Espanhol e português brasileiro: estudos comparados

Autores

  • Helena Boschi Universidade Federal de São Carlos

Palavras-chave:

espanhol como língua estrangeira (ELE), português como língua estrangeira (PLE), aquisição de segunda língua

Resumo

Os trabalhos que Fanjul e González reúnem nesta obra discutem encontros e, principalmente, desencontros na produção de estruturas linguísticas por falantes de espanhol e de português como língua materna/estrangeira, e apontam caminhos possíveis de pesquisas para o estudo mútuo das duas línguas. Ao final do livro, indicam ainda publicações recentes diversas sobre o tema, dando assim um panorama amplo da área para aqueles que se interessam no estudo detalhado e científico de construções linguísticas das línguas em questão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Helena Boschi, Universidade Federal de São Carlos

Doutoranda no Programa de Pós-Graduacão em Linguística da UFSCar, bolsista FAPESP (Processo 2015/01368-7), professora de português brasileiro como língua estrangeira. email: helenaboschi@gmail.com

Referências

ARAÚJO JR. (2014). As formas passivas. In: FANJUL, A. P.; GONZÁLEZ, N. M. (orgs.) Espanhol e português brasileiro: estudos comparados. São Paulo: Parábola Editorial.

BAGNO, M. (2012). Gramática Pedagógica do Português Brasileiro. São Paulo: Parábola.

CELADA, M. T.; GONZÁLEZ, N. M. (2005). El español en Brasil: un intento de captar el orden de la experiencia. In: Sedycias, J. (Org.) O ensino do espanhol no Brasil: passado, presente e futuro. São Paulo: Parábola

CHAFE, W. (1994). Discourse, consciousness and time. The flow and displacement of conscious experience in speaking and writing. Chicago: The University of Chicago Press.

FANJUL, A. P.; GONZÁLEZ, N. M. (2014). Apresentação. In: ____ (orgs.) (2014). Espanhol e português brasileiro: estudos comparados. São Paulo: Parábola Editorial.

FANJUL, A. P. (2014a). Conhecendo assimetrias: a ocorrência de pronomes pessoais. In: FANJUL, A. P.; GONZÁLEZ, N. M. (orgs.) Espanhol e português brasileiro: estudos comparados. São Paulo: Parábola Editorial.

FANJUL, A. P. (2014b). Posse, domínio, apresentação, existência. In: FANJUL, A. P.; GONZÁLEZ, N. M. (orgs.) Espanhol e português brasileiro: estudos comparados. São Paulo: Parábola Editorial.

GONZÁLEZ, N.T.M. (1994). Cadê o pronome? O gato comeu. Os pronomes pessoais na aquisição/aprendizagem do espanhol por brasileiros adultos. Tese de doutorado. Universidade de São Paulo.

GONZÁLEZ, N.T.M. (2014). Ausência de determinante: referência genérica vs. referência específica. In: FANJUL, A. P.; GONZÁLEZ, N. M. (orgs.) Espanhol e português brasileiro: estudos comparados. São Paulo: Parábola Editorial.

GONZÁLEZ, N. M.; CASTALDO, I. C. As construções relativas: parte das inversas assimetrias? In: FANJUL, A. P.; GONZÁLEZ, N. M. (orgs.) Espanhol e português brasileiro: estudos comparados. São Paulo: Parábola Editorial.

GUY, G. (1981). Linguistic variation in brazilian Portuguese. Aspects of the phonology, syntax and language history. Tese de doutorado. Pennsylvania University.

MARTINS, J. (2013). Aspectos Epistemológicos das Teorias Sobre a Formação do Português Brasileiro. Dissertação de mestrado. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/107129/318497.pdf?sequence=1. Acesso em 17 de julho de 2016.

MOREIRA, G. S. (2014). As séries de demonstrativos: mais assimetrias. In: FANJUL, A. P.; GONZÁLEZ, N. M. (orgs.) Espanhol e português brasileiro: estudos comparados. São Paulo: Parábola Editorial.

NEVES, M. H. M. (2000). Gramática de usos do português. São Paulo: Editora UNESP.

NEVES, M. H. M. (2006). Texto e gramática. São Paulo: Contexto.

PETROLINI JR. (2014). Colocação dos pronomes clíticos. In: FANJUL, A. P.; GONZÁLEZ, N. M. (orgs.) Espanhol e português brasileiro: estudos comparados. São Paulo: Parábola Editorial

POSSENTI, S. (2002). Por que (não) ensinar gramática na escola. Campinas: Mercado de Letras.

REGUEIRA, O.; LUIS, C. R. (2014). A frase imperativa citada. In: FANJUL, A. P.; GONZÁLEZ, N. M. (orgs.) Espanhol e português brasileiro: estudos comparados. São Paulo: Parábola Editorial.

REVUZ, C. (1998). A língua estrangeira entre o desejo de um outro lugar e o risco do exílio. In: SIGNORINI, I. (Org.). Lingua(gem) e identidade. São Paulo: Mercado de Letras. p.213-230.

TARALLO, F. (1993a) Sobre a alegada origem crioula do português brasileiro: mudanças sintáticas aleatórias. In: ROBERTS, I. & KATO, M. (orgs.) Português Brasileiro – uma Viagem Diacrônica. Campinas: Editora da Unicamp: 35-68.

TARALLO, F. (1993b). Diagnosticando uma gramática brasileira: O português d'aquém e d'além-mar ao final do século XIX. In: ROBERTS, I. & KATO, M. (orgs.) Português Brasileiro – uma Viagem Diacrônica. Campinas: Editora da Unicamp: 69-106.

Downloads

Publicado

2018-01-04

Como Citar

BOSCHI, H. Espanhol e português brasileiro: estudos comparados. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 56, n. 3, p. 955-966, 2018. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8648075. Acesso em: 27 out. 2020.

Edição

Seção

Resenha