Banner Portal
Análise espaço-temporal da Mata Atlântica na subprefeitura de Parelheiros com o Índice de Vegetação Melhorado (EVI)
PDF

Palavras-chave

Desmatamento
Sensoriamento remoto
Floresta Tropical

Como Citar

GODOY, Thamires Gil; EDERLI, Daniel José Padovani; CUNHA, Isabella Alves da; MASSAGARDI, Arthur. Análise espaço-temporal da Mata Atlântica na subprefeitura de Parelheiros com o Índice de Vegetação Melhorado (EVI). Terrae Didatica, Campinas, SP, v. 19, n. 00, p. e023016, 2023. DOI: 10.20396/td.v19i00.8671971. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/td/article/view/8671971. Acesso em: 21 abr. 2024.

Resumo

Introdução e Objetivo. Este estudo objetivou analisar a cobertura de Mata Atlântica na subprefeitura de Parelheiros, cidade de São Paulo, de 2014 a 2022. Metodologia. Utilizou-se o Índice de Vegetação Melhorado (EVI), imagens Landsat-8 e dados do portal GeoSampa. O EVI, que mostra o vigor vegetativo, passou por uma limiarização na qual se dividiu a classe de vegetação arbórea das demais, de modo a contabilizar a proporção de mata em Parelheiros e nas duas Áreas de Proteção Ambiental (APA) situadas na subprefeitura. Resultados. Apesar de estudos mostrarem a ocorrência de desmatamentos, esse trabalho não obteve resultados expressivos quanto à diminuição da vegetação local. A cobertura arbórea se manteve em torno de 75% ao longo dos anos em Parelheiros e na APA Bororé-Colônia, e 80% na APA Capivari-Monos. Conclusão. A metodologia foi validada por meio da métrica acurácia, atingindo o valor mínimo de 93% e o índice Kappa com valores acima de 86%.

https://doi.org/10.20396/td.v19i00.8671971
PDF

Referências

Ab'Sáber, A. N. (1957). Geomorfologia do Sítio Urbano de São Paulo. São Paulo (SP): Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, Universidade de São Paulo (USP). (Tese Doutorado). URL: https://repositorio.usp.br/item/000721645. Acesso 05.01.2023.

Almeida, F. F. M. de. (2018). Fundamentos geológicos do relevo paulista. Revista do Instituto Geológico, 39(3), 9-75. doi: 10.33958/revig.v39i3.600.

Alves, P. H. C. S., Lima, E. S. de, & Veloso, G. A. (2022). Dinâmica do desmatamento na terra indigena Apyterewa mediante a aplicação de técnicas de Sensoriamento Remoto. Boletim Paranaense de Geociências, 80(1). doi: 10.5380/geo.v80i1.82790.

Bayma, A. P. (2015). Análise do potencial de séries temporais de índices de vegetação (NDVI e EVI) do sensor Modis para detecção de desmatamentos no bioma Cerrado. Brasília: Instituto de Geociências, Universidade de Brasília. Repositório Institucional da UnB. URL: https://repositorio.unb.br/handle/10482/18115. Acesso 13.06.2023.

Centro de Estudos da Metrópole. (2016). Relatório 1. Sistematização de informações relativas à precariedade e ao déficit habitacional e correção de bases de favelas e loteamentos. São Paulo (SP): Secretaria Municipal de Habitação e Regularização Fundiária (SEHAB). URL: https://centrodametropole.fflch.usp.br/sites/centrodametropole.fflch.usp.br/files/user_files/ckeditor/relatorio1_CEMSehab2016.pdf. Acesso 12.06.2023.

Cohen, J. A. (1960). Coefficient of Agreement for Nominal Scales. Nova York: Educational and Psychological Measurement. 20(1), 37-46. doi: /10.1177/001316446002000104.

Dossiê da Devastação da Mata Atlântica no Município de São Paulo. (2019). A devastação da Mata Atlântica no município de São Paulo. São Paulo (SP): Câmara Municipal de São Paulo. URL: https://natalini.com.br/dev/wp-content/uploads/2019/08/Dossie-Versao-Final-14-8.pdf. Acesso 13.06.2023.

Dossiê da Devastação da Mata Atlântica no Município de São Paulo. (2020). A devastação da Mata Atlântica no município de São Paulo. Câmara Municipal de São Paulo. São Paulo -SP. URL: https://natalini.com.br/dev/wp-content/uploads/2020/04/FINAL_Dossie2_VersaoFinal.pdf. Acesso 13.06.2023.

Epiphanio, J. C. N., Gleriani, J. M., Formaggio, A. R., & Rudorff, B. F. T. (1996). Índices de vegetação no Sensoriamento Remoto da cultura do feijão. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 31(6), 445-454.

Fundação João Pinheiro. (2020). Déficit Habitacional no Brasil 2016-2019. Belo Horizonte (MG): Fundação João Pinheiro. URL: http://fjp.mg.gov.br/wp-content/uploads/2021/04/21.05_Relatorio-Deficit-Habitacional-no-Brasil-2016-2019-v2.0.pdf. Acesso 13.06.2023

GeoSampa (2022). Mapa Digital da Cidade de São Paulo. São Paulo (SP): Prefeitura de São Paulo. URL: https://geosampa.prefeitura.sp.gov.br/PaginasPublicas/_SBC.aspx. Acesso 14.06.2023.

Huete, A. R., Liu, H. Q. & van Leeuwen, W. J. D. (1997). The use of vegetation indices in forested regions: issues of linearity and saturation. IEEE International Geoscience and Remote Sensing Symposium Proceedings. Remote Sensing. A Scientific Vision for Sustainable Development. 4, 1966-1968. doi: 10.1109/IGARSS.1997.609169.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2021). Cidades e Estados. Rio de Janeiro: IBGE. URL: https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/sp/sao-paulo.html. Acesso 20.12.2023.

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) (2018). Agricultura urbana na cidade de São Paulo: uma análise exploratória dos distritos de Parelheiros e Marsilac. São José dos Campos: INPE, Programa de Pós Graduação em Sensoriamento Remoto (PPGSR). URL: http://wiki.dpi.inpe.br/lib/exe/fetch.php?media=cst310popea:trabalho_final_gisleine_sczeri_2018.pdf. Acesso 12.06.2023.

Ivo, I. O., Biudes, M. S., Machado, N. G. & Pavão, V. M. (2018). Influência do desmatamento no índice de área foliar e temperatura da superfície no cerrado mato-grossense. Nativa, 6(4). doi: 10.31413/nativa.v6i4.5367.

Justice, C. O., Vermote, E., Townshend, J. R. G., Defries, R., Roy, D. P., Hall, D. K., Salomonson, V. V., .... & Barnsley, M. J. (1998). The Moderate Resolution Imaging Spectroradiometer (MODIS): land remote sensing for global change research. Institute of Electrical and Electronics Engineers (IEEE). Transactions on Geoscience and Remote Sensing, 36(4), 1228-1249. doi: 10.1109/36.701075.

Jensen, J. R. (2014). Remote Sensing of the Environment an Earth Resource Perspective. Harlow: Pearson. 384p.

Karnieli, A., Gabai, A., Ichoku, C., Zaady, E., Shachak, M. (2002). Temporal dynamics of soil and vegetation spectral responses in a semi-arid environment. International Journal of Remote Sensing, 23(19), 4073-4087. doi: 10.1080/01431160110116338.

Mello-Théry, N. A. (2011). Conservação de áreas naturais em São Paulo. Estudos Avançados (Online), 25(71). 175-188. doi: 10.1590/S0103-40142011000100012.

Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP). (2022). Gecap denuncia 13 por loteamento irregular de área protegida na Represa de Guarapiranga. São Paulo (SP): MPSP. URL: https://www.mpsp.mp.br/w/gecap-denuncia-13-por-loteamento-de-%C3%A1rea-protegida-na-represa-de-guarapiranga. Acesso 27.12.2022.

Nimer, E. (1977). Clima. In: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (1977). Geografia do Brasil. Rio de Janeiro. Centro de Serviços Gráficos. v.1, p. 47-84.

Portal do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da Universidade de São Paulo (IAG/USP). (2016). Manhã de 13/06/2016 é a mais fria do século XXI até agora. São Paulo: IAG/USP. URL: https://www.iag.usp.br/noticia/estacao-meteorologica-menor-temperatura-2016-06-13. Acesso 27.12.2022.

Prefeitura de São Paulo. (2018). Histórico da Região de Parelheiros. São Paulo: Cidade de São Paulo (Subprefeitura Parelheiros). URL: https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/governo/arquivos/historico_parelheiros.pdf. Acesso 12.06.2023.

Prefeitura de São Paulo. (2021). Situação das ocupações na cidade de São Paulo. Cidade de São Paulo (Subprefeitura Parelheiros). URL: https://polis.org.br/wp-content/uploads/2021/06/Situacao-das-ocupacoes-na-cidade-de-Sao-Paulo.pdf. Acesso 12.06.2023.

QGIS. (2022). Descubra o QGIS. URL: https://www.qgis.org/pt_BR/site/about/index.html. Acesso 12.06.2023.

Rennó, C. D. (1995). Avaliação de medidas texturais na discriminação de classes de uso utilizando imagens SIR-C/X-SAR do perímetro irrigado de Bebedouro, Petrolina, PE. São José dos Campos (SP): Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). (Dissert. Mestrado). URL: http://urlib.net/6qtX3pFwXQZ3P8SECKy/BmUKk. Acesso 13.06.2023.

Ribeiro, R. R. (2004). Evolução geomorfológica da Serra de Cubatão, em São Paulo. São Paulo (SP): Instituto de Geociências, Universidade de São Paulo (USP). (Dissert. Mestrado). URL: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/44/44136/tde-17032014-110052/pt-br.php. Acesso 12.06.2023.

Sabesp. (2022). Portal dos Mananciais. Dados dos Sistemas Produtores. São Paulo: Sabesp. URL: https://mananciais.sabesp.com.br/HistoricoSistemas?SistemaId=2. Acesso 22.06.2023.

Santos, A. H. B., & Oliveira, D. (2015). Impactos oblíquos e a gênese da assimetria geomorfológica da Cratera de Colônia (São Paulo (SP)) a partir de morfometria e dados geofísicos. Territórios Brasileiros: Dinâmicas, Potencialidades e Vulnerabilidades. 4(3). 2114-2120.

Santana, M. F., Delgado, R. C., Júnior, J. F. O., Gois, G. & Teodoro, P. E. (2016). Variabilidade da Mata Atlântica baseado no índice EVI e variáveis climáticas em Cunha, SP. Revista de Ciências Agroambientais, 14(1). doi: 10.5327/rcaa.v14i1.1264.

Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (SIMA). (2021). Operação impede construção irregular no extremo sul da capital. São Paulo: Prefeitura de São Paulo. URL: https://www.infraestruturameioambiente.sp.gov.br/2021/07/operacao-impede-construcao-irregular/. Acesso 12.06.2023.

Silva, D. M. (2018). Classificação de lavouras por aprendizagem profunda com dados de sensores remotos. Brasilia (DF): Faculdade UnB Gama, Univ. de Brasília. (Trab. Concl. Curso). URL: https://bdm.unb.br/bitstream/10483/21556/1/2018_DanielMouraDaSilva_tcc.pdf. Acesso 12.06.2023.

SOS Mata Atlântica (2017). Estudo aponta municípios de São Paulo que mais regeneraram a Mata Atlântica. Fund. SOS Mata Atlântica. Máquina Cohn & Wolfe. URL: https://cms.sosma.org.br/wp-content/uploads/2017/01/Regeneracao-SP-fev17.pdf. Acesso 12.06.2023.

Tramontina, J., Kuplich, T. M., Saldanha, D. L., Alba, E., Marchesan, J., & Pereira, R. S. (2019). Séries temporais de índices de vegetação do sensor MODIS para detecção de limiares de desmatamento no bioma Mata Atlântica. In: Anais do XIX Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, Santos (SP): Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). URL: http://marte2.sid.inpe.br/col/sid.inpe.br/marte2/2019/09.06.17.32/doc/97369.pdf. Acesso 22.12.2022.

Tremea, A., Gallo, J., & Silva, A. J. F. da. (2020). Análise espaço-temporal do desmatamento via Sensoriamento Remoto no projeto de assentamento Santa Júlia, sudoeste do estado do Pará. Revista Meio Ambiente e Sustentabilidade, 9(19). doi: 10.5380/geo.v80i1.82790.

United States Geological Survey (USGS). (2022). Earth Explore. Washington, DC: USGS. URL: https://earthexplorer.usgs.gov/. Acesso 12.06.2023.

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Copyright (c) 2023 Thamires Gil Godoy, Arthur Massagardi, Daniel José Padovani Ederli, Isabella Alves da Cunha

Downloads

Não há dados estatísticos.