O papel do isolamento geográfico e da migração dos organismos na especiação: o caso da crítica de Moritz Wagner a Charles Darwin

Autores

  • Carlos Francisco Gerenczes Geraldino Universidade Estadual de Campinas
  • Antonio Carlos Vitte Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.20396/td.v12i3.8647896

Palavras-chave:

Biogeografia. Moritz Wagner. Charles Darwin. Seleção natural. Migração dos organismos. Evolução das espécies

Resumo

O objetivo do artigo é apresentar o debate entre Moritz Wagner e Charles Darwin sobre o papel da migração dos organismos e do isolamento geográfico na especiação, que para Moritz Wagner seriam os dois principais mecanismos que atuariam na evolução das espécies. Para Charles Darwin, a especiação e a evolução seriam produtos de uma conexão entre o acaso e a variabilidade dentro de uma mesma espécie, ou seja, o princípio da divergência é que seria o principal mecanismo da evolução. O debate público entre Wagner e Darwin sobre a migração e o isolamento dos organismos, além de consolidar as bases da biogeografia como campo temático na geografia alemã, permite-nos também discutir como o darwinismo foi incorporado na Alemanha pós-unificação territorial, a partir dos trabalhos de Ernest Haeckel, e como interferiu diretamente nas reflexões de Friedrich Ratzel.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Francisco Gerenczes Geraldino, Universidade Estadual de Campinas

possui graduação em Geografia (Licenciatura e Bacharelado) pela Universidade Estadual de Londrina, especialização em História e Filosofia da Ciência pela Universidade Estadual de Londrina, mestrado em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo e doutorado em Geografia pela Universidade Estadual de Campinas.

Antonio Carlos Vitte, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1989) e doutorado em Geografia (Geografia Física) pela Universidade de São Paulo. Atualmente é ms3 - assistente doutor da Universidade Estadual de Campinas. Orientador de mestrado e doutorado no Programa de Pós-Graduação em Geografia e do Programa de Pós-Graduação em Ensino e História das Ciências da Terra, ambos do Instituto de Geociências, Unicamp. 

Referências

Beck H. 1953. Moritz Wagner als Geograph. Erdkunde, 7(2):125-128.

Beiser F.C. 1992. Enlightenment, revolution & romanticism. The genesis of modern german political thought, 1790-1800. Cambridge:Harvard Univ. Press, Beiser F.C. 2011. The german historicist tradition. Oxford: Oxford Univ. Press, 2011.

Berdoulay V., Soubeyran O. 1991. Lamark, Darwin et Vidal: aux fondements de la géographie humaine. Annales de Géographie, (561-62):617-634.

Capel H. 2012. Filosofía y ciencia en la Geografía contemporánea. Una introducción a la Geografia. Barcelona: Ediciones del Serbal.

Darwin C. 1859. On the origin of species by means of natural selection, or the preservation of favored races in the struggle for life. London: John Murray.

Livingstone D. 2006. The geography of Darwinism. Interdisciplinary Science Reviews, 31(1):32-41.

Mayr E. 1991. One Long Argument: Charles Darwin and the Genesis of Modern Evolutionary Thought. Printed in USA: Harvard Univ. Press.

Mayr E. 1998. O desenvolvimento do pensamento biológico: diversidade, evolução e herança. Trad. Ivo Mar- Trad. Ivo Martinazzo. Brasília-DF: Ed. UNB.

Ospovat D. 1981. The development of Darwin’s Theory: Natural History, Natural Theology, and Natural Selection, 1838-1859. Cambridge: Cambridge Univ. Press.

Ratzel F. 1909. Anthropogeographie. vol. 1. Stuttgart: J. Engelhorn. [1882]

Smith W.D. 1991. Politics and the sciences of cultures in Germany, 1840-1920. Oxford: Oxford Univ. Press.

Sulloway F.J. 1979. Geographic isolation in Darwin`s thinking: the vicissitudes of a crucial idea. Studies in the History of Biology, 3:23-65.

Stoddart D. 1966. Darwin impact on Geography. A.A.A.G. 56(4):95-123.

Wagner M. 1873. The Darwinian Theory and The law of the migration of organisms. Trad. por James Laird. London: Edward Stanford, 6 and 7, Charing

Cross, S.W. Wagner P.; Bauer A., Bohme W. 2012. Amphibians and reptiles collected by Moritz Wagner, with a focus on the ZFMK collection. Bonn Zoological Bulletin, 61(2):216-240.

Weissman C. 2010. The Origins of Species: The Debate between August Weismann and Moritz Wagner. Journal of the History of Biology, 43:727-766.

Downloads

Publicado

2016-12-15

Como Citar

GERALDINO, C. F. G.; VITTE, A. C. O papel do isolamento geográfico e da migração dos organismos na especiação: o caso da crítica de Moritz Wagner a Charles Darwin. Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 12, n. 3, p. 184–195, 2016. DOI: 10.20396/td.v12i3.8647896. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8647896. Acesso em: 28 nov. 2021.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)