Banner Portal
Fraseologismos e cultura
Remoto
Remoto

Palavras-chave

Fraseologia. Semântica. Cultura

Como Citar

STREHLER, R. G. Fraseologismos e cultura. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 48, n. 1, p. 9–21, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8645252. Acesso em: 29 set. 2023.

Resumo

Um levantamento quantitativo mostra que, entre os fraseologismos portugueses, predominam largamente substantivos que designam partes do corpo humano ou verbos de estado (ou assimilável). Os substantivos frequentemente são empregados no seu sentido usual, mas, entre os traços semânticos, podem predominar os traços aferentes e/ou inerentes na ocasião de uma atualização. Esse fato é significativo, pois reflete um comportamento cultural da comunidade linguística.

RÉSUMÉ:

Un relevé quantitatif montre que parmi les phraséologismes en portugais prédominent clairement des substantifs désignant des parties du corps ou des verbes d’état (ou assimilables). Les substantifs sont souvent employés dans leur sens usuel, mais, parmi les traits sémantiques, peuvent prédominer ceux qui sont afférents et/ou inhérents, lors d’une actualisation. Ce fait est significatif, car il est le reflet d’un comportement culturel de la part de la communauté linguistique.

Mots-clés: phraséologie; sémantique; culture

Remoto
Remoto

Referências

BALLY, C. (1951) Traité de stylistique française, 3a ed. Paris: Klincksieck.

BURGER, H. (1998) Phraseologie. Eine Einführung am Beispiel des Deutschen. Berlin: Erich Schmidt Verlag.

FERREIRA, A. B. de H. (1986) Novo dicionário Aurélio da língua portuguesa, 2a ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

GONZALEZ REY, I. (2002) La phraséologie du français. Toulouse: Presses Universitaires du Mirail.

HOUAISS, A. ; SALLES VILAR, M. de (2001) Dicionário Houaiss da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva.

MARCHELLO-NIZIA, C. (2006) Grammaticalisation et changement linguistique. Bruxelles: De Boeck.

RASTIER, F. ; BOUQUET, S. (orgs.) (2002) Une introduction aux sciences de la culture. Paris: Presses Universitaires de France.

STREHLER, R. G. (2003) Fraseologismos e sinonímia. Trabalhos em Lingüística Aplicada, Campinas, n. 42, p. 145-156.

SARDINHA, T. B. (2004) Lingüística de corpus. Barueri: Editora Manole.

VILELA, M. (2001) Estudos de lexicologia do português. Coimbra: Almedina.

WEISZFLOG, W. (ed.) (1998) Michaelis — Moderno dicionário da língua portuguesa. São Paulo: Melhoramentos.

WELKER, H. A. (2004) Dicionários. Uma pequena introdução à lexicografia. Brasília: Thesaurus.

ZINGLE, H. (2003) Dictionnaire combinatoire unilingue français. Paris: La Maison du Dictionnaire.

ZULUAGA, A. (1980) Introducción al estudio de las expresiones fijas. Frankfurt a. M.: Peter D. Lang.

O periódico Trabalhos em Linguística Aplicada utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto, em que:

  • A publicação se reserva o direito de efetuar, nos originais, alterações de ordem normativa, ortográfica e gramatical, com vistas a manter o padrão culto da língua, respeitando, porém, o estilo dos autores;
  • Os originais não serão devolvidos aos autores;
  • Os autores mantêm os direitos totais sobre seus trabalhos publicados na Trabalhos de Linguística Aplicada, ficando sua reimpressão total ou parcial, depósito ou republicação sujeita à indicação de primeira publicação na revista, por meio da licença CC-BY;
  • Deve ser consignada a fonte de publicação original;
  • As opiniões emitidas pelos autores dos artigos são de sua exclusiva responsabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.