Um estudo dos modelos de geração interna do campo geomagnético

Autores

  • Daniel Seabra Nogueira Alves Albarell Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo
  • Emilson Pereira Leite Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/td.v12i3.8647895

Palavras-chave:

Campo geomagnético. Modelos de geodinamo. Magnetohidrodinâmica.

Resumo

Um dos principais desafios da geofísica global é entender como a dinâmica do núcleo externo líquido da Terra funciona na geração e manutenção do campo geomagnético, por meio de teorias de geodínamo. O campo geomagnético é de extrema importância para a manutenção da vida no nosso planeta, visto que nos protege das partículas de alta energia provenientes do Sol, além de ser útil para fins de navegação. Por ser inacessível ao homem, esses estudos são baseados nos resultados obtidos pela modelagem do núcleo em laboratórios e computadores, simulando as condições e parâmetros do interior do planeta. Cada modelo tem suas singularidades, semelhanças e restrições. Nesse contexto, este artigo reúne as informações básicas sobre o funcionamento dos modelos de geodínamo publicados. Foi realizada uma revisão dos artigos internacionais e livros sobre o assunto, de forma a compilar, organizar e sintetizar essas informações. São explicados conceitos, teorias e principais equações que descrevem esses modelos e são apresentadas análises estatísticas realizadas com os principais parâmetros utilizados pelos modelos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniel Seabra Nogueira Alves Albarell, Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo

Graduação em geologia pela Universidade Estadual de Campinas. Atualmente é pesquisador assistente trainee do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT), na Seção de Recursos Minerais e Tecnologia Cerâmica (SRM).

Emilson Pereira Leite, Universidade Estadual de Campinas

Professor Doutor MS-3.2 do Departamento de Geologia e Recursos Naturais do Instituto de Geociências da UNICAMP. Graduado em Geofísica pela Universidade de São Paulo, mestre em Geofísica pela Universidade de São Paulo e doutor em Geofísica pela Universidade de São Paulo, tendo realizado estágio no Departamento de Ciências Espaciais e da Terra e Engenharia da Universidade de York, Canadá.

Referências

Braginsky S. I. 1963. Soviet Physics Doklady, 149:8 apud Glaztmaier, G. A., Roberts, P.H. 1998. Dynamo theory then and now. International Journal of Engineering Science, 36:1325-1338.

Buffet B. A. 2002. Earth’s core and the geodynamo. Science, 288:2007-2012.

Callegari S. M. J. 2003. Bioestatística: princípios e aplicações. Porto Alegre: Artmed, 255p. apud Lira A. S. 2004. Análise de correlação: abordagem teórica e de construção dos coeficientes com aplicações. Curitiba: Univ. Fed. Paraná. 209p. (Dissert. Mestr. Ciências).

Davidson P.A. 2001. An Introduction to Magnetohydrodynamics. Cambridge: Cambridge Univ. Press. 452p.

Glatzmaier G. A., Roberts, P.H. 1995a. A three-dimensional convective dynamo solution with rotating and finitely conducting inner core and mantle. Glatzmaier G.A., Roberts P.H. 1995b. A three-dimensional self-consistent computer simulation for a geomagnetic field reversal. Nature, 377:203-209.

Glatzmaier G.A. Roberts P.H. 1997. Simulating the geodynamo. Contemporary Physics, 38:269-288.

Glaztmaier G.A., Roberts P.H. 1998. Dynamo theory then and now. International Journal of Engineering Science, 36:1325-1338.

Glatzmaier G.A., Olson P. 2005. Sondando a comple- Sondando a complexidade do geodínamo. Scientific American, edição especial, 20:30-37.

Glatzmaier G.A. 2007. Geodynamo: numerical simulation. In: Encyclopedia of geomagnetism and paleomagnetism. Gubbis D., Herrero-Bervera E., eds. XXVI, 1054p. URL: http://www.springer.com/978-14020-3992-8. Acesso 10.01.2011.

Halliday D., Resnick R., Walker J. 2007. Fundamentos de Física. v. 3, 7a ed. Trad. Ronaldo Sérgio de Biasi. Rio de Janeiro: LTC Livros Técnicos e Cient. 380p.

Hollerbach R. 1996. On the theory of the geodynamo. Physics of the Earth and Planetary Interiors, 98:163-185.

Jacobs J.A. 1994. Reversals of the Earth’s magnetic field. 2ª ed. Cambridge: Cambridge University Press. 346 p.

Kono M., Roberts P.H. 2002. Recent geodynamo simulations and observations of the geomagnetic field. Review of Geophysics, 40(4):1-53.

Kuang W., Bloxham J. 1997. An Earth-like numerical dynamo model. Nature, 389:371-374.

Lowrie W. 2007. Fundamentals of Geophysics. 2a ed. Cambrigde: Cambrigde Univ. Press. 381p.

Olson P., Christensen U., Glatzmaier G. A. 1999. Numerical modeling of the geodynamo: Mechanisms of field generation and equilibration. J. Geophys. Res., 104:10.383 -10.404.

Silva B.R.F.da. 2009. O Dínamo Terrestre e a Topografia da Interface Manto Núcleo. São Paulo: Inst. Astron., Geof. C. Atmosf. USP. 101p. (Dissert. Mestr. Geofísica).

Sreenivasan B. 2010. Modeling the geodynamo: progress and challenges. Current Sciences, 12(99):1739-1750.

Verhoogen J. 1961. Geophysical Journal of the Royal Astronomical Society, 4: 276, apud Glaztmaier G. A. Roberts P.H. 1998. Dynamo theory then and now. International Journal of Engineering Science, 36: 1325-1338. Physics of Earth and Planetary Interiors, 91:63-75.

Downloads

Publicado

2016-12-15

Como Citar

ALBARELL, D. S. N. A.; LEITE, E. P. Um estudo dos modelos de geração interna do campo geomagnético. Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 12, n. 3, p. 172–183, 2016. DOI: 10.20396/td.v12i3.8647895. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8647895. Acesso em: 27 nov. 2021.

Edição

Seção

Artigos