Banner Portal
Da hospitalidade à intolerância ao migrante árabe: construções discursivas sobre um mesmo Brasil
PDF

Palavras-chave

Migrante árabe. Intolerância. Hospitalidade.

Como Citar

SOUZA, Daniele dos Santos de; ZOLIN-VESZ, Fernando. Da hospitalidade à intolerância ao migrante árabe: construções discursivas sobre um mesmo Brasil. Trabalhos em Linguística Aplicada, Campinas, SP, v. 57, n. 2, p. 877–893, 2018. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/tla/article/view/8651844. Acesso em: 19 maio. 2024.

Resumo

Este artigo propõe analisar a reportagem “Cariocas fazem ‘esfihaço’ para apoiar refugiado sírio agredido em Copacabana”, veiculada em 12 de agosto de 2017, pelo portal G1, que alude à acolhida e à intolerância a um refugiado sírio no Brasil. Entende-se que tal reportagem apresenta um mesmo Brasil construído discursivamente de modos diferentes: o país da hospitalidade e o país da intolerância. A análise é amparada em conceitos como orientalismo (SAID, 2016) e migração (árabe) (OLIVEIRA, 2002; SEYFERTH, 2002; 2008; BRANDÃO, 2007; PINTO, 2010; 2014; FARAH, 2014; HAESBAERT, 2014; ZOLIN-VESZ, 2015; 2016a; 2016b; BAUMAN, 2017). Conclui-se que é no embate entre a hospitalidade e a intolerância, em constante tentativa de uma se firmar diante da outra como mais verdadeira, que a reportagem parece contribuir para a compreensão do Brasil contemporâneo.
PDF

Referências

BAUMAN, Z. (2017). Estranhos à nossa porta. Trad. Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar.

BRANDÃO, G. A. (2007). Sírios e libaneses em Cuiabá: imigração, espacializações e sociabilidade. 2007. Dissertação de Mestrado em História. Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá.

FARAH, P. D. E. (2014) The summit of South America – Arab States: historical contexts of South-South solidarity and exchange. In: AMAR, P. (Org.) The Middle East and Brazil: perspectives on the new global South. Bloomington: Indiana University Press, 2014. pp. 39-56.

FOUCAULT, M. (2008). A arqueologia do saber. Trad. Luiz Felipe Baeta Neves. 7. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

FOUCAULT, M. (2012). Microfísica do poder. 30. reimp. Rio de Janeiro: Graal.

HAESBAERT, R. (2014). O mito da desterritorialização: do fim dos territórios à multiterritorialidade. 8. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

MAINGUENEAU, D. (2015). Discurso e análise do discurso. Trad. Sírio Possenti. São Paulo: Parábola.

MOITA LOPES, L. P. (Org.) (2006). Por uma linguística aplicada INdisciplinar. São Paulo: Parábola.

OLIVEIRA, L. L. (2002). O Brasil dos imigrantes. Rio de Janeiro: Zahar.

PINTO, P. G. H. R. (2010). Árabes no Rio de Janeiro: uma identidade plural. Rio de Janeiro: Cidade Viva.

PINTO, P. G. H. R. (2014). Islã: religião e civilização: uma abordagem antropológica. 2a. reimp. Aparecida: Santuário.

ROJO, R. (2013). Caminhos para a LA: política linguística, política e globalização. In: NICOLAIDES, C.; SILVA, K. A.; TILIO, R.; ROCHA, C. H. (Orgs.) Política e políticas linguísticas. Campinas: Pontes, 2013. pp. 63-78.

SAID, E. W. (2016). Orientalismo: o Oriente como invenção do Ocidente. Trad. Rosaura Eichenberg. 6a. reimp. São Paulo: Editora Companhia das Letras.

SEYFERTH, G. (2002). Colonização, imigração e a questão racial no Brasil. Revista USP, n. 53, p. 117-149. Disponível em Acesso em: 28 ago 2017.

SEYFERTH, G. (2008). Imigrantes, estrangeiros: a trajetória de uma categoria incômoda no campo político. 26ª Reunião Brasileira de Antropologia. Porto Seguro. Disponível em Acesso em: 28 ago 2017.

ZOLIN-VESZ, F. (2015). Conheça o Alli Barato e os 40% de desconto: o Oriente bem aqui. Polifonia, v. 22, nº 31, pp. 538-553.

ZOLIN-VESZ, F. (2016a). Terra de todos? – as narrativas sobre a (recente) migração árabe na cidade de Cuiabá. In: BRAGANÇA, I. F. S.; ABRAHÃO, M. H. M. B.; FERREIRA, M. S. (Orgs.) Perspectivas epistémico-metodológicas da pesquisa (auto)biográfica. Curitiba: CRV. pp. 301-310.

ZOLIN-VESZ, F. (2016b). (Por entre) As narrativas que (não) nos contam sobre a migração árabe na cidade de Cuiabá. In: ZOLIN-VESZ, F. (Org.) Linguagens e descolonialidades – arena de embates de sentidos. Campinas: Pontes. pp. 59-73.

O periódico Trabalhos em Linguística Aplicada utiliza a licença do Creative Commons (CC), preservando assim, a integridade dos artigos em ambiente de acesso aberto, em que:

  • A publicação se reserva o direito de efetuar, nos originais, alterações de ordem normativa, ortográfica e gramatical, com vistas a manter o padrão culto da língua, respeitando, porém, o estilo dos autores;
  • Os originais não serão devolvidos aos autores;
  • Os autores mantêm os direitos totais sobre seus trabalhos publicados na Trabalhos de Linguística Aplicada, ficando sua reimpressão total ou parcial, depósito ou republicação sujeita à indicação de primeira publicação na revista, por meio da licença CC-BY;
  • Deve ser consignada a fonte de publicação original;
  • As opiniões emitidas pelos autores dos artigos são de sua exclusiva responsabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.