Banner Portal
Estágio supervisionado obrigatório das licenciaturas como contexto de pesquisa da linguística aplicada
Remoto

Palavras-chave

Alienação do trabalho. Escrita reflexiva. Letramento do professor

Como Citar

SILVA, W. R.; DINIZ, A. L. S. Estágio supervisionado obrigatório das licenciaturas como contexto de pesquisa da linguística aplicada. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 53, n. 2, p. 333–355, 2016. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8645430. Acesso em: 24 fev. 2024.

Resumo

Com propósito de comprovar que estágios supervisionados de diferentes licenciaturas brasileiras, como Geografia e História, no que tange ao uso da linguagem, são contextos relevantes para a investigação científica na Linguística Aplicada, apresentamos um estudo de como professores em formação inicial percebem a alienação do trabalho do professor do ensino básico envolvendo a escrita, em relatórios de estágio supervisionado, utilizados como atividade avaliativa final nas referidas disciplinas obrigatórias das licenciaturas. Os relatórios são tomados como dados a partir da abordagem qualitativa de pesquisa, orientada pela concepção de Linguística Aplicada indisciplinar, caracterizada pela mobilização de pressupostos teórico-metodológicos originários de diferentes áreas do conhecimento, conforme objeto construído para investigação crítica. Os resultados mostram que, normalmente, o professor não é visto institucionalmente como um profissional autônomo, mas as disciplinas de estágio supervisionado das licenciaturas podem servir como um importante contexto para desestabilização da alienação do trabalho docente ainda na formação inicial de professores, sendo a escrita acadêmica reflexiva um importante instrumento para o empoderamento docente.

ABSTRACT

With the purpose of proving that language uses at compulsory teacher training practices of different Brazilian Teacher Education Courses, like Geography and History, are relevant contexts to the scientific research in Applied Linguistics, we show a study about how pre- -service teachers realize the alienation in school teacher’s work involving the writing ability from their supervised training reports used as final assessment on the mentioned compul- sory subjects of undergraduate teaching courses. The written reports are the data examined by the perspective of qualitative research as well as guided by the conception of indisciplinary Applied Linguistics that is characterized by the use of theoretical-methodological assumptions from different areas of knowledge depending on the produced object to be critically investigated. The result shows that the school teacher is not usually recognized as an autonomous professional. Otherwise, the teacher training practice subjects at undergraduate teaching courses must be seen as important contexts to destabilize the school teachers’ work alienation still into their pre-service teacher training. The academic reflexive writing can be used as an important instrument to the teacher’s empowerment.

Keywords: work alienation; academic writing; teacher education.

Remoto

Referências

BOURDIEU, P. (2011). Razões práticas: sobre a teoria da ação. 11ª. Ed. São Paulo: Papirus.

BRITO, C. C. de P. (2014). Olhares sobre as práticas de linguagem na aula de língua inglesa em contexto de estágio supervisionado. Raído. Dourados: EdUFGD, v. 8.

n. 15, pp. 117-134.

BRONCKART, J-P.; MACHADO, A. R. (2004). Procedimentos de análise de texto sobre o trabalho educacional. In: MACHADO, A. R. O ensino como trabalho. Londrina: EDUEL, pp. 131-166.

CELANI, M. A. (1992). Afinal, o que é Linguística Aplicada? In: PASCHOAL, M.; CELANI, M. (orgs.). Linguística Aplicada: da Aplicação da Linguística à Linguística Transdisciplinar. São Paulo: Educ. pp. 15-23.

DINIZ, A. L. S. (2012). Práticas de leitura propostas por professores na formação inicial em diferentes licenciaturas: investigando relatórios de estágio supervisionado. Dissertação de Mestrado em Letras: Ensino de Língua e Literatura – Campus Universitário de Araguaína, UFT, Araguaína.

FEIMAN-NEMSER, S.; BEASLEY, K. (2007). Discovering and sharing knowledge: inventing a new role for cooperating teachers. In: D. Carroll et al. (ed.). Transforming teacher education: reflections from the field. Cambridge, MA: Harvard Education Press, pp. 139-160.

GONÇALVES, A. V.; FERRAZ, M. R. R. (2012). Teoria acadêmica e prática profissional na Licenciatura em Letras. In: In: SILVA, W. R. (org.). Letramento do professor em formação inicial: interdisciplinaridade no estágio supervisionado da licenciatura. Campinas: Pontes Editores, pp. 109-136.

GONÇALVES, A. V.; FERRAZ, M. R. R.; SILVA, W. R. (2014). Apresentação: estágio supervisionado nas licenciaturas. Raído. Dourados: EdUFGD, v. 8. n. 15, pp. 7-10.

GREEN, P. (2001). Critical literacy revisited. In: FEHRING, H.; GREEN, P. (orgs.). Critical literacy: a collection of articles from the Australian Literacy Educators’ Association. Delaware: International Reading Association, pp. 7-14.

GUARESCHI, P. (2008). Empoderamento. In: STRECK, D. R.; REDIN, E.; ZITKOSKI, J. J. (orgs.). Dicionário Paulo Freire. Belo Horizonte: Autêntica Editora, pp. 165-166.

GUERRA, M. M. (2012). Percursos de professores de línguas nos primeiros momentos do fazer no magistério – entre práticas de letramento, saberes e alguns entremeios. Dissertação de Mestrado em Letras: Ensino de Língua e Literatura – Campus Universitário de Araguaína, UFT, Araguaína.

HALL, C. J.; SMITH, P. H.; WICAKSONO, R. (2011). Mapping Applied Linguistics: a Guide for Students and Practitioners. London: Routledge.

HAMILTON, M. (2012). Literacy and the politics of representation. London: Routledge.

KANEOYA, M. L. C. (2014). A formação pré-serviço do professor de língua em curso de licenciatura: crenças e reflexões em experiências de estágios supervisionados em diferentes contextos (sala de aula teletandem). Raído. Dourados: EdUFGD, v. 8.

n. 15, pp. 249-264.

KIELING, J. F. (2008). Alienação. In: STRECK, D. R.; REDIN, E.; ZITKOSKI, J. J. (orgs.).

Dicionário Paulo Freire. Belo Horizonte: Autêntica Editora, pp. 36-37.

KLEIMAN, A. B. (2008). Os estudos de letramento e a formação do professor de língua materna. Linguagem em Discurso. Tubarão: UNISUL, v. 8, n. 3, pp. 487-517.

KLEIMAN, A. B. (2006). Processos identitários na formação profissional: o professor como agente de letramento. In: CORRÊA, M. L. G.; BOCH, F. (orgs.). Ensino de Língua: representação e letramento, pp. 75-91.

KLEIMAN, A. B. ; MARTINS, M. S. C. (2007). Formação de professores: a contribuição das instâncias administrativas na conservação e na transformação de práticas docentes.

In: KLEIMAN, A. B. e CAVALCANTI, M. C. (orgs.). Linguística Aplicada: suas faces e interfaces. Campinas: Mercado de Letras. pp. 273-298.

KLEIMAN, A. B. ; MORAES, S. E. (2003). Leitura e interdisciplinaridade: tecendo redes nos projetos da escola. 3ª. ed., Campinas: Mercado das Letras.

LIBERALI, F. (2004). Getting ready to conduct a reflective session. The Especialist. São Paulo: PUC, v. 25. n. especial, pp. 23-38.

MAGALHÃES, M.; CALANI, M. (2005). Reflective sessions: a tool for teacher empowerment. Revista Brasileira de Linguística Aplicada. Belo Horizonte: UFMG/ALAB, v. 5. n. 1, pp. 135-160.

MELO, L. C. (2012). Escrita acadêmica na profissionalização do professor de língua estrangeira. In: SILVA, W. R. (Org.). Letramento do professor em formação inicial: interdisciplinaridade no estágio supervisionado da licenciatura. Campinas: Pontes Editores, pp. 181-206.

MELO, L. C.; ANDRADE, K. dos S.; SILVA, W. R. (2012). Trabalho escolar com vocabulário em relatórios de estágios supervisionados em ensino de língua inglesa.

Trabalhos em Linguística Aplicada. Campinas: IEL/UNICAMP, v. 51, pp. 51-75.

MELO, L. C.; GONÇALVES, A. (2014). Projeções como práticas acadêmicas de citação na escrita reflexiva profissional de relatórios de estágio supervisionado. Raído.

Dourados: EdUFGD, v. 8. n. 15, pp. 45-70.

MILLER, I. K. (2010). Construindo parcerias universidade-escola: caminhos éticos e questões crítico-reflexivas. Telma Gimenez; Maria Cristina de Góes Monteiro (orgs.). Formação de Professores de línguas na América Latina e transformação social. Campinas: Pontes, pp. 109-129.

MILLER, I. K.. (2013). Formação de professores de línguas: da eficiência à reflexão crítica e ética. In: LOPES, L. P. da M. (org.). Linguística Aplicada na modernidade recente: festschrift para Antonieta Celani. São Paulo: Parábola, pp. 99-121.

MORIN, E. (2008). Introdução ao pensamento complexo. 5ª ed. Lisboa: Instituto Piaget.

OLIVEIRA, C. P.; FERREIRA, R. V. (2014). Estágio supervisionado e docência indígena: um caso Karajá. Raído. Dourados: EdUFGD, v. 8. n. 15, pp. 283-295.

PENNYCOOK, A. (2001). Critical Applied Linguistics: a critical introduction. New York/ London: Routledge.

PEREIRA, B. G. (2014). Professores em formação inicial no gênero relatório de estágio supervisionado: um estudo em licenciaturas paraenses. Dissertação de Mestrado em Letras: Ensino de Língua e Literatura. Campus Universitário de Araguaína – UFT, Araguaína.

PERRENOUD, P. (2002). A prática reflexiva no oficio de professor: profissionalização e razão pedagógica. Porto Alegre: Artmed.

SANTOS, J. S. dos. (2010). Discurso sobre e de professores de língua materna no estado do Tocantins: modos de posicionamento do e em relação ao discurso oficial. 2010.183f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada). Instituto de Estudos da Linguagem – Universidade Estadual de Campinas.

SCHÖN, D. (1993). The reflective practitioner: how professional think in action. London: ASHGATE.

SILVA, W. R. (2014a). Reflexão pela escrita no estágio supervisionado da licenciatura: pesquisa em Linguística Aplicada. Campinas: Pontes Editores.

SILVA, W. R.. (2014b) Linguística Sistêmico-Funcional como uma teoria para análise de dados em Linguística Aplicada: escrita reflexiva do aluno-mestre. DELTA: Documentação de Estudos em Linguística Teórica e Aplicada. São Paulo: PUC/SP. (a sair) SILVA, W. R.. (2013). Escrita do gênero relatório de estágio supervisionado na formação inicial do professor brasileiro. Revista Brasileira de Linguística Aplicada. Belo Horizonte: UFMG/ALAB, v. 13, n. 1, pp. 171-195.

SILVA, W. R.. (2012a). Estudos do letramento do professor e formação inicial nos estágios supervisionados das licenciaturas. In: SILVA, W. R. (org.). Letramento do professor em formação inicial: interdisciplinaridade no estágio supervisionado da licenciatura. Campinas: Pontes Editores, pp. 27-49.

SILVA, W. R.. (2012b). Práticas escolares de leitura em estágio supervisionado: por uma formação crítica do professor. In: GONÇALVES, A. V.; PETRONI, M. R.

(orgs.). Formação inicial e continuada de professores: o múltiplo e o complexo nas práticas educativas.

Dourados: EDUFGD, pp. 135-166.

SILVA, W. R.. (2012c). Proposta de análise textual-discursiva do gênero relatório de estágio supervisionado. DELTA: Documentação de Estudos em Linguística Teórica e Aplicada.

São Paulo: PUC/SP, v. 28, n. 2, pp. 281-305.

SILVA, W. R.. (2011). Prefácio: por um campo de investigação interdisciplinar próprio para os estágios supervisionados das licenciaturas. In: Adair V. Gonçalves; Alexandra S. Pinheiro; Maria F. Ferro (orgs.). Estágio e práticas educativas: diálogos interdisciplinares.

Dourados: Editora da UEMS, pp. 5-8.

SILVA, W. R.. (2008). Construção e mistura de saberes em projetos de ensino produzidos por professores em formação inicial. In: Norma Lúcia da Silva. (Org.). Construindo saberes: o ensino por projetos nas licenciaturas - experiências docentes. Goiânia: Grafset - Gráfica e Editora Ltda, pp. 53-80.

SILVA, W. R.; MELO, L. C. (2010). Práticas escolares de linguagem propostas em estágio supervisionado de língua inglesa. Revista do GELNE, v. 12, pp. 72-82.

SILVA, W. R.; PEREIRA, B. G. (2013). Letramento acadêmico no estágio supervisionado da licenciatura. Raído. Dourados: EdUFGD, v. 7, n. 13, pp. 37-60.

SILVA, W. R.; RÊGO, N. S. (2013). Apropriação de saberes sobre prática de escrita por professores de língua materna em formação inicial. In: Adair Vieira Gonçalves; Milene Bazarim. (orgs.). Interação, gêneros e letramento: a (re)escrita em foco. 2ed. Campinas: Pontes Editores, pp. 197-220.

SILVA, W. R.; SANTOS, J. S.; FARAH, B. F. (2014). Sustentabilidade e letramento do professor em formação inicial: demandas inovadoras para atividades acadêmicas de ensino e de pesquisa. Araguaína: UFT, (no prelo).

SOUSA, C. T.; LUCENA, J. M.; SEGABINAZ, D. (2014). Estágio supervisionado e ensino de língua portuguesa: reflexões no curso de Letras/Português da UFPB. Raído.

Dourados: EdUFGD, v. 8. n. 15, pp. 205-226.

TAVARES, E. (2011). Práticas de escrita escolar propostas na formação inicial de professores de diferentes licenciaturas: investigando relatórios de estágio e diretrizes curriculares oficiais. Dissertação de Mestrado de Letras: Ensino de Língua e Literatura – Campus Universitário de Araguaína, UFT, Araguaína.

TAVARES, E.; SILVA, W. (2014). Escritas propostas para diferentes disciplinas escolares e formação do professor nas licenciaturas. In: SILVA, L. H. O. da; MELO, M. A. de; OLIVEIRA, L. R. P. F. de. (orgs.). Ensino de Língua e Literatura: pesquisas na Pós-graduação, Palmas: EdUFT, pp. 97-120.

TAVARES, E.; SILVA, W. (2012). Práticas de escrita escolar nos estágios supervisionados das licenciaturas em Geografia, História e Matemática. In: SILVA, W. R. (org.).

Letramento do professor em formação inicial: interdisciplinaridade no estágio supervisionado da licenciatura. Campinas: Pontes Editores, pp. 231-255.

VALSECHI, M. C.; KLEIMAN, A. B. (2014). O estágio supervisionado e a voz social do estagiário. Raído. Dourados: EdUFGD, v. 8. n. 15, pp. 13-32.

ZEICHNER, K. (2008). Uma análise crítica sobre a “reflexão” como conceito estruturante na formação docente. Educação e Sociedade: Revista de Ciência da Educação. Campinas: Unicamp, v. 29, n. 103, pp. 535-554,

O periódico Trabalhos em Linguística Aplicada utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto, em que:

  • A publicação se reserva o direito de efetuar, nos originais, alterações de ordem normativa, ortográfica e gramatical, com vistas a manter o padrão culto da língua, respeitando, porém, o estilo dos autores;
  • Os originais não serão devolvidos aos autores;
  • Os autores mantêm os direitos totais sobre seus trabalhos publicados na Trabalhos de Linguística Aplicada, ficando sua reimpressão total ou parcial, depósito ou republicação sujeita à indicação de primeira publicação na revista, por meio da licença CC-BY;
  • Deve ser consignada a fonte de publicação original;
  • As opiniões emitidas pelos autores dos artigos são de sua exclusiva responsabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.