Rev. Bras. Geoc., 34:87-94.

Imbernon R.A.L., Sígolo J.B., Toledo M.C.M.de. 1994. Análise crítica dos conhecimentos em Geociências de Alunos de 1º., 2º. E 3º. Graus e professores de 1º. E 2º. Graus. Primeiros Resultados. Cadernos IG/UNICAMP. Vol. Esp. (2).

INEP. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais. 2013. http://www.inep.gov.br/. Página visitada em 30/10/2014.

Mansur K.L. 2009. Projetos Educacionais para a Popularização das Geociências e para a Geoconserva- ção. São Paulo: Geol. USP, Publ. espec., 5:63-74.

Martins A.R. 2008. Lá vem o sol. Revista Escola. (http:// revistaescola.abril.com.br/ciencias/fundamentos/ la-vem-sol-425975.shtml).

Mondéjar F.G. 2007. El Patrimonio Geológico: cultura social y ordenación del territorio. In: Congr.

Intern. Geologia Y Mineria em la Ordenación del Territorio Y en el Desarrollo, 1., Utrillas. Librillo Preliminar de Actas... Utrillas: SEDPGYM, p. 6-7.

Novak J.D., Gowin D.B. 1999. Aprender a aprender. 2 ed. Trad. Carla Valadares. Portugal: Plátano Ed. Técn.

Pedemonte G.M. 1992. La didattica delle scienze della Terra: alcuni problemi modali per l`insegnamento e l´apprendimento. Annali della pubblica intruzione, 38(5-6):579-592.

PISA. Programa Internacional para Avaliação de Alunos. s.d. www. http://pisa2009.acer.edu.au/downloads.php (página visitada em 07/06/2012).

Rio de Janeiro. Secretaria de Estado de Educação. 2009a. Orientações curriculares: áreas específicas/ Geografia. Rio de Janeiro.

Rio de Janeiro. Secretaria de Estado de Educação. 2009b. Orientações Curriculares: Áreas Específicas/ Ciências. Rio de Janeiro.

Rio de Janeiro. Secretaria de Estado de Educação. 2010a. Proposta curricular: um novo formato/Geografia. Rio de Janeiro.

Rio de Janeiro. Secretaria de Estado de Educação. 2010b. Proposta curricular: um novo formato/Ci- ências, Biologia, Física e Química. Rio de Janeiro.

Santana J.C.B. Barbosa L.M. 1996. A realidade do ensino de Geociências no 2º Grau em Feira de Santana, Bahia. Rev. Bras. Geoc., 23(1):98-106.

RESUMO : A Geologia não é disciplina regular da educação Toledo M.C.M. 2002. Geologia/Geociências no Ensino. In: Semin. Nac. Cursos de Geologia. Campinas: Univ. Est. Campinas.

Uceda A.C. 1996. El Patrimonio Geologico. Ideas para su Protección, Conservación y Utilización. In: MOPTMA. Min. Obr. Públ. Tranp. Med. Amb. El patrimonio geológico. Bases para su valoración, protección, conservación y utilización. Madrid.p.17-27.

Terrae Didatica utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto, em que:

  • A publicação se reserva o direito de efetuar, nos originais, alterações de ordem normativa, ortográfica e gramatical, com vistas a manter o padrão culto da língua, respeitando, porém, o estilo dos autores;
  • Os originais não serão devolvidos aos autores;
  • Os autores mantêm os direitos totais sobre seus trabalhos publicados na Terrae Didatica, ficando sua reimpressão total ou parcial, depósito ou republicação sujeita à indicação de primeira publicação na revista, por meio da licença CC-BY;
  • Deve ser consignada a fonte de publicação original;
  • As opiniões emitidas pelos autores dos artigos são de sua exclusiva responsabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.